Guia de organização para mães estudantes

Acho que não existe experiência mais prazerosa e desesperadora que a maternidade. É uma sensação de caos interminável, mas, ao mesmo tempo, de um preenchimento, de um amor muito completo. Eu mesma às vezes me pego olhando para a minha filha e pensando “Meu Deus, é impossível amar mais essa menina”, até que ela sorri para mim e pronto, mais amor. E aí, dois minutos, depois ela derrama um pacote de farinha pelo chão da cozinha e eu tenho vontade de sair correndo para as montanhas.

 

Acredito que, após a maternidade, todas as nossas prioridades mudam. Tudo é voltado para os filhos; até mesmo os nossos estudos e a nossa vontade de melhorar é por eles. Mas como conseguir estudar nesse caos que é a vida com pequenos seres humanos? Bom, aqui vão algumas dicas!

 

  1. Se organize, mas entenda que os planos mudam.

 

A primeira dica é você fazer uma tabela com todas as atividades fixas do seu dia a dia: hora de acordar (a média dos horários da semana), deslocamentos, horas de refeições, banho, aulinhas com as crianças, escola (no caso de elas já irem), trabalho, momentos de lazer, horários de sonecas das crianças etc. Tudo que você faz durante o dia, todos os dias da semana).

 

Fazendo isso, será possível visualizar como funciona sua semana, quais horários você tem disponíveis para estudar e quais atividades consegue alterar para ter mais tempo livre.

 

Uma vez que sua tabela esteja pronta, comece a preencher os espaços livres com momentos de estudos. Não coloque mais que 4h por dia, mesmo que você tenha o dia inteiro “livre”, e entenda que, em muitos dias, os planos provavelmente não sairão como planejado, principalmente quando as crianças são muito pequenas. Elas ficam doentes frequentemente, dormem mal à noite, acordam mais irritadas, não tiram cochilos nas horas programadas ou acordam antes do esperado e nós precisamos ser flexíveis com os nossos estudos, até mesmo para não ficarmos estressadas.

 

  1. Faça um ciclo de estudos.

 

Existem algumas maneiras de organizar seus estudos. As mais conhecidas são o quadro horário e o ciclo de estudos. Para mães, eu gosto particularmente do ciclo de estudos. Ele é mais flexível que o quadro horário e nós sabemos que flexibilidade é chave para a maternidade.

 

O ciclo de estudos vai te mostrar quais matérias você tem de estudar, em qual ordem, mas sem a rigidez de ser em um horário pré-determinado. Então, se um dia a cria acordou doente e você não conseguiu estudar nada, não “perde” o dia de estudos e nem atrasa seu cronograma: pode só voltar de onde parou na próxima sessão de estudos.

  1. Arranje uma rede de apoio.

 

Existe um ditado que diz que “é preciso uma vila para se criar uma criança”. É isso mesmo… Você vai precisar de apoio de outras pessoas para estudar tendo filhos em casa. Pode ser de companheiro(a), de familiares, amigos, escola, vizinhos, outras mães… E não só para estudar, mas sim para viver e criar bem a criança.

 

Já vi muitos casos de mães que moram em cidades diferentes das dos familiares e que não têm amigos nessas cidade. Eu sempre digo, procure grupos de mães (em TODAS as cidades há pelo menos um, gente. Mãe acha outras mães onde quer que seja), procure uma creche ou escola, faça amizade com os vizinhos.

 

Use sua rede de apoio. Combine com o marido/esposa um horário em que você só estuda e ele(a) fica responsável pelas crianças, peça às avós para ficarem com os netos por uma hora diária ou algumas horas a mais no final de semana, converse com uma amiga que também tenha filhos para ela levar as crianças a um parquinho enquanto você estuda e, em outro dia, você faz o mesmo por ela, para que ela possa fazer o que quiser, matricule seu filho na creche por meio período pelo menos para você poder estudar.

 

  1. Confie na sua rede de apoio.

 

Eu sei, é difícil se desconectar dos pequenos: será que eles estarão bem com as avós? Será que elas vão seguir o que eu pedi, ou vão encher o bebê de açúcar? Será que o pai vai saber trocar a fralda direitinho? E se meu filho sentir frio? E se ele chorar?

 

Parece absurdo, mas vou te contar uma coisa bem real: as crianças mal se lembram de que a gente existe quando estão com outras pessoas e pode ser sim que essas não cuidem dos nossos filhos como nós cuidamos, mas nada de ruim vai acontecer com a sua cria. Ela vai sobreviver, vai demonstrar as emoções conforme a idade, pode até chorar quando você for embora, mas logo eles se distraem e começam a se divertir. Você pode até ser a coisa mais importante da vida deles, mas eles sabem viver sem você, mesmo que por algumas horas.

 

  1. Concentre-se.

 

Pensando exatamente no tópico 4, eu te peço para, no momento de estudos, que você foque somente nessa atividade. Ok, sei que é difícil, mas acredite: tudo vai ficar bem e, assim que seu momento de estudos acabar, você vai poder beijar, e abraçar seus filhos, e brincar com eles, já tendo cumprido seu dever do dia. O momento seguinte vai ser somente deles e estar totalmente presente vale muito mais que muitas horas distraída e preocupada.

 

Vale a pena ficar com um caderno de anotações e uma caneta ao seu lado para que, toda vez que uma ideia ou um lembrete surgir na sua cabeça, você anote para resolver depois. Pouquíssimas coisas são urgentes e precisam de atenção no momento em que acontecem. Desligue o celular (acredite, não vai haver urgência quando você estiver estudando e, se acontecer, confie em quem está cuidando da sua criança, ela vai saber resolver), feche os sites de redes sociais, deixe a faxina para lá.

 

Existe uma corrente chamada Mindfulness, que seria uma “atenção plena”. Pratique isso em todos os momentos da sua vida: quando estiver com as crianças, brinque, jogue-se no chão, esqueça o celular, as preocupações, esteja presente para os seus filhos. A mesma  coisa serve para se alimentar: preste atenção ao que você come, aos sabores, aos cheiros, às emoções que certas comidas evocam. E claro que vale também para o estudo. Preste atenção ao que você está estudando, ouça as vídeoaulas ou leia os PDF’s concentrada, sem ficar pensando em outras coisas. Foque no momento presente.

 

  1. Organize-se no dia anterior.

 

Sabe quando as crianças vão para a escola e você fala para elas arrumarem a mochila do dia seguinte na noite anterior? Então, faça o mesmo.

 

Assim que você terminar uma sessão de estudos, já deixe a do dia seguinte pronta. Livros, PDF’s, vídeoaulas separados, caderno e computador prontos, site do Gran Cursos Online logado na área do aluno, plano de estudos disponível para rápida verificação.

 

Se você deixar para arrumar tudo no momento em que sentar para estudar, é provável que se distraia, que procrastine e acabe perdendo esses momentos preciosos de estudo.

 

  1. Respire.

 

A gente tem esquecido de respirar, já reparou nisso? É claro que respiramos o dia inteiro, mas são respirações curtas, preocupadas, que não enchem o pulmão completamente e que nos deixam mais irritadiças, mais ansiosas e parece até que com menos capacidade de aprender coisas novas. Olha que loucura isso.

 

Então, ao começar seu momento de estudos, sente-se confortavelmente, respire profundamente umas cinco vezes e só aí comece a estudar. Isso vai ser um ritual que vai te ajudar a “sair” do mundo da maternidade e “entrar” no mundo dos estudos. É uma quebra no seu dia que, muitas vezes, passa automaticamente.

 

Além disso, isso vai ajudar a oxigenar o seu cérebro e assim você vai conseguir aprender melhor. Respire!

 

  1. Use uma boa técnica de estudo.

 

Parece que estudar é somente sentar, ler e fazer questões, não é mesmo? Talvez até fazer um resumão maior que as páginas do PDF e que nunca vamos ler. Afinal, sempre aprendemos assim, não é mesmo? Então, não é isso. Estudar corretamente exige técnica, exige consistência, exige descanso também.

 

Indico você dar uma olhada nos vídeos do Estude Todo Dia na assinatura ilimitada. Lá você vai aprender como estudar de maneira inteligente para que esse percurso dure menos tempo que a média. Você precisa aprender a render nas poucas horas que tem disponíveis e somente com técnicas de estudos isso vai acontecer.

 

  1. Descanse.

 

Sim, descansar também é fundamental. Eu sei que nossas vidas são atarefadas, que temos casa, trabalho, filhos, marido/esposa, redes sociais, séries para colocar em dia, academia, familiares para visitar e amigos para receber em casa… Eu entendo. Mas acredito que a vida não precisa ser essa loucura.

 

As atividades de casa, por exemplo, devem ser divididas pelos membros dela (e gente, desde uns dois anos de idade as crianças já conseguem ajudar com muitas coisas. Dê responsabilidades aos pequenos para que eles se tornem adultos responsáveis), afinal, todo mundo mora na casa, então todos (principalmente o casal) devem lavar roupa, fazer comida, lavar os prato e limpar o chão.

 

Os amigos e a família podem ter visitas alternadas a cada 15 dias, ou um dia só para eles. Mas não precisam de atualizações constantes sobre sua vida e nem de visitas semanais ou até diárias. Eles vão entender que você está estudando e que precisa de tempo para você.

 

As redes sociais podem ter dia e hora para serem vistas. Coloque um alarme no seu celular com o horário de conferir as redes sociais e, no máximo 30 minutos depois, um alarme para fechá-las, e feche-as. Ou use app’s que bloqueiam o acesso às redes. Isso ajuda demais a diminuir a ansiedade, pois diminuímos o tempo gasto em coisas sem importância, não comparamos tanto nossos filhos e nossas vidas com os filhos e as vidas alheias e até estudamos melhor, já que nos concentramos mais.

 

Momentos de ócio são importantíssimos nas nossas vidas e na dos pequenos. Isso ajuda a sermos todos mais criativos, mais resilientes, a ficarmos menos ansiosos. Aprecie os momentos de ócio em família (ou sozinha) somente olhando para uma paisagem em um parque, por exemplo, ou observando os filhos brincarem.

 

Dormir também é de extrema importância, e eu entendo que mães de filhos pequenos tentem a dormir menos, principalmente as lactantes. Mas tenha uma rotina noturna com as crianças (isso as ajuda a dormir melhor): se o bebê mama à noite, converse com o companheiro(a) para que ele coloque o bebê para arrotar e dormir após as mamadas, tente dormir com o bebê e evite telas ou acender a luz nas madrugadas insones. Tente respirar profundamente e vá relaxando até adormecer de novo.

 

  1. Se precisar de ajuda, procure ajuda.

 

Não só ajuda para cuidar da criança, mas ajuda para você (psicóloga, por exemplo), ajuda para estudar melhor… Aqui no Gran Cursos Online temos os Gran Xperts, que são profissionais altamente qualificados para te ajudar na jornada de estudos.

 

Sabe a dica sobre técnicas de estudos? Então, eles podem te ajudar com essas técnicas, com o planejamento dos estudos, com o materiais apropriados. Você não precisa passar anos estudando de forma errada, pode ter uma vantagem que seus concorrentes não têm. Aproveite essa ajuda!

 

Agora, para finalizar esse textão, preciso te dizer que nada que você escolha fazer te torna uma mãe ruim. Lembre-se de que esse é um momento passageiro, é um projeto temporário e, quando você passar, vai ter mais tempo e mais condições financeiras para cuidar das suas crianças. Elas vão ter uma mãe que as enche de orgulho. Uma mãe trabalhadora, que batalha ou batalhou pelo que deseja, que vai atrás do que sonha e não deixa nada impedi-la. Elas vão crescer querendo ser como você, e ser exemplo é a melhor coisa que podemos fazer pelos nossos filhos!

 

 

Gabriela Mesquita

Quer conquistar a sua aprovação em concursos públicos?
Prepare-se com quem mais entende do assunto!
Comece a estudar no Gran Cursos

Notícias Relacionadas

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quer conquistar a sua aprovação em concursos públicos?
Prepare-se com quem mais entende do assunto!
Comece a estudar no Gran Cursos
Para o Topo