As oportunidades da residência em oncologia para o farmacêutico.

Alexandre Martins


17/09/2021 | 17:06 Atualizado há 22 dias

Uma área da saúde em plena expansão é a oncologia, por motivos muito óbvios, um deles é crescimento populacional, somado a este fator, o envelhecimento e portanto, o aumento da incidência de doenças crônicas não transmissíveis. O câncer uma doença prevalente que demanda mão de obra especializada, possui legislação profissional e sanitária específica sobre o tema. Quando me questionam sobre uma área de futuro para o farmacêutico, eu indico a oncologia, no caso da residência, um verdadeiro passaporte para o crescimento profissional, começando a carreira com o “pé direito”, literalmente, vou explicar os detalhes desta oportunidade neste artigo.

A residência em oncologia para o farmacêutico destina-se a especializar profissionais da saúde e está de acordo com a Lei n° 11.129, de 30 de junho de 2005, a Portaria Interministerial 1.077, de 12 de novembro de 2009, e as demais resoluções emanadas pela Comissão Nacional de Residência Multiprofissional em Saúde (CNRMS). A proposta pedagógica do Programa fundamenta-se na interdisciplinaridade, em conceitos filosóficos e metodológicos que partem da análise das transformações sociais e do mundo do trabalho, no contexto atual – a Educação Problematizadora.

Vamos começar nossa conversa com a análise da resolução Nº 640 de 27 DE ABRIL DE 2017, a qual estabelecendo titulação mínima para a atuação do farmacêutico em oncologia. Os pontos importantes:

“Art. 1º – É atribuição privativa do farmacêutico o preparo dos antineoplásicos e demais medicamentos que possam causar risco ocupacional ao manipulador (teratogenicidade, carcinogenicidade e/ou mutagenicidade) nos estabelecimentos de saúde públicos ou privados.

No artigo primeiro, fica evidente que é ato privativo do farmacêutico a manipulação dos medicamentos antineoplásicos, isso reforça que as habilidades para trabalhar nesta área da farmácia são intrínsecas da profissão. O parágrafo primeiro, no item “b”, demostra a importância da escolha pela residência.

 

1º – Para o exercício de atividades de preparo dos antineoplásicos e demais medicamentos na oncologia, deverá o farmacêutico atender a pelo menos um dos seguintes critérios, validado pelo Conselho Regional de Farmácia de sua jurisdição:

a) ser portador de título de especialista emitido pela Sociedade Brasileira de Farmacêuticos em Oncologia (Sobrafo);

b) ter feito residência na área de Oncologia;

c) ser egresso de programa de pós-graduação lato sensu reconhecido pelo

Ministério da Educação (MEC) relacionado à farmácia oncológica;

d) ter atuado por 3 (três) anos ou mais na área de oncologia, o que deve ser comprovado por meio de Carteira de trabalho e Previdência Social (CTPS) ou de contrato e declaração do serviço, com a devida descrição das atividades realizadas e do período de atuação.

 

Então, o Conselho Federal de Farmácia reforça que apenas um Especialista em Oncologia pode manipular os medicamentos, neste contexto, fazer a residência é uma forma de obter o seu título de especialista.

 

Deseja mais? Então, já pensou em estudar de forma remunerada? Ou seja, enquanto você estuda e trabalha, a instituição fornece uma bolsa remunerada no valor de R$ 3330,43 mensais (valor mínimo), algumas instituições fornecem auxílios extras para o transporte e alimentação do residente. O residente tem direito a uma bolsa durante os 24 meses de sua capacitação, que pode ser paga pelo Governo Federal (Ministérios da saúde ou educação), estadual ou municipal.

Por meio da residência, seja Uni ou multiprofissional, o farmacêutico tem a oportunidade de se qualificar e buscar uma melhor valorização e colocação no mercado de trabalho, mas para isso você precisa se dedicar, sendo exigidas 60 horas semanais. Nos editais, fica clara a exclusividade do residente para a instituição, mas eu garanto que não sobra muito tempo, pois serão exigidas atividades extra classe, além da apresentação de trabalhos para a equipe multiprofissional.

Qual o valor desta dedicação? A residência em oncologia, para o farmacêutico, é uma excelente oportunidade para aprimorar e fortalecer o seu networking. Um período de constante crescimento, experimentação de desafios e tudo acontecendo de forma prática no ambiente hospitalar. Seu título de especialista é construído na rotina do serviço, no trabalho direto com as equipes, com os colegas farmacêuticos e possivelmente até o próprio paciente, portanto um diferencial de impacto importante.

O programa de Residência Multiprofissional é uma Pós Graduação Lato Sensu, uma especialização voltada para o serviço em saúde.  Trata-se de um programa que favorece a inserção de profissionais qualificados no mercado de trabalho, principalmente pelo conhecimento prático obtido. Além disso, muitos residentes prospectam vagas futuras na própria instituição por meio de concursos e seleções. São dois anos, com uma carga horária total de 5760 horas. Essa carga horária é dividida em 80% de atividades práticas e 20% com aulas no próprio ambiente de trabalho. Para reforçar, a residência poderá ser utilizada pelo concurseiro em processos, nos quais o edital, realiza parte da seleção, com a famosa avaliação de títulos.

Como eu faço para ingressar em um programa de residência? Aqui no Gran Cursos você vai acompanhar as publicações dos principais editais de residência, além disso, cada seleção possui suas próprias características, algumas fazem a análise do candidato pelo currículo, outras pelo histórico e prova oral e a maioria, prova de seleção e entrevista. O interessante é que o processo é mais fácil que os concursos públicos, pois nem todos os profissionais escolhem este desafio após a conclusão do curso. Existem casos impressionantes de falta de preenchimento de residência pelos farmacêuticos.

O Gran Cursos oferece a você uma plataforma de conteúdos para a sua preparação, incluindo vídeo aulas, materiais em PDF, aplicativos e a mentoria dos GranXperts, a qual tenho muito orgulho de fazer parte. O serviço de coaching dos GranXperts ajudam você na elaboração do plano de estudos, por meio de técnicas como o estudo ativo. Portanto, o investimento no seu sucesso começa hoje, os editais abrem a cada ano, no mesmo período, ou seja, prazo suficiente para você estar preparado para a sua aprovação.

 

 

Professor – Alexandre Martins

Farmacêutico – CRF/DF 2226

Conselheiro no CRF/DF

Farmacêutico especialista em Farmácia Hospitalar – UNB

Mestre em Ciências e Tecnologias em Saúde – UNB

Alexandre Martins

Docente, professor e farmacêutico.
0

0

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *