OAB debate com MEC texto final do Marco Regulatório do Ensino Jurídico

Avatar


6 de Maio de 2014 1 min. de leitura

Oab_debate_com_Mec_texto_final_do_marco_regulatório_do_ensino_jurídico

Brasília – O Conselho Federal da OAB participou de reunião com o Ministério da Educação na quinta-feira (24) para debater o texto final do novo Marco Regulatório do Ensino Jurídico no país. A Comissão Nacional de Educação Jurídica – CNEJ elaborou proposta pela OAB, após coordenar 32 audiências públicas realizadas durante o ano de 2013, patrocinadas pelo Conselho Federal e por todas as seccionais. A votação sobre o novo texto deve ser concluída na sexta-feira (25), pois algumas outras propostas ainda estão sendo discutidas.

Segundo o presidente da Comissão, Eid Badr, a proposta da OAB além de levar em conta a experiência consolidada da CNEJ nos processos avaliativos dos cursos jurídicos, também, considerou a participação de mais de 4.000 pessoas nas audiências públicas realizadas em todas as unidades da federação. “Foi um esforço inédito da Ordem que envolveu todas as suas seccionais na realização de audiências públicas para oportunizar à comunidade acadêmica e às carreiras jurídicas do país a participação democrática no debate sobre o marco regulatório do ensino jurídico. Neste aspecto, nenhuma tese em discussão, hoje, tem a abrangência e a marca democrática que imprimimos à nossa proposta. A Ordem, por suas tradições democráticas, não poderia permitir que os principais atores do processo educacional jurídico ficassem de fora desse histórico debate. Estão de parabéns a diretoria nacional, os conselheiros federais, os membros da CNEJ e as seccionais”, afirmou Badr.

Sobre as expectativas da receptividade da proposta da OAB, Eid Badr disse que acredita “que o MEC saberá dar o peso devido à proposta que surgiu do debate no seio da comunidade jurídica, especialmente, da acadêmica”.    Para o presidente do Conselho Federal, Marcus Vinicius Furtado Coêlho, a proposta da Ordem sempre foi debater de forma democrática as mudanças no Marco Regulatório do Ensino Jurídico brasileiro. “Essa gestão tem o compromisso com a qualidade da educação jurídica. Queremos regras claras, deliberadas com a participação da sociedade”, afirmou em outubro. “O processo de discussão é democrático e foi debatido com diretores de instituições de ensino superior, estudantes, professores e interessados. Esse trabalho é extremamente relevante e pode implicar em mudanças na estrutura dos cursos.”

FONTE: OAB

Depoimentos relacionados

Isabela Vitti
1º lugar - Auditor do TCDF

Isabela Vitti Vieira Borges nasceu e reside em Brasília/DF, cidade onde viu se concretizar o grande sonho de ser aprovada…

Eduardo Ghellere
5º lugar - Escrivão da Polícia Federal

Eduardo Ghellere Olivo estudou por oito meses e meio para o concurso PF. Seus estudos começaram após vender a participação…

Gilson José
Escrivão da Polícia Civil do Rio Grande do Sul

Em busca de estabilidade e de melhores salários para dar uma melhor condição de vida para a família, Gilson José…

Emili Rietta
Polícia Rodoviária Federal

O desejo de fazer a diferença, inspirou a nossa aluna Emili Barro Rietta a fazer concursos públicos. Além desse desejo…

Eduardo de Sousa Menezes
Papiloscopista da Polícia Federal

Eduardo Sousa de Menezes foi aprovado na primeira etapa do Concurso PF para o cargo de papiloscopista e agora está…

Pedro Higor Faustino
Agente da Polícia Federal

Pedro Higor Faustino é natural de Juazeiro/BA, mas reside desde pequeno em Brasília/DF, onde mais tarde começaria a sonhar com…

Gabriel Evangelista
Escrivão da Polícia Federal

Nosso aluno Gabriel, aprovado no concurso PF, disse não ter acreditado quando viu seu nome na lista de aprovados, a…

Daniele Laís
5º lugar - IBGE

Daniele Laís saiu de seu emprego no SENAC DF aproveitando um momento de mudança no seu cargo, hoje extinto, e…

Avatar

Equipe de Comunicação do Gran Cursos Online
0

0


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *