A assertividade: Colocando limites

Juliana Gebrim


08/06/2021 | 13:44 Atualizado há 109 dias

Se tem algo que faz o concurseiro perder muito tempo de estudo é a falta de habilidade em ser assertivo. Eu poderia afirmar que  a maioria dos alunos que passam em provas, possuem essa qualidade. Algo fundamental e  que tem associação ao foco e à autoestima.

Você costuma falar sim quando na realidade gostaria de dizer não? Costuma ter sensações ruins ao ter esse comportamento? Lembrando que dizer não também deve valer para os nossos pensamentos  improdutivos e que nos desqualificam e não só nas relações interpessoais.

A vida de concurso é uma vida de trocas momentâneas. Devemos separar tudo quilo que é urgente daquilo que  não podemos negociar naquele momento de estudos. E existem muitas coisas no seu dia a dia que são inegociáveis para obter êxito.

Aprendi em muita coisa trágica que observei nessa pandemia, e em 22 anos de clínica, que urgente mesmo são pessoas com problemas de saúde, internações em UTI. Gente que muitas vezes conta o dinheiro para ter aquilo que comer. Pessoas com a saúde mental comprometida. E quantas vezes nos pegamos tratando questões rotineiras com o peso de algo muito grave.

A dificuldade  em colocar limites no meio em que vivem para começar e dar continuidade aos estudos, é uma queixa comum. Parece que as pessoas possuem dificuldades em virtude de duas emoções principais: a CULPA em dizer não e o MEDO de ser rejeitado ao colocar limites. E essas são as duas emoções de base que atrapalham a assertividade.

Tenho medo em dizer não ao meu pai que paga as minhas contas, para o namorado com medo dele arrumar outra pessoa, para meus amigos que me chamam para sair, para a minha mãe , pois tenho um  medo que se ela morrer um dia, não aproveitei. São queixas comuns.

E como as pessoas possuem dificuldades em colocar tais questões de uma forma clara! Convivências íntimas e outras nem tanto, podem danificar a nossa autoestima e saúde física, em função dessa dificuldade em ser assertivo.

Sendo uma habilidade, a assertividade pode ser treinada. Mas tem algo mais profundo aqui. Por mais que seja treinada, existe uma questão universal: a ciência explica que TODOS em maior ou menor grau somos pessoas folgadas. Então estaremos mais suscetíveis a sermos assim o tempo todo e termos pessoas que sempre irão testar os nossos limites. Isso faz parte da condição humana. Portanto, aprendendo tal habilidade,deveremos sempre estar em constante vigilância. Devemos ser assertivos com nós mesmos e com os outros também.

Mas qual o significado dessa palavra tão importante? Ela se encontra no meio do caminho entre a atitude passiva e a agressiva. Se as pessoas polarizam entre essas duas situações, fatalmente estarão sempre em sofrimento.

A assertividade pode ser definida como defender os seus posicionamentos ou de outras pessoas, de uma forma calma e positiva. A pessoa consegue  se expressar e ser respeitada sem nenhum tipo de agressão.

Leia-se agressão também ao calar-se. Aqui configura-se também uma das piores agressões. Quando você se cala e fica corroendo o pensamento e se autoflagelando por algo que deveria ter sido feito ou dito. É a passividade sob forma de autoagressão.

Outra questão muito importante é justamente na hora da prova! Você sabia que nas questões essa habilidade é muito requisitada? Se você brigar com questões, ou ser muito passivo nas respostas, a assertividade estará sendo testada. O seu V ou F testa além do conteúdo essa sua parte emocional. Sendo mais enfático,mais acertos.

A pessoa assertiva não desce do salto. Não tem medo em dizer aquilo que pensa, pois está segura. Ela não deixa ser tratada por menos do que ela merece. Ela expressa discordâncias e não ficará calada.

Se você não consegue expressar sua questões para as pessoas, poderá desenvolver ressentimentos. A pessoa assertiva, diferencia aquilo que está disposto a tolerar ou não. Caso os limites tenham sido ultrapassados, ela consegue falar aquilo que a deixou mal. Sem atacar ninguém.

 

Algumas características são bem claras em pessoas assertivas:

São pessoas bem diretas e respondem aquilo que perguntam;

Não mordem e assopram com indiretas;

São pessoas autoconfiantes;

São honestas;

Sabem aquilo que podem controlar ou não;

Escolhem batalhas;

Tomam decisões com maior facilidade;

 

Não falam de defeitos alheios e sim sobre como estão se sentindo naquele momento de conflito. O nome disso é comunicação não-violenta.

Quer saber mais sobre o assunto com técnicas para desenvolver tais habilidades? Qual o motivo de algumas pessoas serem passivas? O que pode gerar a agressividade exacerbada? Como ser assertiva com parentes e amigos? Aguardem que teremos na terça o nosso divã do concurseiro.

Juliana Gebrim

Psicóloga clínica e neuropsicóloga com mais de 20 anos de experiência em psicoterapia
0

0

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *