INSS

Concurso INSS: Concurso cada vez mais próximo! VEJA!

Concurso INSS

Concurso INSS terá chances para nível médio e superior!

Planejamento esclarece critérios para conceder autorização ao do concurso INSS! 

O Ministério do Planejamento divulgou um ofício na última quinta-feira (23), que consta o parecer sobre os trâmites necessários para realizar a autorização do concurso para o Instituto Nacional do Seguro Social (Concurso INSS). O ofício informa quais são os critérios que estão sendo seguidos para analisar o certame e assim definir sobre a autorização. O Instituto solicita 7.888 vagas para nível médio e superior.

O Planejamento formulou esse ofício para esclarecer à Federação Nacional de Sindicatos de Trabalhadores em Saúde, Trabalho, Previdência e Assistência Social (Fenasps) sobre o andamento da autorização do concurso, que necessita de urgência para sua realização. O sindicato tem cobrado constantemente o aval do Ministério Planejamento.

No documento é explicado que os meios para autorizar o certame dependem de aspectos variados. Segundo o Planejamento, estão considerando o atual déficit no órgão, que passa dos 16 mil servidores, considerando as aposentadorias previstas. Confira abaixo alguns dos critérios que são considerados para autorização:

  • Necessidade do órgão demandante, confrontando-a com a de outros
  • Previsão orçamentária e financeira da Administração
  • Conveniência e oportunidade do atendimento da demanda

Diante dos critérios estabelecidos, o Instituto segue como prioridade, pois segundo dados do Planejamento o órgão tem necessidade de pessoal maior do que os outros órgãos que solicitaram concurso público. No momento, o único impedimento para a autorização do certame é a previsão orçamentária.

Veja AQUI o ofício divulgado pelo Ministério do Planejamento! 

Fenasps tem cobrado concurso INSS ao Planejamento

Na primeira semana de agosto aconteceu uma audiência na Secretaria de Gestão de Pessoas do Ministério do Planejamento, em que representantes da Federação Nacional dos Sindicatos dos Trabalhadores em Saúde, Trabalho, Previdência e Assistência Social (Fenasps) estavam presentes para discutir a abertura de um novo concurso para o INSS.

O sindicato frisou a necessidade do certame por conta do déficit de pessoal e o Planejamento não descartou a autorização do concurso neste ano, mas afirmou que para cumprir as metas estabelecidas pela Emenda dos Gastos Públicos n°95, a seleção poderia ficar para o novo governo. A informação foi dada pelo diretor do Departamento de Relações de Trabalho no Serviço Público, Paulo Campolina.

Mesmo com a afirmação do diretor, o concurso não para de se movimentar no Ministério do Planejamento. Desde a última semana já aconteceu mais de quatorze movimentações, sendo a última delas na tarde do dia 13/8. O processo agora encontra-se na Divisão de Concursos Públicos do MP. Isso reafirma as expectativas de que a nova seleção pode ser autorizada em breve, levando em conta a grande necessidade de pessoal que a instituição vem enfrentando. 

Veja abaixo as últimas movimentações do processo no Planejamento:

Movimentações do concurso INSS.

Movimentações do concurso INSS.

Entenda a urgência do concurso INSS

O Instituto possui um déficit de mais de 16 mil servidores e nos três primeiros meses do ano, mais de mil servidores do INSS se aposentaram. E a tendência é de que o número de aposentadorias aumente ainda mais em 2018. Dos 35 mil servidores do INSS, 11 mil já podem se aposentar, e pode chegar a 12 mil até o fim do ano que vem. Segundo o sindicato dos servidores, se não for realizado um novo concurso INSS o sistema pode parar por falta de pessoal.

Os dados sobre as aposentadorias do INSS estão no Painel Estatístico de Pessoal do Ministério do Planejamento e reforçam a necessidade de novo concurso, e da convocação dos excedentes do concurso INSS realizado em 2016.

Para a presidente da Fenasps, Rita de Cássia, que esteve presente na primeira reunião como o novo presidente do INSS, o concurso para o órgão é uma demanda urgente “para que não haja um colapso no atendimento da população é urgente que o INSS realize concurso público com 16 mil vagas para todo país”, afirmou a presidente. Mas apesar da necessidade de 16 mil vagas, o órgão solicitou 10.428 e aguarda autorização!

O pedido para novo concurso tramita no Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão (MPOG). Do total de vagas solicitado 10.101 delas são somente para o cargo de técnico do seguro social.

A carência de pessoal é consequência do aumento acelerado de aposentadorias. Pelo menos 314 das 1.613 das agências em funcionamento têm entre 50% e 100% do quadro de trabalhadores com pedidos de passarem para a inatividade, segundo levantamento do INSS apresentado ao Planejamento no início de 2018.

 A evasão tem ocorrido como resultado de uma jogada que adiou os desligamentos, mas sem ter tido uma política de reposição, ameaça a paralisação dos serviços à população. Em 2016, a Lei nº 13.324 garantiu aos servidores aptos a passar à condição de inativos o direito a incorporarem a Gratificação da Atividade do Serviço Social (GDASS), mas desde que a opção se desse entre 2017 e 2019.

O benefício seria gradativo conforme média dos rendimentos da GDASS nos 60 meses anteriores, sendo 67% em 2017, 84% em 2018 e 100% em 2019. Antes dessa medida, ao deixarem a ativa, havia perda de 50% dessa gratificação. Entre as alternativas para restabelecer os quadros de profissionais, o INSS solicitou o aproveitamento dos aprovados na seleção realizada há três anos.

Os 950 classificados dentro das vagas oferecidas para técnicos e analistas foram convocados e, até meados de agosto — quando vence a prorrogação do prazo de validade —, ainda é possível recorrer ao cadastro de reserva. O Decreto 6.944/2009 só permite a liberação de 50% do total dos cargos oferecidos inicialmente, ou seja, 475. Entretanto, a expectativa é que se consiga autorização para um número maior.

Em paralelo, foi encaminhado ao Ministério do Planejamento, em novembro, junto com o estudo das necessidades, a solicitação para preencher 13.904 postos, sendo 10.101 para técnicos, 1.657 analistas e 2.146 peritos. O pedido avança a passos lentos. No início de abril, deixou a Divisão de Concursos Públicos — onde tramitou por cerca de um mês —  e seguiu para Coordenação-Geral de Benefícios Previdenciários. Se seguir os trâmites corriqueiros, ainda passará pela Coordenação de Gestão de Pessoas, Secretaria de Orçamento Federal, Secretaria-Executiva, Consultoria Jurídica e, só então, segue para a autorização do gabinete do ministro Esteves Colnago.

Depois da autorização, o INSS terá seis meses para divulgar o edital de abertura do concurso INSS e outros 60 dias, no mínimo, para realização das provas objetivas e realizar todas as demais etapas. Ou seja, não se pode esperar por novos servidores em menos de um ano, apesar do assunto ter passado a ser parte das prioridades do Executivo nacional.

Enquanto a solução não chega, o INSS tem promovido concursos internos de remoção, ampliado a estrutura da Central de Atendimentos e lançou, recentemente, o Portal Meu INSS. Internamente, está em fase de implementação o INSS Digital, que tem alterado fluxo de trabalho e promovido a digitalização de processos a fim de reduzir custos e dar mais celeridade às rotinas.

Os candidatos a técnico devem ter nível médio; já os analistas precisam ser graduados e os peritos obrigatoriamente devem apresenta formação em medicina. Além da área de Serviço Social, para o próximo concurso INSS devem ser contemplados os graduados em administração, engenharia, direito, pedagogia, psicologia, comunicação, ciências sociais, arquitetura, letras e outras para o cargo de analista.

Avanços do concurso INSS

O Instituto Nacional do Seguro Social (Concurso INSS) ganhou novas movimentações no Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão (MPDG). Desde a última terça (7), a solicitação recebeu pelo menos dez movimentações e encontra-se na Coordenação Geral de Concurso e Provimento de Pessoal.

A movimentação acontece logo após o prazo do último concurso ter expirado no último domingo (5). 

Déficit sugere urgência do concurso INSS 2018

O INSS conta com déficit de servidores no atendimento aos segurados. O órgão enfrenta problemas que já afetam os serviços oferecidos aos cidadãos e até a liberação de benefícios previdenciários. Sem a realização do concurso INSS, o déficit de pessoal é preocupante nas agências da Previdência. No total, faltam 8.905 servidores nas unidades, segundo nota técnica do INSS, encaminhada ao Planejamento no ano passado.

O número mais preocupante está no cargo de técnico. Em agências contempladas no concurso INSS de 2015, a necessidade é de 1.623 técnicos, sem contar os servidores com abono de permanência, que, em caso de aposentadoria, deixarão as unidades com carência de 2.745 servidores desse cargo.

Em agências que não foram contempladas no último concurso INSS o déficit é de 4.245 técnicos, também sem contar as aposentadorias previstas. Se elas forem confirmadas, a necessidade chega a 6.160.

O presidente do INSS, Francisco Paulo Soares Lopes, teme que o problema vire uma bola de neve e leve à perda de controle na linha de frente da Previdência Social, que é a concessão de aposentadorias, pensões e auxílios.

“Não existe, hoje, indicativo do Ministério do Planejamento de que haverá um novo concurso para o INSS em 2018. É necessário fazer as contas, botar tudo na ponta do lápis, para ver se dá para liberar a seleção. Existe boa vontade, mas é preciso fechar a planilha para saber se terá ou não. Mesmo que eu abra um concurso agora em fevereiro, para que saia do papel demora um ano. Para que os servidores comecem a trabalhar, efetivamente, leva um ano e meio. Assim, a crise ainda permaneceria por, pelo menos, mais um ano e meio. Isso pode virar uma bola de neve, e nós podemos perder o controle do processo”, afirma o presidente.

Concurso INSS: Nomeação de excedentes

Temos um pedido de 475 pessoas, que é o que o decreto permite convocar, ou seja, 50% dos 950 que tinham sido autorizados. Chamar esses 475 é mais fácil. Temos até o meio do ano para conseguir essa chamada. Sempre falo com o Ministério do Planejamento sobre a necessidade de um novo concurso INSS. Isso minimizaria os problemas de atendimento. 

Novo concurso INSS

Há um pedido do concurso INSS 2018/2019 que teve avanços significativos rumo à autorização. O pedido encontra-se, agora, em análise na Assessoria Técnica e Administrativa do gabinete do ministro Dyogo Oliveira.

O avanço ocorreu logo após o presidente do Instituto Nacional do Seguro Social, Francisco Lopes, informar que reiterou ao Ministério do Planejamento a necessidade de que os pedidos de novo edital e de chamada de excedentes da seleção de 2015 sejam autorizados.

Titular da pasta a qual o INSS pertence, o ministro reconheceu a carência de pessoal no Instituto Nacional do Seguro Social. “Essa é uma definição que depende do governo, do Ministério do Planejamento. (O INSS) precisa de funcionários”, comentou.

Questionado sobre as negociações por uma autorização, o ministro informou que acredita num aval após a melhora da arrecadação no país. “Assim que melhorar a arrecadação e a situação econômica, acredito que vão começar a chamar o pessoal que falta do último concurso. (Sobre a nova seleção), ainda tem um prazo do concurso antigo, para chamar quem falta. Essa seleção precisa ser esgotada primeiro, para depois pensar numa nova”, assinalou Osmar Terra sobre o concurso INSS.

O ministro já havia se manifestado favoravelmente ao concurso INSS 2018 e reposições de pessoal no órgão. Na posse do presidente do instituto, Francisco Lopes, o titular do Ministério do Desenvolvimento Social disse que “é preciso trabalhar para aumentar os quadros efetivos de servidores e peritos médicos, que são recursos insubstituíveis”.

Sobre o pedido do concurso INSS 2018

O órgão solicitou 16.548 vagas ao Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão (MPDG) das quais, no mínimo, 7.580 são para um novo concurso INSS. No início desta semana o pedido obteve, ao menos, cinco movimentações.

Segundo o INSS, o pedido de vagas, incluindo a nova seleção, foi encaminhado à pasta em 1º de julho. Datada de 8 de novembro, a nota técnica, de acordo com a autarquia, serve para viabilizar, junto ao Ministério do Planejamento, uma autorização, esperada para este ano.

Na segunda-feira, dia 8, a solicitação chegou ao gabinete do secretário de Gestão de Pessoas da pasta, Augusto Akira Chiba. Das 7.580 vagas para o novo concurso INSS, 3.941 são para o cargo de técnico do seguro social, que exige o nível médio e tem ganhos de R$ 5.344,87.

Foram pedidas ainda 1.493 vagas para analista de várias formações (ainda não reveladas) e 2.146 para perito médico. O cargo de analista é destinado a graduados nas áreas contempladas e tem remuneração de R$ 7.954,09. O perito médico, por sua vez, é para graduados em Medicina, com R$ 10.616,14 mensais. Os rendimentos já contam com o auxílio-alimentação de R$  458.

Concurso INSS

Nota Técnica Concurso INSS

Novos concursos públicos para vagas no Executivo Federal devem voltar a ser autorizados pelo governo federal, afirmou em entrevista o assessor especial do Ministério do Planejamento, Arnaldo Lima Junior.  De acordo com o assessor, esses concursos serão necessários para preencher vagas que serão abertas com a aposentadoria de servidores.

Números do governo mostram que, até 2027, quase 40% dos servidores públicos do Executivo Federal, cerca de 216 mil trabalhadores, devem se aposentar.

“O objetivo é manter a força de trabalho em um quantitativo próximo ano atual. Então, não há dúvida que vai ter uma retomada de contratação nos próximos anos (…) Acho que em 2019 já é um cenário melhor [para concursos]”, afirmou Lima Junior.

Déficit de pessoal do concurso INSS

Enquanto não recebe autorização para contratar os 475 excedentes do concurso INSS de 2015 e realizar uma nova seleção, o instituto segue sofrendo com o déficit de pessoal. Hoje, segundo o instituto, faltam 8.905 servidores apenas em agências da Previdência. A preocupação da autarquia é que, mesmo com concurso válido até agosto, essa carência irá piorar. Se no ano passado 1.869 servidores se aposentarem, a previsão do INSS é que em 2018 as saídas permaneçam. Hoje 3.557 servidores têm condições de aposentadoria.

Concurso INSS

Com a previsão de retomada dos concursos públicos a partir de 2019, ele recomendou que os “concurseiros” não “tirem o pé” e mantenham os estudos. “Concurso público é difícil. Tem que manter focado. A gente sempre acha que nessa área de atendimento ao público direto, INSS, acho que seja uma das grandes desafios, e as universidades também [devem ter reposições de vagas]. Todas as áreas vão voltar a ter concursos [de 2019 em diante]”, declarou sobre concurso INSS

Último concurso INSS

O Instituto Nacional do Seguro Social (Concurso INSS) prorrogou por mais um ano o concurso público homologado pelo Edital nº 13, de 4 de agosto 2016, publicado no DOU de 5 de agosto de 2016,  a partir de 5 de agosto de 2017. Agora, o certame fica valido até agosto de 2018 para as carreiras de técnico e analista do seguro social.

O concurso INSS 2016

Foram oferecidas 950 vagas, sendo 800 são de técnico (nível médio e R$ 5.344,87) e 150 de analista (graduados em Serviço Social e R$ 7.954,09). Os selecionados são contratados pelo regime estatutário, que assegura a estabilidade empregatícia.

O INSS já autorizou a nomeação de 500 aprovados, faltando a pasta autorizar agora 450 vagas, o que deverá acontecer até o próximo mês.

O INSS poderá convocar excedentes, caso solicite o adicional de 50% das vagas ao Ministério do Planejamento. Se isso for pedido e autorizado pelo governo, serão mais 475 vagas, sendo 400 de técnico e 75 de analista. No total, seriam 1.425 contratações. Segundo dados do INSS, dos 33 mil servidores, 11 mil estão em abono de permanência e podem se aposentar a qualquer momento. Esse quadro preocupante fortalecerá a pressão ao governo de nomear mais servidores para a autarquia

Em 2011, quando ocorreu o último concurso INSS de técnico e perito, houve 5.020 convocações, de 6.881 aprovados, ou seja, 133% além da oferta prevista em edital. Os mais de 33 mil servidores prestam atendimento presencial aos quase quatro milhões de cidadãos que procuram as agências mensalmente. Além do atendimento presencial, o INSS atende, ainda, uma demanda de mais de seis milhões de ligações telefônicas mensais – quase 68 milhões por ano – por meio das centrais de tele atendimento.

Etapas concurso INSS

Os candidatos a técnico responderam a 50 questões de Conhecimentos Básicos (Ética no Serviço Público, Regime Jurídico Único, Noções de Direito Constitucional, Noções de Direito Administrativo, Língua Portuguesa, Raciocínio Lógico e Noções de Informática) e 70 de Conhecimentos Específicos (Direito Previdenciário). A prova do concurso INSS para analista teve a mesma estrutura, mas outras disciplinas. Em Conhecimentos Básicos, foi cobrado Língua Portuguesa, Raciocínio Lógico, Noções de Informática, Direito Constitucional, Direito Administrativo, Legislação Previdenciária, Legislação da Assistência Social, Saúde do Trabalhador e da Pessoa com Deficiência.

Detalhes concurso INSS:

  • Concurso: Instituto Nacional do Seguro Social (Concurso INSS)
  • Banca organizadora: a definir
  • Cargos: Técnico do Seguro Social; Analista do Seguro Social
  • Escolaridade: Níveis médio e superior
  • Número de vagas: 10.428 vagas solicitadas 
  • Remuneração: Até R$ 8 mil
  • Situação: nomeações em andamento
  • Previsão: novo concurso em 2018/2019

Gostou dessa oportunidade? Prepare-se com quem tem tradição de aprovação e anos de experiência em concursos públicos. Cursos online com início imediato, visualizações ilimitadas e parcelamento em até 12x sem juros!

Matricule-se!

 

Cheguei Lá

34 Comentários

34 Comentários

  1. paulo

    25/09/2017 22:08 em 22:08

    Não acredito

    • João Rodrigues

      29/11/2017 16:16 em 16:16

      Sabe a diferença entre um pedido de vagas e o que é liberado pelo planejamento? Então, todos pedem muitas vagas sempre, nenhum motivo para duvidar da notícia…

  2. Jakson

    11/12/2017 13:25 em 13:25

    Boa tarde.
    Gran cursos você acham que há possibilidade do edital ser lançado no ano de 2018?

    Atenciosamente,
    Jakson.

  3. Roberto

    14/12/2017 08:58 em 08:58

    Pelo menos uma dessa tem que ser minha! 2018 promete!

  4. Lyn

    08/01/2018 19:20 em 19:20

    Com tantos aprovados excedentes seria um grande desperdício de tempo e dinheiro realizar um novo concurso sem antes nos nomear!! E a vigência vai só até o meio desse ano…

    • Alvaro

      10/01/2018 16:41 em 16:41

      Tem nada a ver..pode ser realizado um novo concurso, contemplando as Gerências executivas que não foram listadas no último Edital, diga-se de passagem, com mais mais déficit de servidores. Mas vamos torcer que nos nomeie logo né?……kkkk

  5. Wanderton Moraes Alves

    09/01/2018 16:51 em 16:51

    perai, quer dizer que das 16.000 vagas, 11.000 eles vão chamar do ultimo concurso? acho que eles vão acabar chamando até quem não passou

    • Valdir Soares

      12/01/2018 06:57 em 06:57

      Onde você viu isso? Cada maluco que me aparece kkkk

    • Regina Joanas dos Santos

      02/07/2018 00:00 em 00:00

      Então que chame eu que acertei mais da metade mais pelas que errei nem apareci na lista, injustiça esse modo de correção, mas tudo bem, fazer o que.
      Protesto assim mesmoooo.

  6. Wanderton Moraes

    09/01/2018 16:53 em 16:53

    ué, então quer dizer que de 17.000 vagas eles vão chamar 11.000 do ultimo concurso? se for assim acho que vão chamar até quem não passou…

    • CBO

      21/01/2018 16:40 em 16:40

      Burro

  7. Alvaro

    10/01/2018 16:50 em 16:50

    A meu ver, um outro concurso é inevitável, no entanto, é tradição do governo trabalhar com Déficit de servidores, acho meio difícil chamar todos os excedentes e ainda homologar mais aprovados do Edital 7, o que daria a totalidade solicitada na nota técnica. Acredito que irão nomear mais a metade dos excedentes e outro concurso será realizado, no mesmo esquema do último certame, edital aberto no final do ano de 2018 com realização no 1º semestre de 2019.

    • Luan

      11/01/2018 10:10 em 10:10

      Acredito que possivelmente irã chamar poucos ou mais nenhum excedente, claro, com toda certeza irã realizar um novo concurso (mesmo que seja em 2019), pois o deficit de servidores só aumenta pelo fato de que existem muitos com abono de permanência mas com direito de se aposentar (tirando os q já aposentaram e exonerações/mortes) e com todas essas mudanças nas regras de aposentadoria muitos irão “pendurar as chuteiras” o mais rápido possível.
      E sim, compartilho da sua ideia, acredito que um novo concurso irá sair ainda este ano com realização mais para o final de 2018 ou no começo de 2019, mesmo com o atual ainda estando válido.

  8. Concurseiro INSS

    13/01/2018 10:44 em 10:44

    Que venha o concurso INSS 2018! Já vou comprar meu curso aqui no Gran Cursos Online.

  9. cleiton

    13/01/2018 13:24 em 13:24

    Pessoal acordem! Eu vi muita gente que estudou 2 anos pra esse concurso e ficou distante no cadastro reserva, pois as notas de corte foram bem altas. Outra coisa, Já pesquisaram quantas nomeações ocorreram? Um cadastro reserva enorme e nomeações quase inexistentes. Esse concurso foi semelhante ao da Defensoria Pública da União. Esqueçam esse concurso e foquem em outro concurso, pois não teremos um grande número de nomeações. Estamos cansados de saber que o governo não realizará nomeações em massa.

    • Valdir Soares

      16/01/2018 08:36 em 08:36

      Só lí verdades nesse comentário. Posso até fazer o concurso do inss, mas, não vou focar nele, pois me parece mais uma matéria desesperada por vendas de cursos do que uma possibilidade real de contratação acima de duas mil pessoas.

      • Alisson Tavares de Souza

        19/04/2018 08:57 em 08:57

        Fiz pra técnico em 2011 ou 2012, fiquei em 8° lugar para uma cidade do interior de Alagoas e nunca fui chamado.
        2 anos depois, 2013, fiz pra analista – Informatica – Brasília

        Fiquei em 37, chamaram todos os aprovados (até o 52) e AINDA sobraram 2 vagas, já saíram mais 4 colegas em 2 anos pra concursos melhores.

        Então fica a dica:
        Faça concurso pra algum lugar que realmente chama muito
        É MUITA BURRICE ESTUDAR ANOS PARA UM CONCURSO QUE CHAMA 2 OU 3 CANDIDATOS, nao adianta tr 1.000 vagas no Brasil, se a seleção é feita por polo e cada polo tem 1 ou 2 vagas e chamam no máximo 5 pessoas
        ou seja, É BURRICE ESTUDAR ANOS PRA UM CONCURSO QUE CHAMA 3 CANDIDATOS

    • Thaiana

      21/09/2018 08:45 em 08:45

      Sabe o que acho que vc quer menos concorrentes por isso está falando essas coisas.

  10. anderson

    14/01/2018 18:19 em 18:19

    Se o ultimo concurso foi realizado em 2016 ele tem validade até 2018 e pode ser prorrogado por mais 2 anos ou seja até 2020… Sera mesmo que vão realizar outro concurso em 2018/2019 ?

    • Eudes Junior

      15/01/2018 10:12 em 10:12

      – O Concurso é de 2015.
      – Resultado foi homologado em 2016.
      – O prazo dele acabou em 2017.
      – Foi prorrogado para 2018.

  11. Carleone

    30/01/2018 11:12 em 11:12

    É fico só com a vontade…

  12. Felipe Abreu

    07/02/2018 16:53 em 16:53

    Quanto mais cedo começar a estudar, maiores as chances de ser aprovado. Recomendo muito o curso online do Gran Cursos !

  13. Aurindo

    09/02/2018 18:52 em 18:52

    E porque não chamam os aprovados no último certame?

  14. Aurindo

    09/02/2018 18:53 em 18:53

    Vou me candidatar a deputado federal para mudar a Lei. Concurso deve ter prazo de validade de 10 anos kkk

  15. Jesusmar

    15/04/2018 15:50 em 15:50

    Não entendo porque não chamam os aprovados no último concurso.

  16. antonia cruz

    17/04/2018 15:58 em 15:58

    Boa é verdade a uma grande falta de servidores, pois aqui em SALVADOR fui na agencia e tinha uma grande fila e muita falta de informação as pessoas ficam perdida sem saber onde se informar ,portanto é preciso ver o lado das pessoas que necessita do atendimento e principalmente quando a empresa divulgar que vai começar as pericia o povo fica aflito pensando que vai perde a aposentaria.

  17. mucio dantas

    24/04/2018 01:21 em 01:21

    Há alguma possibilidade desse concurso ser realizado ainda em 2018 ?

  18. daniel

    24/04/2018 21:05 em 21:05

    Será que sai Analista (Qualquer área de formação)?

  19. Jefferson

    06/06/2018 17:44 em 17:44

    Deveriam mesmo é privatizar o atendimento das agências, a cada ano que passa é mais decadente a incompetência desse pessoal que estuda anos para atender a população e fazer um atendimento horrível e sem empatia. Sem mais.

  20. MILENE GUIÇARDI FERNANDES

    08/06/2018 15:51 em 15:51

    Fiz o último concurso e fiquei em 30º na minha gex, que só tinha três vagas, temos que entender que estas milhares de vagas são distribuídas por todo o Brasil, cada gex tem sua quantidade de vagas disponíveis, daí vc tem que ir muito bem, na minha gex para ficar como excedente, por exemplo, tinha que ficar entre os 18, ou seja nem cheguei a ficar como excedente, até agora só houve as 3 nomeações que eram disponíveis, nenhum excedente foi chamado, é preciso analisar se realmente vale a pena, os cursos não destacam que estas vagas são distribuídas por gex. Na minha gex foram mais de 12000 candidatos para disputar estas 3 vagas…

  21. Aline Péres

    18/06/2018 12:01 em 12:01

    É um tanto covarde a atitude do Governo em se omitir em relação aos excedentes, mas é covardia dos cursinhos fomentar a esperança de pessoas que foram cortadas por força do Decreto e apostar em um novo concurso. O INSS está com um procedimento virtual bastante avançado. Faço requerimentos de benefícios sem sair do escritório. Dificilmente os dados estão errados. Praticamente não há necessidade de atendimento pessoal. Se houver um concurso será para reposição e não essa massa de vagas publicadas pelos cursos…

  22. Sávio

    04/08/2018 23:13 em 23:13

    Como este tipo de concurso é muito concorrido, quanto antes começar a estudar de forma organizada melhor, vou deixar aqui um link de um coach muito bacana para se organizar nos estudos
    https://go.hotmart.com/Y8470987H

  23. thiago

    10/08/2018 21:26 em 21:26

    sempre fala isso que tem mais de mil vagas e tudo e esse pessoal num aprova nem a metade disso, e essa história de que o inss vai parar por falta de pessoal, eu não acredito.

  24. Earl

    21/08/2018 16:14 em 16:14

    Tudo indica que não haverá concursos para o INSS, a atual carência de servidores somada a aposentadoria certa de muitos com a entrada em vigor das novas regras em 2019 será remediada com a implantação do INSS digital, o que haverá será uma grande terceirização dos protocolos através dos Acordos de Cooperação Técnica já assinado com a OAB, assim, todos os servidores que atuam nessas áreas passaram a analisar processos sem falar da grande eficiência que resultará da flexibilização na distribuição da demanda por todo o território nacional que será possível com o novo modelo digital.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Para o Topo