Será que tudo passa?

Juliana Gebrim


17/08/2021 | 16:26 Atualizado há 62 dias

O senso comum e o achismo falam, de uma forma geral, que tudo passa. Como profissional há 22 anos, eu digo: existem situações que se chamam traumas. E essas possuem uma profunda raiz e que pode prejudicar muito nosso sucesso. Neurologicamente falando, por meio de exames de neuroimagem, constata-se que os traumas são áreas congeladas no nosso cérebro que impedem a conexão de áreas de uma forma uniforme. Isso tudo comprovado de forma científica.

Em algum momento na sua vida, você pode afirmar que algo ocorreu e que você nunca mais foi o mesmo? Você acha que o seu passado, uma situação inesperada, ou a forma como foi criado, um abuso sexual, podem ter diminuído a qualidade da  sua vida? De que forma alguns traumas do seu passado podem ter conduzido a sua produtividade nos estudos e a regulação das suas emoções? Vamos falar sobre isso!

Lembre-se da sua infância ou até mesmo do momento do agora, você adulto. Todos, em algum momento, passamos por uma situação frustrante que carregamos até hoje. A boa notícia é que tais questões podem ser ressignificadas. E como essa palavra “ressignificação” tem sido vulgarizada! Ressignificação de verdade só acontece com profissionais formados em Psicologia. Podemos ser influenciados em momentos cruciais. Mas isso não define o sucesso ou fracasso. Algumas pessoas que não possuem a formação em Psicologia dizem que só de você lembrar de um evento, a cura se instaura. Soluções simples para problemas complexos NÃO EXISTEM.

Situações dolorosas temperam a nossa vida no sentido de serem uma faca de dois gumes: trazem sempre dor. Se soubermos superar essa dor de uma forma adequada, criaremos cascas e seremos mais resilientes.

Cuidado com pseudoprofissionais que dizem que tais questões definem a sua vida. Elas podem afetar a QUALIDADE de vida, e não ser definidoras. Pessoas que tiveram muita dificuldade na vida deram a volta por cima e hoje são bem sucedidas. Outras, que tiveram uma estrutura firme, condições favoráveis, não se tornaram pessoas evoluídas em vários aspectos. Temos a influência do PASSADO, aliada à questão GENÉTICA e ao MOMENTO ATUAL da vida do indivíduo – sem ESSES TRÊS FATORES, não há uma definição da história da pessoa.

Muitas pesquisas chegaram à conclusão de que tais questões INFLUENCIAM o nosso aprendizado. E isso, para mim, é muito claro. Temos várias feridas, como o medo do abandono, o medo de sermos julgado, o medo da rejeição, a sensação de incapacidade, a sensação de impotência, dentre outras questões que influenciam os estudos. Quer saber de que forma tais feridas e muitas outras podem te impedir de crescer? No nosso Divã de terça, falaremos sobre o assunto e também exercitaremos uma técnica para acessar tais conteúdos.

AGUARDO VOCÊ!

Juliana Gebrim

Psicóloga clínica e neuropsicóloga com mais de 20 anos de experiência em psicoterapia
0

0

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *