Quero estudar para concursos. Por onde começar?


25/11/2021 | 16:10 Atualizado há 47 dias

Muita gente acha que estudar para concursos significa somente se sentar e estudar.

Mas eu já começo este artigo te perguntando: o que é estudar? Você sabe me

responder?

A gente aprende a vida inteira que estudar significa ler, talvez fazer um resumo (que

muitas vezes fica maior que o material original) e, quem sabe, fazer umas questões… E

a maioria de nós só “estuda” fazendo a primeira parte, que é ler.

Talvez essa tática funcione para a escola ou para a faculdade, em que o conteúdo é

pouco, quebrado em vários dias de prova com pouco conteúdo. Mas essa não é a

realidade dos concursos públicos, e você já deve saber disso. A extensão e quantidade

das matérias cobradas é enorme, e você vai fazer todas as provas em um único dia. A

não ser que você seja uma pessoa com uma memória digna de testes e prêmios, você

não vai conseguir aprender e memorizar tudo somente lendo.

Então o que eu faço? Você deve estar se perguntando… Aí é que eu entro: você precisa

se planejar, se organizar e estudar com técnica. Não é achismo, não é o que funciona

comigo, são técnicas baseadas em diversos estudos científicos. Mas vamos por partes.

Ah, essas dicas servem também para você que está estudando há algum tempo e ainda

não conseguiu a sua tão sonhada aprovação. Sim, não fique chateado, mas é que, se

você ainda não passou, algo deve estar errado no seu planejamento e na sua forma de

estudar…

1) ESCOLHA A ÁREA

Antes de começar a estudar, você precisa saber para qual concurso vai estudar. Parece

simples, né? Mas aí você pensa: “já sei, vou estudar para tribunais” ou “vou fazer área

policial”.

Hmm… e aí eu vou te dizer que “tribunais” não é área, e “carreiras policiais” é uma

área macro e você precisa ser um pouco mais específico. Calma, eu explico.

Pense o seguinte: tribunais é muuuuito amplo. O que é cobrado em uma prova de TRT

é bem diferente do que é cobrado em TRFs ou em TREs ou até TJs. São trabalhos

diferentes, em áreas diferentes e, consequentemente, as matérias exigidas nas provas

são diferentes.

A mesma coisa para as carreiras policiais. Essas são um pouco mais parecidas, mas o

que é cobrado na PF é diferente do que cai na PCDF, que é distinto do cobrado na

PMRJ, por exemplo.

Então, se você me disser que quer fazer provas de polícias civis ou de tribunais do

trabalho, por exemplo, eu te direi que agora sim você está no caminho certo.

 

Tá, mas e se eu não tiver a mínima ideia do que quero fazer? Bom, eu acho que você

tem sim uma ideia… Pense o seguinte: você se vê trabalhando mais na rua ou em

escritório? Gostaria de trabalhar em plantões (e não ter sempre finais de semana,

feriados, etc.) ou prefere dias de semana somente? Você é uma pessoa mais ativa ou

menos? Tem alguma área de interesse especial (administrativa, eleitoral, gabinetes,

RH, eventos, etc.)?

Só por isso você já consegue excluir muitas áreas e ficar mais próximo daquilo que

gostaria de fazer. A partir daí, procure órgãos que tenham cargos e outras vantagens

que você gostaria de ter, por exemplo: trabalhar de 6h a 7h por dia? Em turnos? O tipo

de trabalho, onde tem mais opções desse tipo de trabalho que você gostaria de ter.

Talvez órgãos com teletrabalho? Ou com opção de progressão de carreira… Pesquise!

2) LEIA O EDITAL COMPLETO

Concursando é um bicho afobado, né? Vai correndo ver o salário, a quantidade de

vagas e as matérias que caem na prova e acaba esquecendo que todas aquelas outras

letras e palavras que estão no edital também são muito importantes.

Eu sempre falo para os meus alunos que eles precisam ler o edital completo, mesmo

quando acham que não tem nada de importante lá.

O edital é a regra do concurso. Lá estão todos os direitos e deveres dos candidatos

(sim, você!), e você precisa saber quais são. Já vi gente levar somente caneta azul para

prova que só permitia caneta preta, já vi gente ficando sem lanche porque levou em

pacote que não era transparente, já vi gestante não fazer prova por achar que não

poderia remarcar o TAF, já vi gente que não conseguiu acomodação apropriada por

não informar que estava grávida ou que precisava de auxílio especial na hora de fazer

a prova. Isso são direitos e deveres que estão lá no edital, e você pode perder sua

prova só por não os conhecer.

Principalmente agora, em época de pandemia, já vi edital que exigia a troca de

máscara, a aferição de temperatura, que o candidato levasse o próprio álcool em gel…

Imagina se você não lê o edital e não leva máscara extra ou seu álcool?

Então SEMPRE leia o edital completo! Não vá perder prova por bobeira!

3) POR QUAIS MATÉRIAS COMEÇAR?

Bom, vou dividir este tópico em três partes:

a. Se você já souber qual prova vai fazer e já tiver um edital antigo (de ATÉ 10

anos), mas não houver previsão de edital novo tão cedo:

Aqui você tem duas opções: você pode fazer seu planejamento com todas as matérias

do edital anterior OU pode fazer somente com algumas matérias selecionadas.

b. Se você já souber qual prova vai fazer, tem um edital antigo (de até 10 anos) e

tem previsão de um novo edital bem recente.

 

Nesse caso, você já não tem tanto tempo para estudar, então já precisa fazer seu

planejamento com todas as matérias do edital, mas fique de olho para possíveis

alterações que venham no próximo edital.

c. Não tem uma ideia clara de qual concurso quer prestar, mas quer começar a

estudar.

Nesse caso, eu sugiro que você comece pelas matérias básicas que caem na maioria

das provas e concursos: língua portuguesa, matemática – raciocínio lógico,

atualidades, informática, ética e direitos constitucional e administrativo.

Quando você decidir qual concurso quer fazer, pode adicionar as demais matérias ou

esperar terminar as básicas. Isso vai depender do seu tempo disponível de estudos e

do tempo até a prova.

4) QUANTAS HORAS DEVO ESTUDAR POR DIA?

Outra coisa importante a se avaliar: quantas horas você deve estudar por dia.

Existem alguns parâmetros gerais que damos aos alunos:

– alunos iniciantes ou sem previsão de edital: de 1 a 2 horas líquidas de estudos por

dia;

– alunos que já estudam há algum tempo ou que já têm previsão de edital próximo: de

2 a 4 horas líquidas de estudos por dia;

– alunos avançados ou em pós-edital: de 4 a 6 horas líquidas de estudos por dia.

Mas perceba que esses são parâmetros gerais. Nem todo mundo vai ter 6h líquidas por

dia para estudar. E nem todo mundo que tem 6 horas líquidas vai conseguir estudar

esse tempo todo.

Para saber quantas horas reais você tem para estudar durante o dia, sugiro que você

comece fazendo uma planilha. Registre a hora que você acorda até a hora que vai se

deitar. A partir disso, preencha TODOS os momentos do dia em que você faz alguma

coisa: trabalho, escola, faculdade, atividades físicas, deslocamentos, preparos de

refeições, as refeições, faxina, passeios com pets, atividades dos filhos, tempo com a

família, igreja e quaisquer outras atividades que você faça durante a sua semana.

Depois que terminar, você vai começar a ter uma ideia real do tempo que você tem

para estudar e do que eu chamo de “tempo de reforço”, que são aqueles momentos

em que você consegue reforçar seu conhecimento ouvindo áudios de legislações, seus

resumos gravados, aulas bônus…

 

5) AS FERRAMENTAS PRÁTICAS

Existem duas ferramentas de organização dos estudos, o Quadro Horário e o Ciclo de

Estudos. Eu gosto sempre de lembrar que o Ciclo de Estudos vem coladinho em um

Plano de Estudos.

 

a. Quadro Horário

Sabe essa planilha que você fez com seus horários dos dias? Agora você completa nela

os espaços voltados para o estudo para concursos, com as matérias que tem que

estudar.

Vamos supor que segunda às 9h você tenha um espaço “em branco”. Aí vai lá e coloca

língua portuguesa. E assim por diante.

A vantagem do QH é que ele vai determinar exatamente a hora em que você vai se

sentar para estudar e qual matéria vai estudar naquele dia (com o número da aula,

inclusive).

A desvantagem é que, se você não consegue estudar língua portuguesa às 9h da

manhã de segunda-feira, você está automaticamente com a matéria “atrasada”, e isso

causa uma sensação muito ruim na gente, o que pode até atrapalhar os estudos de

uma forma geral.

b. Ciclo de Estudos

O ciclo de estudos é uma indicação da ordem das matérias a serem estudadas. Ele não

determina dia nem horário, somente a sequência.

Eu coloquei lá em cima que o Ciclo vem coladinho em um Plano de Estudos, lembra?

Isso porque você precisa saber não somente a ordem das matérias, mas também

acompanhar em qual aula você parou, qual a próxima a ser estudada etc.

A vantagem é que não há essa sensação de aula ou matéria atrasada, pois, se você não

conseguiu estudar em um determinado dia e horário, sabe que, da próxima vez que se

sentar para estudar, vai ser aquela matéria determinada na sequência do ciclo.

A desvantagem é que esse excesso de flexibilidade também pode causar um excesso

de procrastinação. Se você não tem uma hora determinada para estudar, tende a

deixar para depois.

O Plano de estudos é uma planilha simples, mostrando que, por exemplo, no primeiro

momento em que você for estudar língua portuguesa, você vai estudar as aulas 1 e 2,

depois 3 e 4 e assim por diante. Gosto de fazer meu plano, imprimir e colocar em um

lugar visível, para assim acompanhar minha evolução nos estudos. Sempre marco de

verde as aulas terminadas e, se por acaso não consegui estudar naquele dia, basta não

marcar.

6) ACOMPANHE SUA EVOLUÇÃO

Essa percepção visual da sua evolução é muito importante! Por isso que eu sou tão a

favor de deixar o plano de estudos sempre à vista, de ter um local somente para

anotações das questões feitas e da sua porcentagem de acertos (nesse caso, eu prefiro

uma planilha do Excel com gráficos), de ver e ajustar os materiais de revisão quantas

vezes forem necessárias.

 

Saber que está fazendo o necessário é importantíssimo para você se sentir mais

confiante, mais seguro e assim estudar melhor e ter mais chances de passar!

 

7) ORGANIZAÇÃO DO LOCAL DE ESTUDOS

A falta de organização nos atrapalha demais. Ter muitas coisas em cima da sua mesa

de estudos traz distrações, excesso de informações (mesmo que você não esteja

olhando diretamente para tudo, o seu cérebro percebe o excesso de coisas em cima da

mesa e as processa, trazendo uma estafa mental).

Além disso, quanto mais “percalços” você tiver no caminho, maior a chance de você

não estudar, ou não conseguir se concentrar da forma necessária, então aproveite

para beber água, ir ao banheiro, pegar o café e se alimentar antes de iniciar os

estudos, para não se desconcentrar por necessidades básicas.

Também deixe todo o material separado e preparado no dia anterior. Momento de se

sentar para estudar não é momento de ir procurar cadernos, canetas etc. Deixe tudo

que utilizará no dia seguinte já separado quando você terminar os estudos no dia

anterior.

Bom, essas foram as primeiras dicas sobre organização e planejamento para provas e

concursos. Seguindo essas indicações, você já vai conseguir ter um avanço substancial

nos seus estudos!

Bons estudos!

Equipe do Gran Cursos Online
1

0

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *