Autotoxicidade: quando o veneno vem de dentro

Juliana Gebrim


12/11/2021 | 16:15 Atualizado há 26 dias

Férias de mim mesma!

Isso te soa como alívio?

Venha que esse texto é todo seu!

Falamos tanto em comportamentos tóxicos dos outros, em machismo dos outros , em abusos dos outros , em narcisismo dos outros. Não estou negando que isso exista.  E quando sou eu que me maltrato? De que forma isso pode acontecer?

Posso ser tóxica comigo mesma, narcisista a ponto de me vitimizar tanto que a minha dor ninguém irá resolver, posso até lutar por direitos iguais entre homens e mulheres e ser machista e julgadora nas minhas próprias atitudes, ou não ter o mínimo de sororidade.

E relações abusivas? Fala-se tanto nisso….E quando você estabelece uma relação abusiva com você mesma? Quando estabelece uma relação abusiva com concurso público?

Quando você se vitimiza, ou se coloca como culpado de circunstâncias que não dependiam só de você, tem veneno.

Quando você nega que precisa de ajuda especializada em alguma questão grave, não busca ajuda de um psicólogo, tem veneno.

Quando você deixa outras pessoas te desrespeitarem e não mostra os limites necessários, tem veneno.

Quando você se engana, não dando tudo de si por um sonho, tem veneno.

Quando você se coloca para baixo, tem veneno.

Quando você finge estudar e diz que reprovou, tem veneno.

Quando você gasta mais do que ganha,tem veneno.

Quando você busca soluções mágicas, tem veneno.

Quando você comete os mesmos erros, tem veneno.

Quer  saber como você se desintoxica e os antídotos contra isso? No nosso divã no dia 22 estaremos ao vivo com esse tema!

Juliana Gebrim

Psicóloga clínica e neuropsicóloga com mais de 20 anos de experiência em psicoterapia
2

0

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *