Cheguei Lá

Mãe, esposa e estudante dedicada. Raquel supera dificuldades e conquista o 3º lugar na PMDF! Motive-se!

RaquelRaquel Soares Miranda, 28 anos, casada e mãe de 2 filhos (Fernando e Maria Flor) é formada em Música (licenciatura) pela Unb e em flauta transversal pela Escola de Música de Brasília é a entrevistada da coluna cheguei lá dessa semana.

A entrevistada compartilha conosco sua história nessa árdua trajetória, em que foi preciso muito esforço, foco e organização para conseguir conciliar a rotina de mãe e esposa com uma rotina intensa de estudos. Tanto esforço culminou com a aprovação em 3º lugar para o concurso da PMDF/2013, no cargo de especialista corneteiro.

Raquel, com sua formação em Música e paixão pela arte nunca havia pensado em estudar para concursos públicos, pois não se via e não queria trabalhar em uma carreira em que não pudesse atuar de alguma forma musical/artística. Ela trabalhava em uma escola infantil e se deparou com a publicação do edital inesperado e inédito da PMDF (2013), um edital que ofertava vagas para especialistas músicos (fazia 15 anos que não eram ofertadas vagas nessa área). Raquel, na época, estava no período da licença maternidade de seu primeiro filho, Fernando, e motivada pela vontade de dar um futuro melhor à criança, vislumbrou nessa oportunidade a chance de conseguir algo melhor em sua carreira profissional e para sua família.“Eu nunca havia estudado para concurso público. Estudei apenas para o da PMDF especialista corneteiro. Optei porque já havia trabalhado em outros empregos e já sabia como era difícil essa vida: trabalhar muito e ganhar muito pouco. E também, na verdade, o fator mais importante foi a chegada do meu primeiro filho, o Fernando. Ele que me motivou a tentar conquistar algo melhor.”

Como a entrevistada não almejava um cargo público até então, e também não sabia que haveria o concurso em questão, não houve uma preparação com antecedência, a preparação começou depois da publicação do edital. Apesar de o concurso ter oferecido vagas para especialistas músicos, não havia vagas para flauta (seu instrumento de formação) assim, surgia mais um empecilho a ser vencido – aprender a tocar a corneta – um instrumento que, apesar de também ser de sopro, Raquel nunca havia tocado. “Eu não estudei antes do edital sair, pois nem sabia que abriria vagas para músicos no concurso, já fazia cerca de 15 anos que não havia concurso para especialista músico na PM, como também, nunca houve concurso para especialista corneteiro. Quando saiu o edital fiquei muito feliz com a oportunidade, porém, não havia vagas para flauta. Fiquei super mal, porém, decidi investir na corneta (instrumento que nunca havia tocado) já que abriram 24 vagas.”

Raquel conta que, decidida do que queria buscar, ela resolveu até sair de seu emprego na época para dedicar-se ao máximo para o certame e praticar o novo instrumento. “Eu estava de licença maternidade quando saiu o edital. Voltei para o trabalho em uma escola infantil mas fiquei somente 1 mês e saí porque queria investir no concurso e não dava para conciliar o trabalho, o bebê e o concurso. Como estava muito convicta de passar no concurso decidi largar tudo para poder focar melhor.
Minha forma de conciliar os horários era deixando tudo muito certo, horários bem definidos, e sem distrações.”

A aprovada tentava utilizar o tempo que dispunha da melhor maneira e outro ponto que se preocupava era com a questão do seu parto que estava por vir (queria que o parto fosse normal para sua recuperação ser mais rápida) e como o concurso tinha a etapa do teste de aptidão física, era uma preocupação muito conveniente. “Eu tinha cerca de 6 hrs por dia para poder estudar. Então, em cada fase eu utilizava esse tempo da melhor maneira possível. Para a primeira fase do concurso eu me dediquei exclusivamente. Como nunca tinha estudado as matérias tinha que correr contra o tempo. Depois da primeira fase eu dividia o tempo para estudar a matéria específica, a corneta – quer era um novo instrumento – e o TAF – que era outro dilema, já que estava com bebê quase que recém nascido. (Eu queria muito que meu parto fosse normal para poder ser mais tranquilo nos futuros treinos, e ainda bem que deu tudo certo).”

Raquel se via pela primeira vez diante de duas novidades em sua vida: a experiência de ser mãe e se preparar para um concurso público pela primeira vez. Como não havia uma familiarização com o conteúdo cobrado (exceto na parte de música), a aluna teve que fazer uma espécie de reconhecimento e triagem das disciplinas, para ver as que demandariam mais tempo e esforço. “Como mãe e concurseira de primeira viagem eu fiquei meio desesperada no início. Porém, como tudo na minha vida, eu paro e penso para poder ver as opções e tomar as decisões. Eu verifiquei a quantidade e tamanho das matérias que tinha que estudar e dividia por dia os conteúdos. Eu não gostava de estudar apenas uma matéria por dia, geralmente eu estudava umas três e fazia pequenos intervalos entre elas somente para alongar e ir ao banheiro. Não comia nada pesado, apenas comidas leves e mais naturais possíveis. Como não conhecia o conteúdo eu dei uma olhada geral nelas para ver quais seriam mais trabalhosas e mais fáceis, como também, com quais teria mais afinidade.Eu gostava também de fazer outras provas de concurso que apareciam no caminho para ir treinando o fazer a prova em si.”

A entrevistada conta que no início da sua preparação se matriculou no curso presencial, mas ainda no primeiro dia de aula, trocou pelo Gran Cursos Online porque estava com um bebê muito novinho em casa e não teria condições de sair diariamente e deixa-lo por grandes períodos sem a mãe. Raquel não se achava muito organizada e disciplinada para estudar sozinha com o curso Online, mas organizou-se na questão dos horários, se dedicou ao máximo e manteve o foco no seu objetivo principal – a aprovação, uma conquista que era em prol da sua família e do seu sucesso profissional.A aluna comenta que os professores e as ferramentas do Gran Cursos Online a ajudaram muito no processo preparatório, a se manter motivada e impulsionar os estudos.

“Na verdade eu me inscrevi no curso presencial. Eu não me imaginava estudando de uma forma tão disciplinada em casa sozinha. Muita matéria, muita pressão, muitas distrações… Não conseguia de forma nenhuma pensar em estudar em casa. No primeiro dia de aula quando estava saindo de casa meu bebê começou a chorar ‘muiiiiiiiiiiito’ e não conseguíamos acalmá-lo, foi aí que percebi que não ia conseguir sair de casa e deixar um bebê tão novinho em casa. Fui ao Gran Cursos e pedi para trocar a aula presencial para a aula online. Aí já foi outro desespero, não sabia como poderia estudar em casa. Mas como já falei acima, organizava bem meus horários e com muita disciplina e foco eu me concentrava nos estudos. Eu cheguei a comprar apostilas de uma outra rede de concursos, porém, achei a apostila do Gran Cursos bem melhor. O professor de direito penal foi uma espécie de impulso que me fez sentir certo prazer nos estudos. Achava ele fenomenal, ficava contando as horas para poder estudar de novo.

Certa vez o Granjeiro escreveu um texto muito legal de incentivo na página de login, porém a imagem escolhida para o texto me chamou muito a atenção: era uma mãe com um bebê no colo, a outra mão na panela, um pé com pano de chão e tal… me vi naquela cena. Pensei que seria totalmente impossível. Mas ao mesmo tempo pensei que já que conseguia fazer tudo aquilo ao mesmo tempo eu poderia fazer uma pouco mais ainda.”


mae-concurseira-mulher-guerreira-754x911-1-1
Na reta final do concurso, Raquel contou com a ajuda dos pais para cuidar de seu filho Fernando. Com isso, conseguia mais tempo para estudar, realizar exercícios e praticar a corneta. A especialista corneteira destaca a técnica “ensinar o que se aprendeu” como uma das mais eficientes para memorização e trouxe ótimos resultados a ela. “Sinceramente, parece que minha mente bloqueou esse momento prévio da prova…Mas recordo que na reta final eu contava muito com a ajuda dos meus pais no revezamento dos cuidados com meu filho e ia me encontrar com um grupo que também estava estudando para o concurso da PM. Fazíamos vários exercícios e eu explicava vários assuntos. Para mim, esse técnica de ensinar o que está aprendendo é a melhor para concretizar mais o conteúdo na mente. Como eu tinha poucas horas para estudo eu não separava muito tempo livre, já considerava o restante do dia como o tempo livre.”

Ela conta que inicialmente tinha medo de não conseguir alcançar seu objetivo, por nunca ter estudado antes para concursos públicos. Porém, Raquel estava decidida a ir bem no concurso, mais do que isso, ela precisava do cargo e de conquistar um futuro melhor para si e para sua família, e com o nascimento do filho, tudo isso se intensificou e a motivou a se manter firme na árdua caminhada. Com grande êxito na prova, 3ª lugar, também destaca o foco e a disciplina que teve como as principais virtudes que fizeram o diferencial nessa etapa. “Fiquei em terceiro lugar no concurso, mas acredito que o meu diferencial foi ter muito foco e disciplina para aproveitar o tempo disponível da melhor maneira possível. Me desligava do mundo, principalmente do mundo virtual. Eu não esperava de forma alguma essa colocação. Eram 80 inscritos para 24 vagas, tinha medo de nem alcançar o número de vagas por nunca ter estudado. Porém, eu precisava muito do cargo, um sentimento de cuidado que nasceu juntamente com o meu filho que me fez buscar essa conquista arduamente.”

Outro ponto destacado por ela é que o foco e a concentração nos estudos não pode ser desvirtuado. A aluna se desligava do mundo virtual nos momentos de estudo para que as horas de estudo realmente fossem horas de estudo líquidas e proveitosas. “Acredito que o maior erro que as pessoas cometem estudando é desperdiçar tempo. Parece que um minuto, uma saída, uma olhada no celular não vai fazer diferença no tempo de estudo, porém, para mim faz.”

Em meio a mudança de vida e de objetivos que ela vivia no período, organizar os estudos e as matérias foi fundamental, fazer o reconhecimento e a triagem de cada matéria, para poder estuda-las e absorver o conteúdo da melhor forma possível, já que as matérias eram muito diferentes entre si, foi importante traçar um método individualizado para cada uma delas. ” Tudo nessa nova rotina foi uma dificuldade. Estudar conteúdo totalmente novo. Cuidar de filho recém nascido, cuidar da casa, cuidar do marido, aprender um instrumento novo e toda a pressão que isso envolve. Mesmo que o candidato não conheça o conteúdo, assim como foi comigo, é preciso organizar muito bem a divisão as matérias. Quais matérias você tem que ler mesmo do início ao fim e quais você aprende mais fazendo exercícios.”

Raquel atualmente não pensa em realizar outro concurso, como foi dito anteriormente – ela não se vê trabalhando em algo que não tenha estrita relação com sua formação musical. Além do que, depois de sua bela conquista, Raquel vive um momento em que o foco é de dedicação na sua família e no cargo que ocupa. “No momento não penso em fazer outro concurso. Até porque na minha área são pouquíssimos concursos disponíveis. No momento estou deixando o foco no meu marido para que agora ele possa realizar os projetos dele, já que ele me forneceu todo o apoio durante 2 anos, abdicando de muitas coisas em prol da minha conquista.”

A musicista comenta ainda sobre algumas dificuldades que viveu no período da sua preparação. “A grande maioria dos músicos não estão preparados quando surge uma oportunidade para concurso como foi no caso da PM. E quando raramente acontece tal oportunidade fica extremamente difícil conciliar o trabalho que muitas vezes é bastante atribulado com uma rotina de estudo com matérias tão diferentes do nosso cotidiano. Juntamente com isso, vem o caso de eu ser uma esposa e uma mãe. Tive que sair do trabalho, viver do FGTS e do marido, pedir ajuda ao pai, mãe, avó, tias… É muito investimento, ainda mais em um certame com tantas fases. Nessas horas a gente esquece até o que é dignidade em prol de uma causa maior futura.”

Concentrar-se no seu sonho e utilizar todas as forças que tem para realiza-lo é o conselho que Raquel deixa para nossos leitores, garantindo que tudo vale a pena no fim.

“Se você tem um sonho para realizar foque nele com todas as suas forças. Não tenha vergonha de pedir ajuda, de ficar até mesmo excluído de várias atividades e amigos. Depois que seu objetivo é realizado você percebe que tudo valeu a pena. “

Confira o vídeo da entrevista da aluna na íntegra e motive-se!

 

 

 

Comece a sua preparação hoje mesmo com quem é imbatível em aprovação nas carreiras policiais.
O Gran Cursos aprovou mais de 7.300 alunos nos últimos concursos para o DEPEN,
PRF, Polícia Federal e PMDF.

Preparatórios online com início imediato, visualizações ilimitadas e parcelamento em até 12x sem juros!
Prepare-se com quem mais aprova há 27 anos e conquiste a sua vaga!

Matricule-se!

Cheguei Lá

4 Comentários

4 Comentários

  1. Delhildo silva de paula

    12/10/2016 16:12 em 16:12

    Querido muito estudar com vocês, mas não tenho como pagar no momento. 🙁

  2. TIAGO SILVA

    03/02/2017 20:20 em 20:20

    GOSTARIA DE FAZER ALGUMAS PERGUNTAS A RAQUEL. TERIA COMO VCS VERIFICASSEM UM CONTATO DELA OU PEDI LA PARA ENTRAR EM CONTATO COMIGO.
    OBRIGADO.

    • TIAGO SILVA

      03/02/2017 20:20 em 20:20

      SERIA SOBRE A PROVA PRATICA DO CONCURSO

  3. TIAGO SILVA

    06/02/2017 19:10 em 19:10

    NÃO SEI SE CONSEGUI RESPONDER NO EMAIL, MAS TENHO INTERESSE SIM EM ENTRAR EM CONTATO COM ELA SOBRE AS PROVAS PRATICAS 🙂

Deixe uma resposta

Para o Topo