Palavra de Quem Entende

Foco, motivação e hábito: a tríade da vitória. Por: Wellington Antunes

Foco, motivação e hábito: a tríade da vitória. Por: Wellington Antunes

“Esta é a vitória que vence o mundo, a nossa fé.”(1 João 5:4)

Sonhos… Eu tenho muitos! E você?

No geral, todos nós possuímos sonhos a serem alcançados. E isso é muito importante. Augusto Cury ensina que “sem sonhos, a vida não tem brilho. Sem metas, os sonhos não têm alicerces. Sem prioridades, os sonhos não se tornam reais”.

Para que possamos realizar nossos sonhos, precisamos, antes, possuir um foco, que é exatamente aquilo em que alguém concentra sua atenção ou aquilo que se busca alcançar (Aurélio).

A pergunta aqui seria: o que você pretende alcançar?

Quando concentramos nossa atenção em um objetivo bem definido, nosso processo mental, naturalmente, selecionará e captará informações que sejam úteis e importantes e que contribuam para o que tivermos definido como foco.

Deixa eu te dar um exemplo pessoal: há algum tempo, eu estava querendo muito comprar um determinado carro. Eu havia definido a marca, o modelo, a cor, o tipo de banco. Enfim, estava tudo bem desenhado em minha mente. Diariamente, eu ficava sonhando com aquele carro (parecia criança, rsrs).

Nesse período, em todo lugar em que eu estava, eu via carros com aquelas características. Eu, à época, até brincava: será que todas as pessoas decidiram comprar esse carro? Não era isso! (rs)

Na verdade, aquela ideia estava tão viva e definida em minha mente, que ela (a mente) selecionava (e destacava) informações importantes para o que eu havia colocado como algo muito importante.

Isso é também válido para a sua preparação! Defina pontualmente aonde você pretende chegar.

Para atingirmos nosso foco, necessitamos, previamente, estabelecê-lo, pois todo o nosso planejamento será organizado em consonância com o que se pretende atingir. Se você não sabe, exatamente, aonde quer chegar, como poderá montar um projeto que lhe direcione ao seu alvo?

Nesse processo de definição do foco, pensando na preparação para concursos públicos, há algumas informações que podem ser úteis:

– Estabeleça uma área na qual tenha interesse em trabalhar. Por exemplo: área policial, Legislativo, área judiciária, agências reguladoras, ministérios, área da saúde.

– Dentro dessa área, defina um cargo como referência. Por exemplo: Agente da Polícia Civil, Delegado, Consultor Legislativo, Técnico Legislativo, Técnico Judiciário. Ou o lugar exato em que se pretende atuar, como, por exemplo, Câmara, Senado, CLDF, TST, STJ, MPU, ABIN, Receita Federal, PF, PC-DF.

– Estabeleça o planejamento voltado para esse foco específico.

Lembre-se: se você não sabe exatamente aonde quer chegar, como poderá elaborar um planejamento? Como poderá saber se está caminhando na direção correta?

A definição do foco é o ponto de partida para a realização do sonho.

Feito isso, passamos a um segundo ponto, também de muita relevância: a motivação.

De forma bem simples, a motivação é o conjunto de fatores que determinam a conduta de um indivíduo.

Às vezes, o concursando até possui um foco bem definido. Entretanto, com os desafios e os obstáculos que se apresentam em sua caminhada, ele desiste da jornada.

Ele possui um alvo a ser alcançado. Entretanto, não consegue forças para ir em busca de seu objetivo.

É exatamente nesse cenário que a motivação fará toda a diferença!

Digo isso porque a motivação é o que nos incentiva a realizar determinadas ações e a persistir nelas até alcançarmos nossos objetivos. A motivação está diretamente ligada à vontade e ao interesse. A motivação é a vontade para fazer um esforço e alcançar determinadas metas.

Por exemplo: quando eu trabalhava no shopping, há uns 14 anos, várias perspectivas me motivavam nos estudos: a estabilidade, a remuneração, os benefícios sociais (auxílios, planos de saúde), o fato de, em regra, não trabalhar aos finais de semana.

Lembro-me de outra coisa que me motivava bastante: todas as vezes em que eu era mal tratado (às vezes, por um cliente; às vezes, por um gerente), eu chegava em casa e estudava com mais garra. Para alguns, era motivo de desânimo. Para mim, era o combustível aditivado!

Eu dizia: preciso mudar isso!

Todas as vezes que me dava aquela vontade de parar, de chutar o balde, eu colocava na balança o que eu tinha, profissionalmente falando, e o que eu perderia com a decisão.

Logo, logo eu retomava meus estudos com mais interesse ainda, pois sabia que era o meio necessário ao alcance da minha vitória.

Foi assim que obtive algumas (excelentes) vitórias com os estudos, e pude mudar minha vida e de muitas pessoas que convivem comigo.

Já falamos da importância do foco e da motivação. Agora, em linha conclusiva, quero destacar outro ponto de extrema relevância: o hábito.

Segundo o Dicionário Aurélio, hábito é a “disposição duradoura adquirida pela repetição frequente de um ato, uso, costume”.

Esse conceito, por si só, já mostra a sua importância na jornada daqueles que pretendem ser aprovados em um concurso público – a repetição de atos.

Veja, a preparação para concursos públicos exige muita (e muita) repetição.

Nessa caminhada, comumente, nós chamamos essa repetição de “ritmo de estudo”.

E para podermos alcançar esse ritmo de estudo, é fundamental colocar em prática o hábito de estudar. Estudo diário, constante e disciplinado.

Para adquirirmos ritmo de estudo, precisamos iniciar, repetir, persistir. Tudo isso num verdadeiro ciclo até a nossa aprovação.

Diz o ditado popular que “a prática leva à perfeição”. Podemos dizer também que “a prática decorrente da repetição frequente te levará ao ritmo de estudo”.

Para que esse processo seja duradouro, ou seja, para que consigamos persistir até assinarmos nosso termo de posse (esse tem de ser seu foco), precisamos saber lidar com as tensões, com as frustrações que são inerentes a essa jornada. O hábito desempenha um papel de destaque nessa etapa, pois, após adquiri-lo, passamos a sentir a necessidade (não a obrigação) de estudar.

Precisamos continuar e avançar. Para isso, temos de desenvolver a capacidade de lidar com problemas, de superar obstáculos e de resistir à pressão decorrente de situações adversas.

Isso é imprescindível para quem pretende alcançar a vitória – a aprovação.

Resumindo:

O foco te mostra para onde você está indo.

A motivação é o combustível diário na jornada.

O hábito, por fim, é a engrenagem constante que te levará ao seu foco.

Sucesso.


Wellington Antunes

Professor de Direito Constitucional. Licitações, Contratos e Convênios. Servidor Efetivo do MPU. Aprovado para Consultor Legislativo da Câmara dos Deputados/2014 (aguardando nomeação) Aprovado para Analista de Finanças e Controle da CGU (aguardando nomeação). Graduado em Administração Pública. Pós-graduado em Direito Administrativo no IDP (Especialista). Instrutor interno do MPU (atuante na área de Licitações e Contratos, entre outras funções – pregoeiro, elaboração de Editais, Projetos Básicos e Termos de Referência, instrução de processos de dispensa e de inexigibilidade)

 

 


Estudando para concursos públicos ? Prepare-se com quem tem tradição de aprovação e 27 anos de experiência em concursos públicos. Cursos online com início imediato, visualizações ilimitadas e parcelamento em até 12x sem juros

garantia-de-satisfacao-30

Cheguei Lá

2 Comentários

2 Comentários

  1. Augusto

    14/06/2017 18:37 em 18:37

    Mais um artigo maravilhoso. Estava um pouco desanimado com algumas coisas que havia escutado, mas sempre que fico assim apareço aqui para ler seus artigos e esquecer todo o resto.

  2. Jhonathan Ramos

    16/06/2017 09:28 em 09:28

    Ótimo artigo Professor!

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Para o Topo