A ansiedade é sua inimiga. Aprenda a driblá-la.

Gabriel Granjeiro


09/01/2017 | 13:53 Atualizado há 1567 dias

A ansiedade é sua inimiga. Aprenda a driblá-la.

A ansiedade é sua inimiga. Aprenda a driblá-la. Por: Gabriel Granjeiro.

Muitos candidatos a uma carreira no serviço público já acordam ansiosos, agitados, com os pensamentos a mil. Afinal, além de terem de resolver uma porção de coisas ao longo do dia como qualquer outra pessoa, eles ainda precisam vencer uma grande quantidade de conteúdos em pouquíssimo tempo até o dia da prova. Sem contar que precisam estar atentos e manter a mente preparada para registrar na memória de longo prazo toda nova informação, para que seja acessada no dia da prova.

O psiquiatra mais lido do Brasil, Dr. Augusto Cury, advoga que a ansiedade é o mal do século. A doença atinge 90% da população em algum momento da vida, da infância à idade adulta, e apresenta sintomas como fadiga excessiva ao acordar, dor de cabeça, sensação de nó na garganta, queda de cabelo, dificuldade de lidar com pessoas mais lentas, sofrimento por antecipação e deficit de concentração e de memória, sem mencionar a hoje tão comentada Síndrome do Pensamento Acelerado (SPA). Pessoas que sofrem de ansiedade costumam, ainda, ter dificuldade de lidar com perdas e não reagem bem a estímulos que provoquem estresse. Muitas delas precisam de medicamentos e de terapia para controlar a doença e acalmar o corpo e o espírito de forma que consigam se concentrar nos estudos, no trabalho ou em atividades simples como provar roupas que precisam comprar. Outras recorrem à meditação ou à atividade física, como caminhada de alta intensidade, corrida ou outra modalidade aeróbica, que propicia a oxigenação do cérebro, acalma a alma e aumenta a concentração e a capacidade cognitiva.

“No caso específico do concurseiro que sofre de ansiedade, o que já seria desafiante ganha contornos ainda mais dramáticos.”

No caso específico do concurseiro que sofre de ansiedade, o que já seria desafiante ganha contornos ainda mais dramáticos. Ele não tem opção a não ser aprender a controlar a mente com maestria, seja para assimilar os conteúdos que precisa vencer, seja para ter domínio sobre as emoções e não ser acometido pelo temido “branco” no dia D. Um bom começo para alcançar esse autocontrole é focar menos na chegada e mais na caminhada. O candidato precisa saber desfrutar do processo de preparação, vivendo – e curtindo – um dia depois do outro. Afinal, o sucesso ainda está por vir, e viver da antecipação sobre como ele será só produz mais e mais ansiedade.

“As mudanças comportamentais que vamos sugerir o ajudarão a focar mais no presente – que é o que interessa de fato – em vez de continuar a desperdiçar dias, meses e anos sofrendo por antecipação por problemas que podem nunca vir a ocorrer.”

Para ajudar a quebrar o nocivo padrão mental que leva a esse mal, selecionamos algumas dicas de comportamento que você, amigo concurseiro e leitor, deve adotar a partir de hoje. As mudanças comportamentais que vamos sugerir o ajudarão a focar mais no presente – que é o que interessa de fato – em vez de continuar a desperdiçar dias, meses e anos sofrendo por antecipação por problemas que podem nunca vir a ocorrer. Vamos a elas?

  1. Evite más notícias ao acordar

Fuja delas pelo menos até você estar pronto para sair de casa. Nada de acordar conectado, em especial ao trabalho, a desgraças, a catástrofes, a chacinas, a atentados terroristas. O choque de deparar logo cedo com notícias desagradáveis “gera uma descarga de adrenalina intensa no organismo logo pela manhã. Com ela lá no alto, o corpo inicia um ciclo ansioso que fica difícil cessar”, explica a Dra. Fernanda Ramallo, psiquiatra do Hospital Adventista Silvestre, no Rio de Janeiro.

  1. Evite despertadores excessivamente barulhentos

Acordar assustado com o barulho do celular ou do relógio, programados para tocar tão alto que seriam capazes de acordar até o vizinho mais distante da rua, pode comprometer o seu bem-estar. “Despertar com um barulho estrondoso desencadeia um estresse que pode perdurar por todo o dia”, alerta a especialista.

Se você é daqueles que só acordam com o celular gritando, experimente dormir com a cortina aberta, para que a luz do dia entre no quarto e ajude a despertá-lo com mais naturalidade. Alternativamente, programe seu despertador para tocar uma música clássica barroca. Esse gênero musical cria sintonia com a aprendizagem, ajuda na concentração e prepara a mente para os estudos, contribuindo para a realização de projetos pessoais e profissionais.

  1.  Evite pular o café da manhã

Sair de casa sem ter tomado o desjejum deixa o seu aporte energético em deficit antes mesmo do começo do dia. Sem energia suficiente para executar as tarefas diárias, o corpo passa a realizá-las de modo mais lento. O resultado? Sonolência, falta de ânimo para executar até mesmo as tarefas mais triviais, menos produtividade. Como explicam os psiquiatras, esses sintomas são o combustível perfeito para as crises de ansiedade.

  1. Pratique a tolerância e a compreensão

Abílio Diniz, um dos maiores empreendedores brasileiros, já foi um cara durão, estressado, ansioso, impaciente. No livro “Novos caminhos, novas escolhas”, ele relata que, com o tempo, passou a entender melhor seu universo emocional, suas fraquezas e seus medos. Hoje, compreende a própria maneira de ser e se coloca mais no lugar do outro, tendo desenvolvido mais tolerância e compreensão.

Quando uma pessoa desenvolve sua capacidade de empatia, o jogo se torna uma partida de ganha-ganha: ela se torna apta a perceber nos outros o melhor que eles têm a lhe oferecer. Isso faz toda a diferença quando se está buscando a aprovação em concurso público, já que o trabalho em equipe, o estudo em grupo e a ajuda e o apoio dos amigos, colegas e mestres podem ser o grande diferencial entre a reprovação e uma boa classificação. Pense nisso. Pratique isso.

  1. Organize e planeje bem o seu tempo

A falta de habilidade em administrar o tempo é a causa da maioria dos problemas que geram estresse entre os candidatos a concurso público, o que tende a aumentar consideravelmente a ansiedade. Seja diferente e programe suas atividades de leitura e de estudo com a maior antecedência possível. Se já não houver tanto tempo assim, lembre-se de que mesmo uma semana pode ser o suficiente para um bom planejamento, desde que você a aproveite bem.

Um dos bons hábitos de executivos bem-sucedidos diz respeito direta ou indiretamente ao controle do tempo e à organização da agenda. Trata-se de eleger prioridades e de definir com precisão as tarefas importantes que devem ser executadas dia a dia.

Beba dessa fonte. Não agende mais tarefas do que você é capaz de executar, pois isso só vai resultar em maior frustação no fim do dia. E tenha sempre em mente que muito do que você faz nas 18 horas diárias em que está acordado é inútil. Daí a importância de discernir o que é, de fato, importante e de eleger prioridades. Se a aprovação em um concurso for uma das suas, os estudos precisarão vir em primeiro lugar, em detrimento de outras tarefas e de outros compromissos menos relevantes. Essa é mais uma dica do empresário Abílio Diniz. Se funciona para ele, tenho certeza de que também funcionará para você, concurseiro.

  1. Pergunte a si mesmo se o que você julga ser uma tragédia é de fato uma

Reflita sobre o que são tragédias de verdade. Quando você pensa sobre isso, percebe que pouquíssimos eventos na vida podem realmente ser considerados trágicos o bastante para nos deixar ansiosos ou estressados. Para mim, algo trágico pra valer seria uma guerra, um desastre natural, um ataque terrorista, o acometimento por uma doença incurável ou a morte de uma pessoa próxima. O resto das situações ruins são problemas que têm solução.

Quando se enxerga a vida dessa forma, desenvolve-se mais serenidade para resolver os problemas do dia a dia e conclui-se que não há razão para se aborrecer com coisas sem importância. Fica mais fácil direcionar as energias para projetos mais auspiciosos, como a mudança de vida que será alcançada por meio da aprovação em um excelente concurso público.

  1. Evite o convívio com pessoas pessimistas

Pessoas derrotistas tendem a falar apenas sobre desgraças: doenças, mortes, fracassos etc. Poucos minutos de conversa com gente desse tipo têm o poder de minar nossas energias e de acabar com nossa paz e com nossa concentração. Pessoas que veem o lado mau em tudo são treinadas para difundir apenas ideias ruins que nada agregam aos planos de estudo e às táticas de aprovação adotadas por quem estuda para concurso. Portanto, fuja delas como o diabo foge da cruz. E dê uma olhada (aqui) neste artigo que escrevemos sobre a grande importância do pensamento positivo.

Um último conselho: muito cuidado. Quanto maior a pressa em atingir os seus objetivos, maior a ansiedade. Mente acelerada é mente desequilibrada. Vá com calma e leve o tempo que precisar para ser aprovado. Lembre-se do lema: “Não estudamos para passar, mas estudamos até passar”.

Para livrar-se da ansiedade, respire fundo – lenta e compassadamente – e concentre-se nas soluções dos problemas concretos, aceitando a real possibilidade de fracassar, de errar, de perder. Não tenha pressa e saiba conviver com a insegurança. É preciso entregar uma parte da nossa vida a Deus, ao destino, à sorte; mas, quando fazemos a nossa parte com maestria, nossas chances de sucesso aumentam exponencialmente.

Vamos juntos, com equilíbrio, até a posse no cargo dos sonhos!

PS: Siga-me (moderadamente, é claro) em minha recém-lançada página do Facebook e em meu perfil do Instagram. Lá, postarei pequenos textos de conteúdo motivacional. Serão dicas bem objetivas, mas, ainda assim, capazes de ajudá-lo em sua jornada rumo ao serviço público.


Gabriel Granjeiro

GabrielDiretor-Presidente e Fundador do Gran Cursos Online. Vive e respira concursos há quase 10 anos. Formado em Administração e Marketing pela New York University, Leonardo N. Stern School of Business. Fascinado pelo empreendedorismo e pelo ensino a distância.

 

 

 


Gabriel Granjeiro

Presidente e sócio-fundador do Gran Cursos Online
0

53


Tudo que sabemos sobre:

ansiedade concurso publico motivação


Comentários (53)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *