Palavra de Quem Entende

Carreira pública farmacêutica: panorama geral

Fazer escolhas não é tão fácil, e adequar sua profissão ao modelo de vida ideal nem sempre é possível….Enquanto alguns profissionais buscam uma rotina fixa que ocupa toda a semana, outros preferem o regime mais flexível de plantões, dedicação exclusiva, militarismo ou até mesmo dedicar-se apenas meio período ao trabalho….mas será que é possível a mesma profissão oferecer TODAS essas alternativas? SIM! A Farmácia oferece ao profissional diversas opções em relação a: estilo de vida, carga horária, natureza e ritmo de trabalho. Hoje eu vou falar um pouco sobre as diferentes atuações do farmacêutico no serviço público.

Primeiro temos que saber quais são as grandes subáreas da Farmácia conforme os cargos ofertados. Veja só: Farmácia Hospitalar, Análises Clínicas, Perícia Criminal, Fiscalização Sanitária, Fiscalização dos Conselhos Profissionais (CRFs) e Forças Armadas (Bioquímico e Industrial). Essa visão é importante porque cada área reserva sua especificidade. Isto é, os editais apresentam um conjunto de disciplinas em comum bastante restrito (Farmacologia, Biossegurança, Legislação Farmacêutica e Farmacotécnica) e as demais são diferenciadas para cada cargo, considerando a natureza do trabalho.

Farmácia Hospitalar é a área que exige conhecimentos de Gestão de estoque, Farmacoepidemiologia, Farmacovigilância, Atenção Farmacêutica, Ciclo da Assistência Farmacêutica no SUS e Uso Racional de Medicamentos, Ética Profissional, Relação Nacional de Medicamentos Essenciais, Sistemas de Distribuição de Medicamentos e outras. As atribuições desse cargo envolvem toda a assistência farmacêutica no SUS (Aquisição, Gestão de estoque, Dispensação, Atenção Farmacêutica). Basicamente, pode-se trabalhar na Farmácia Clínica (promovendo o uso racional de medicamentos por meio de intervenções nas prescrições médicas a pacientes, apontando possíveis interações entre elas e sugerindo melhorias na farmacoterapia) ou ainda atuando na gestão do estoque de medicamentos, insumos e correlatos. Geralmente, consegue-se trabalhar em regime de plantões nessa área, e os editais trazem carga horária de 40 horas ou 20 horas – que normalmente pode ser ampliado posteriormente.

Análises Clínicas é o campo laboratorial do Farmacêutico no qual ele precisa dominar conhecimentos relativos a Hematologia, Microbiologia, Urianálise, Parasitologia, Imunologia, técnicas de Biologia Molecular, Bioquímica Clínica e mais alguns tópicos analíticos. Normalmente, concorre com outros segmentos, como biólogos e biomédicos, logo, a concorrência sobe um pouco. Essa área também oferta regime de plantões e oferece uma carga horária intermediária (30 horas semanais), além das demais já citadas. A assistência ao paciente, diferentemente da Farmácia Hospitalar, é feita de forma indireta, uma vez que o profissional atua dentro do laboratório e seu produto é o laudo que subsidia as decisões dos profissionais prescritores.

Perícia Criminal é, sem sombra de dúvidas, um dos editais mais completos que existe, pois se cobra conhecimentos profundos sobre todas as químicas (analítica, orgânica, inorgânica); Biologia Molecular; Bioquímica; Toxicologia; Farmacognosia; Física; Físico-química; Imunologia; Hematologia; Farmacologia; Biologia e outras a depender da região (algumas regiões fazem o concurso específico para Farmacêutico e outros são abertos a qualquer área de nível superior, e isso impacta diretamente nos tipos de disciplinas cobrados). Normalmente, esse cargo exige dedicação exclusiva do profissional. Vale destacar também que, para algumas regiões, é necessário teste de aptidão física e demais etapas que envolvem a formação de um profissional de segurança pública (psicotécnico, exames médicos etc.). Em outras regiões, não se exige essas etapas. Portanto, se o foco é perícia criminal, vale a pena tirar um tempo para avaliar como as forças de segurança locais costumam selecionar o candidato.

Fiscalização Sanitária é uma área também aberta a outros profissionais (nutricionistas, médicos, enfermeiros, veterinários, biólogos e biomédicos), mas o edital, de certa forma, favorece o farmacêutico, uma vez que cobra grande conteúdo na área de indústria Farmacêutica e gestão da qualidade (isso levando-se em conta os editais da ANVISA, mas editais municipais e estaduais cobram com mais ênfase legislação). Outra peculiaridade de editais estaduais e municipais é que por vezes esse cargo é aberto a qualquer área de nível superior, abrindo mais ainda o leque e acirrando mais uma vez a concorrência. Em relação a horário de trabalho, esse cargo é bem flexível, de modo que, em várias instituições, o fiscal faz suas inspeções e elabora os relatórios na sua própria casa! Imagine só!

Fiscalização dos conselhos (CRFS e CFF): cobram geralmente uma parte muito curta de conteúdo teórico e exigem mais conhecimento sobre legislação. Tem o ritmo de trabalho bem parecido com o fiscal sanitário, mas não compete com outras áreas pelas vagas. A natureza do trabalho também muda, já que o foco é fiscalização da atuação do farmacêutico na assistência e não está responsável por questões sanitárias. O regime também muda, já que o vínculo é celetista.

Carreiras das Forças Armadas exigem conteúdo muito extenso porque não especificam os tópicos que caem normalmente, apenas a bibliografia. Porém, a vantagem é que são concursos com uma frequência maior (anuais), então facilita a programação de estudos. Nessa área, geralmente são separadas as vagas de Farmacêutico Bioquímico e Industrial, de modo que cada edital possui as disciplinas inerentes às funções de cada vaga. O regime de trabalho também é dedicação exclusiva com o acréscimo do perfil militar e demais exigências que o cargo possui (idade máxima, aptidão física por exemplo).

Conhecer bem a área que vai focar é essencial porque, assim, você consegue se aprimorar nas disciplinas específicas ligadas aquele cargo e tem maior chance de alcançar êxito na prova. Se o candidato fica estudando conforme os diferentes editais que vão saindo, acaba se perdendo na heterogeneidade de conteúdos programáticos e não tendo resultado. Isso, ao longo do tempo, pode gerar frustração e desistência, que é a última coisa que se busca quando o assunto é concurso público.

Outro detalhe importante a se avaliar antes de decidir a área é a sua formação: Se você se formou nos tempos em que o curso não era generalista, provavelmente você optou por ser apenas bacharel, Bioquímico ou Industrial (ocasionalmente pode ter feito as duas habilitações também, claro). Então fique atento, porque, nesse caso, só pode concorrer para cargos de Laboratório ou Análises Clínicas o Farmacêutico com Habilitação em Bioquímica!!!! Já o profissional que se formou após a mudança da matriz do curso já tem formação generalista e pode atuar em qualquer das áreas que abordamos.

Levante todas essas informações, avalie, faça os ajustes necessários para adequar ao tipo de vida que você quer levar, defina uma boa estratégia de estudos e comece os trabalhos.

Bom, então é isso… Espero que com esse panorama você tenha conhecido melhor as diferentes opções de carreira para o farmacêutico dentro do serviço público e, a partir disso, somando ao conteúdo disponível no Gran cursos Online, você tenha condições de fazer suas escolhas para direcionar melhor os estudos e atingir seu tão desejado cargo público!

Pollyana Lyra

Farmacêutica, Especialista em Farmacologia, Professora Universitária e Analista da Fundação Hemocentro de Brasília.

 

 

 

 

WHATSAPP GCO: receba gratuitamente notícias de concursos! Clique AQUI!

CONCURSOS ABERTOS: veja aqui os editais publicados e garanta a sua vaga!

CONCURSOS 2019: clique aqui e confira as oportunidades para este ano!

Estudando para concursos públicos? Prepare-se com quem mais entende do assunto! Cursos completos 2 em 1, professores especialistas e um banco com mais de 920.000 questões de prova! Garanta já a sua vaga! Mude de vida em 2019!

Estude onde, quando, como quiser e em até 12x sem juros! Teste agora por 30 dias!

Matricule-se!

Para o Topo