Faça o seu melhor, na condição que você tem, enquanto não pode fazer melhor ainda!

Faça o seu melhor, na condição que você tem, enquanto não pode fazer melhor ainda!“Faça o seu melhor, na condição que você tem, enquanto você não tem condições melhores para fazer melhor ainda!” Mário Sérgio Cortella

Recentemente, tive a oportunidade de assistir a uma palestra do filósofo Mário Sérgio Cortella que me impactou bastante. Nela, o professor comentava um pouco sobre a importância de fazer o melhor – e não apenas o possível – para viver a vida da forma que ela merece ser vivida. “A vida é curta, mas não precisa ser pequena”, defendia o palestrante para uma plateia composta de servidores públicos.

No evento, acertada e insistentemente, o professor ensinava que devemos sempre “fazer o nosso melhor, com as condições que temos, enquanto não tivermos condições melhores para fazer o nosso trabalho melhor ainda”. Gostei muito desse pensamento, que, aliás, busco aplicar sempre em minhas atividades. Então, aproveitarei o artigo desta semana para encaixar em nosso contexto o resumo de algumas das ideias que extraí das palavras tão inspiradoras, provocantes e motivadoras do professor Cortella. Não posso deixar de dividir com meus leitores as lições que aprendi com esse que é tido como um dos maiores filósofos brasileiros da atualidade.

É notório – e, infelizmente, também muito triste – que, na grande maioria dos órgãos e entidades públicas, quem ocupa cargos, funções ou empregos públicos nem sempre conta com as melhores condições para desempenhar bem as suas funções e empregar da melhor forma os seus dons e os seus talentos. Mas isso não deve servir de muleta ou de justificativa para que o servidor nem sequer tente fazer o seu melhor com o que está disponível na repartição. Ele deve, sim, desenvolver o seu melhor projeto, prestar o seu melhor atendimento, emitir o seu melhor parecer, ministrar a sua melhor aula, dar a sua melhor consulta, conduzir a sua melhor investigação. Em outras palavras, deve pautar suas ações sempre de modo a superar a expectativa do colega, do superior e, principalmente, do usuário do serviço público. O cidadão-cliente tem o direito de sair do encontro com o agente público com a sensação de que foi respeitado e bem atendido.

Todos nós, sejamos servidores, agentes públicos ou ainda concurseiros, precisamos fazer sempre o nosso melhor, seja qual for a nossa condição financeira, física ou psicológica, quando estamos em busca de realizar um sonho. Devemos dar o nosso melhor enquanto ainda não dispomos das condições ideais para fazermos melhor ainda o que já costumamos fazer muito bem. Quem apenas faz o possível, o básico, cai na mediocridade e vive uma vida morna, apequenada.

Mediocridade é falta de capricho, de zelo, de qualidade. É optar por fazer tudo mais ou menos, embora se pudesse fazer o melhor. Capricho, ao contrário, é fazer o melhor nas circunstâncias em que o indivíduo se encontra, ainda que esse melhor não seja o melhor do mundo. Insistimos como o professor Cortella: é fazer esse melhor enquanto não estão presentes as condições ideais para fazer melhor ainda. Pode ser que você não tenha, hoje, a mínima condição de estudar para a magistratura federal, por exemplo; mas, quem sabe, com muito esforço, talvez até estudando no ônibus de madrugada, você possa se preparar para um concurso de Técnico Judiciário. Assim, depois de nomeado, você estará em melhores condições para alçar voos mais altos.

Não conheço ninguém exitoso que tenha feito as coisas sempre “mais ou menos”, que tenha agido sempre com mediocridade, que não tenha tido capricho e zelo em cada uma de suas ações. Isso vale para todos: concurseiros, concursados, empreendedores, empregados.

Algum tempo atrás, nós, do Gran Cursos Online, preparamos uma série de artigos intitulada “Histórias de Superação”. Cada um dos textos que a compõem retrata o exemplo concreto de pessoas vencedoras que deram o seu melhor, mesmo quando tudo conspirava contra elas. Essas pessoas fizeram tudo que era possível – e até o que parecia ser impossível, na visão de alguns – e hoje são servidoras públicas e levam uma vida muito mais digna. Vimos, ali, o exemplo da simpática Marilene Conceição Lopes (assista aqui), antes catadora de latinha e hoje servidora do TJDFT; conhecemos a história de Maria Odete Silva (veja aqui), vendedora de churros que conseguiu se formar em Direito; acompanhamos a saga da Dra. Antonia Faleiros, ex-empregada doméstica e atual Juíza de Direito (confira aqui), a quem tive o prazer de conhecer pessoalmente; e lemos o depoimento para lá de emocionante e inspirador do nosso professor de Direito Constitucional e Juiz de Direito Aragonê Fernandes, cujo título é bastante sugestivo: “A saga de um concurseiro” (leia aqui).

O nosso propósito é, foi e sempre será dedicar este espaço a depoimentos, biografias e histórias inspiradoras e à divulgação de palestras, de pesquisas, de técnicas de estudo e de mensagens que agreguem algo para você que nos acompanha. Sabemos muito bem que o mundo inteiro conspira contra quem decidiu estudar para concurso. Não se engane: notícias ruins sempre surgirão pelo caminho, e alguns dos seus “amigos” vez ou outra aparecerão para desanimá-lo. Quando isso acontecer, saiba que nós, do Gran Cursos Online, estaremos sempre aqui para neutralizar tudo isso e ajudar você na sua sonhada mudança de vida.

Fique à vontade para buscar, neste espaço, a inspiração de que estiver precisando. Nosso blogue é repleto de conteúdo de grande valia para os concurseiros. Se você tiver a humildade de saber absorver as informações que publicamos aqui, aprenderá muito. No fim, conquistará a vaga dos seus sonhos no serviço público brasileiro e se tornará uma pessoa útil à sua cidade, ao seu estado, ao seu país. Poderá cumprir, então, o seu relevante papel em socorro dos nossos sofridos cidadãos-usuários, que, infelizmente, deparam todos os dias com escândalos de má gestão e de corrupção em todos os poderes e em todas as esferas do governo.

Desejamos que você, amiga e amigo leitor, volte aqui num futuro breve para nos contar a sua saga de concurseiro. Quando chegar a hora, queremos ver você partilhar conosco um pouco da sua vida como servidor público, em nossa coluna “Cheguei Lá”.

Para começar, aplique a mensagem deste artigo desde já. Dê o seu melhor hoje!

“Pessoa humilde é aquela que sabe que não sabe nada; que sabe que a outra pessoa sabe coisas que ela não sabe; que juntas saberão muitas coisas, mas que nunca saberão tudo que precisa ser sabido.” Mário Sérgio Cortella

Bons estudos e GRAN sucesso,

Gabriel Granjeiro

PS: Siga-me em minha recém-lançada página do Facebook e em meu perfil do Instagram. Lá, postarei pequenos textos de conteúdo motivacional. Serão dicas bem objetivas, mas, ainda assim, capazes de ajudá-lo em sua jornada rumo ao serviço público.

Veja abaixo, mais artigos para ajudar em sua preparação:

O papel da atividade física na preparação para concurso
A ansiedade é sua inimiga. Aprenda a driblá-la.
Deseje, mentalize, receba!
Lições de Forrest Gump para os concurseiros
Atributos para ser bem-sucedido em provas e concursos
Inteligência emocional e as conquistas na vida e nos concursos


Gabriel Granjeiro – Diretor-Presidente e Fundador do Gran Cursos Online. Vive e respira concursos há quase 10 anos. Formado em Administração e Marketing pela New York University, Leonardo N. Stern School of Business. Fascinado pelo empreendedorismo e pelo ensino a distância.

Gabriel Granjeiro
Gabriel Granjeiro
Diretor-Presidente e Fundador do Gran Cursos Online
39 Comentários

39 Comentários

  1. Suzana

    19/04/2018 16:10 em 16:10

    Parabéns por esse projeto Gran Cursos cara!!

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Para o Topo