Carreiras

Carta aos alunos: dicas para a prova discursiva da CLDF

Prova discursiva do concurso CLDF será aplicada no próximo domingo (16)!

Concurso CLDF: confira aqui dicas para a prova discursiva!

Prezado(a) Aluno(a),

Gostaria de fazer umas últimas observações sobre a prova discursiva da Câmara Legislativa do Distrito Federal – CLDF. Considerando as consultas que recebi e o que percebi na correção de redações, entendo que seria interessante destacar alguns pontos. Também tomo por base, nesta conversa, minha longa experiência na preparação para concursos e, principalmente, na consultoria em recurso para a prova de redação. Vamos aos comentários.

  1. As recomendações que tenho feito a você têm como fonte importante o manual ELABORAÇÃO DE TEXTOS LEGISLATIVOS: Fundamentos, Modelos e Regras Práticas. Embora seja visível a flutuação quanto à forma dos textos, usei o manual porque ele é o que há de mais atual. Está na 4ª edição, publicada em 2017, e é, claro, um documento oficial da CLDF.

Reproduzo, a propósito, a portaria que traz a autorização “de disponibilização online”, assinada pelo Secretário-Geral do Gabinete da Mesa por delegação do Presidente:

2) O que vai dizer a você o que precisa ser feito na prova é o enunciado da questão. Leia esse comando com atenção. Se ele dispensar o candidato de seguir alguma instrução, não a siga. É comum que a prova diga que não é preciso respeitar medidas, distâncias, porque impraticável no texto manuscrito. O que não for dispensado pelo enunciado, no entanto, você aplica.

Quanto a isso, quero lembrar que itálico e negrito têm uma forma de representação tradicional na redação: aspas ou sublinha. Quer dizer, se o enunciado da prova não dispensar esse destaque, a recomendação é apelar para as “aspas” ou a sublinha.

Vou exemplificar. Veja o que diz o Ato da Mesa Diretora nº 27, de 2007, transcrito a partir da p. 183 do Manual da CLDF:

Chamo sua atenção para o fato de que o padrão é escrever, na proposição:

  • o número do artigo em negrito;
  • a expressão Parágrafo único em itálico.

Por isso, dou uma recomendação: se o comando da prova não trouxer dispensa expressa, o melhor é sublinhar, na proposição, número de artigo e Parágrafo único. Exemplos:

Art. 1º Fica instituído o …

Parágrafo único. Entende-se como …

É uma opção válida no texto manuscrito do concurso para indicar negrito ou itálico e seria uma forma de evitar o risco da perda desnecessária de pontuação.

3) Comento agora a prova P1 sobre o parecer. Veja que o edital do concurso estabelece:

7.4.1      A primeira prova (P1) será composta de dois votos:

  • 7.4.1.1 Voto em parecer de mérito, valendo 50,00 (cinquenta) pontos.
  • 7.4.1.2 Voto em parecer de admissibilidade, valendo 50,00 (cinquenta) pontos.

Como fica claro (“dois votos”, “voto em parecer”), não deverá ser pedida a redação do relatório na prova. Sua redação, portanto, começaria com II – VOTO

DO RELATOR.

A não ser que o comando da prova diga expressamente para você escrever a parte chamada de Relatório, vá direto para o voto. Aliás, é de esperar que o enunciado, em obediência ao Edital, diga expressamente para você escrever apenas o voto.

4) Destaco um padrão que pode ser encontrado nos exemplos do Manual: a palavra que resume a conclusão do parecer (ADMISSIBILIDADE, APROVAÇÃO, INADMISSIBILIDADE, REJEIÇÃO) vem em maiúsculas. Trago alguns deles:

5) Ainda sobre o parecer, tenho outra observação. A correção procura avaliar também seu conhecimento técnico, é claro. Logo, o melhor é sempre identificar de que atributo ou critério de análise trata o parágrafo do voto (constitucionalidade, legalidade, juridicidade, regimentalidade, técnica legislativa e redação, necessidade, conveniência, oportunidade ou relevância). O lugar mais indicado para essa identificação é mesmo, como recomendo nos vídeos, a primeira frase (tópico frasal). 6) Atenção para a pontuação na referência a textonormativo:

  • da unidade de articulação menor para a maior, sem vírgula: 63 do Regimento Interno; (artigo é menor que Regimento);
  • da maior para a menor, a menor entre vírgulas: art. 63, I, do Regimento Interno (inciso é menor que artigo)

6) Cuide da legibilidade. Não rasure e escreva com clareza os acentos, a cedilha, o hífen da separação de sílabas e as iniciais maiúsculas. Se, na revisão, desconfiar que o examinador possa ficar com alguma dúvida, elimine a palavra completa com um traço e escreva a correta ao lado, quando houver espaço, ou acima.

7) Releia a redação já passada a limpo. Essa providência evita a perda desnecessária de pontos.Fiz aqui os destaques que, avalio, possam ajudar você na hora da prova.

Desejo-lhe muito sucesso.

Everardo Leitão

Professor de Dissertação, Redação Oficial e Interpretação de Texto há mais de 20 anos. Atuou, também, com treinamento em Redação no Superior Tribunal de Justiça – STJ, no Tribunal de Contas de Rondônia, no Banco do Brasil, na Cooperforte e no Centro de Estudos Brasileiros da Embaixada do Brasil em Assunção (Paraguai), entre outras instituições, privadas e públicas. Foi professor do curso de formação de analistas no Instituto Serzedello Corrêa, do Tribunal de Contas da União -TCU, repórter do Correio Braziliense e administrador. Suas obras são referências bibliográficas, como o manual de Elaboração de Textos Legislativos da CLDF.

Para o Topo