Coaching para Concursos

Minha trajetória nos concursos públicos

concursos públicosOlá! Meu nome é André Coelho. Atualmente, sou Delegado de Polícia do Distrito Federal e vou contar um pouco da minha trajetória nos concursos públicos!

Comecei a estudar para concursos públicos no ano de 2004, quando eu estava cursando o 8º semestre da faculdade de Direito e vi que realmente não queria advogar.

Naquela época, estavam acontecendo vários concursos no País de Tribunais Regionais Eleitorais, então decidi me especializar nessa área. Como não tinha nenhuma experiência em concursos públicos, adotei a estratégia de estudar para o cargo de nível médio (Técnico Judiciário – Área Administrativa), que possui uma quantidade menor de matérias.

Prestei as provas do TRE-TO, TRE-ES, TRE-GO e TRE-PA e obtive êxito, no ano de 2005, no TRE-PA, na 47ª posição, em um concurso que contou com 36.526 inscritos! Foi a partir desse momento que enxerguei que era possível ser aprovado em concursos públicos! Basta ter estratégia, foco e disciplina!

Formei-me em dezembro de 2005, em Brasília/DF, e tomei posse no Tribunal Regional Eleitoral do Pará no início de 2006. Já como servidor do TRE-PA, continuei estudando para concursos públicos, mas agora focando na carreira de Analista de Tribunais e Delegado de Polícia (meu sonho).

No ano de 2006, como estava morando em Belém/PA, prestei a prova de Delegado de Polícia daquele Estado (meu primeiro concurso de nível superior) e surpreendentemente fui aprovado na primeira fase. Nesse momento, vi que havia derrubado mais uma barreira e adquiri mais confiança para essa nova empreitada. Mas, por questões de logística e por querer voltar para minha terra natal, abandonei o concurso, não prosseguindo nas demais fases.

Durante essa minha passagem pelo estado do Pará, o inesperado ocorreu! Fui nomeado em um concurso no Distrito Federal para o qual eu nem esperava ser chamado! Foi um concurso que prestei no ano de 2004 ainda, quando havia começado a estudar.

Não obtive uma boa classificação, mas, devido à rotatividade da carreira, em 2006 fui nomeado. Naquela época, a carreira de Técnico Administrativo do TRE-PA era superior ao cargo para o qual fui nomeado no DF, mas, para voltar para casa, pedi exoneração do Tribunal e tomei posse (atualmente esse cargo chama-se Analista de Políticas Públicas e Gestão Governamental do Distrito Federal).

Retornando para Brasília, agora mais confiante e com o apoio da minha família, prossegui nos estudos com mais força ainda! Comecei a estudar as principais matérias que abrangem o concurso de Delegado de Polícia e analista de tribunais (penal, processo penal, processo civil, civil, constitucional e administrativo).

Comecei testando meus conhecimentos no concurso de Delegado de Polícia do Mato Grosso do Sul, realizado no ano de 2006, e obtive a 83ª colocação na primeira fase. Mas, aqui em Brasília, na mesma época, prestei o concurso de Escrivão de Polícia da PCDF e o concurso de Oficial de Justiça Avaliador Federal do TJDFT.

Para minha alegria, fui aprovado nos dois concursos prestados no Distrito Federal. No cargo de Escrivão de Polícia da PCDF, fui classificado na 83ª posição, e, no do TJDFT, na 77ª posição. Como queria continuar em Brasília, acabei abandonando o concurso de Delegado do Mato Grosso do Sul, não prosseguindo nas demais fases.

Fui nomeado no ano de 2009, praticamente na mesma época, nos dois concursos prestados no Distrito Federal e optei pela carreira de Oficial de Justiça do TJDFT. Como assumi esse cargo no Tribunal, acabei diminuindo meu ritmo de estudos (sendo este meu maior erro) e a resposta veio no concurso de Delegado de Polícia do Distrito Federal realizado no ano de 2009. Fui classificado na primeira fase na 1024ª posição, mas apenas os duzentos melhores foram convocados para as demais etapas.  Nem tudo na vida de um concurseiro são flores!

Apesar da carreira de Oficial de Justiça do TJDFT ser ótima, não me sentia realizado e decidi voltar a estudar. Eu queria ser aprovado no concurso de Delegado de Polícia do Distrito Federal, mas sabia que não iria abrir um novo concurso tão cedo.

Voltei a estudar em um ritmo mais tranquilo (cerca de duas horas por dia) e prestei os concursos de Delegado de Polícia de Alagoas e do Rio de Janeiro para treinar. Obtive aprovação nos dois, mas abandonei o de Alagoas na fase do teste de aptidão física e o do Rio de Janeiro na fase subjetiva. Não queria sair de Brasília.

No final ano de 2014, finalmente saiu o concurso de Delegado de Polícia do DF e com 200 vagas! O único pensamento que veio à minha cabeça foi: uma vaga é minha!

Intensifiquei os estudos, sacrifiquei férias, feriados, finais de semana e, depois de todas as fases (prova objetiva, discursiva, oral, física, médica, psicotécnico, vida pregressa, títulos e curso de formação), fui classificado na 121ª posição! Depois de todos esses anos, finalmente posso dizer: SOU DELEGADO DE POLÍCIA DA PCDF COM MUITO ORGULHO!

Essa foi minha trajetória nos concursos públicos! Nunca desista dos seus sonhos! Faça sua parte! Persista! Sua vitória também vai chegar!


André Coelho – Ex-Técnico Judiciário do Tribunal Regional Eleitoral, ex-Analista de Políticas Públicas e Gestão Governamental do DF, aprovado e nomeado para o cargo de Escrivão de Polícia da PCDF (concurso do ano de 2007), ex-Oficial de Justiça Avaliador Federal do TJDFT, Delegado de Polícia da PCDF


Estudando para concursos públicos? Prepare-se com quem tem tradição de aprovação e anos de experiência em concursos públicos. Cursos online com início imediato, visualizações ilimitadas e parcelamento em até 12x sem juros!

Para o Topo