Recursos TJ RS: candidatos terão 5 dias úteis! VEJA

Recursos TJ RS: veja as questões passíveis de recurso e confira a fundamentação elaborada pelos nossos mestres

Avatar


15/06/2022 | 11:40 Atualizado há 55 dias

concurso TJ RS está em andamento! As provas objetivas foram aplicadas no dia 12 de junho. Os interessados em atuar no Tribunal de Justiça do Estado do Rio Grande do Sul devem ficar de olho na fase de recursos.

O gabarito preliminar foi divulgado nesta terça-feira (14) e os candidatos terão 05 (cinco) dias úteis para interpor recursos.

É importante destacar que o link para a interposição de recursos deverá ser disponibilizado no site da banca organizadora em breve.

Para auxiliar nesta fase, a equipe do Gran Cursos Online preparou um conteúdo especial! Acompanhe aqui as questões passíveis de recurso e confira a fundamentação elaborada pelos nossos mestres.

Destaques:

Confira abaixo os recursos elaborados por nossa equipe de especialistas:

RECURSOS DE LÍNGUA PORTUGUESA – TJRS – prova tipo 2 – oficial de justiça
PROF. MÁRCIO WESLEY

QUESTÃO NÚMERO 5
NOSSO GABARITO PRELIMINAR: E.
GABARITO PRELIMINAR DA BANCA: D.
RECURSO:  O enunciado pede abreviatura corretamente grafada. Ora, a abreviatura é um processo diferente do processo de abreviação vocabular. A abreviação é também chamada de redução (pedaços de palavra no lugar da palavra completa: moto em lugar de motocicleta; foto em lugar de fotografia). A abreviatura consiste em representar palavra por letra ou sílaba com ou sem ponto (núm. = número; num. = numeral; h = hora). A abreviação pode ocorrer também na forma de sigla ou de acrônimo: a sigla representa o nome de instituições com suas iniciais ou parte de palavras sem ponto (ONU, Petrobras); o acrônimo é a sigla que utiliza partes de palavras (Petrobras). Uma forma de abreviatura está presente nos símbolos internacionais do sistema de medidas: h (hora), m (metro), g (grama), J (Joule), s (segundo), min
(minuto), K (Kelvin), W (Watt)… Os símbolos internacionais não recebem ponto, diferentemente das demais abreviaturas (p. = página; apto. = apartamento). – Fonte: Manual de Padronização de Textos do Senado Federal.

(A) A abreviatura “p.” corresponde a “página”, segundo a ABNT, e não a “Porto” em “Porto Alegre”. A sigla (iniciais e ou partes de palavras) “POA” é um código IATA para uso dos aeroportos.
(B) Os símbolos do sistema internacional de unidades são grafados sem “s” final de plural e com letras minúsculas, a não ser que se trate de nome próprio (K = Kelvin, nome do cientista). Então a grafia “13hs” está incorreta. Correção: 13h.
(C) A letra “S.” maiúscula abrevia a palavra “São”, por exemplo, em “São João” (S. João). Em “Santo Antônio”, teríamos de empregar “Sto.” para abreviar “Santo”.
(D) Aqui se trata de sigla (OMS), e não de abreviatura, como pede o enunciado. Mas a banca aponta como abreviatura correta.
(E) RESPOSTA ADEQUADA. Como explicado na opção B: unidades do sistema internacional de unidades são escritas como letra minúscula sem “s” final de plural (22h), e sem espaço entre o numeral e o símbolo.

PEDIDO: alterar o gabarito preliminar de opção “D” para gabarito definitivo como opção “E”.

QUESTÃO NÚMERO 14
NOSSO GABARITO PRELIMINAR: D.
GABARITO PRELIMINAR DA BANCA: B.
RECURSO:
(A) Argumento de autoridade apoia um ponto de vista em citação de pessoa com notório saber em certa área do conhecimento. A frase dada mostrou ironia, e não citação de autoridade.
(B) Analogia busca esclarecer conceitos e abstrações por meio da aproximação com alguma realidade concreta (Exemplo: esclarecer a estrutura do átomo por meio da aproximação com o sistema solar, para ajudar a compreender como os elétrons se distribuem em torno do núcleo atômico). A frase dada apenas trouxe comparação de igualdade entre como um indivíduo aprendeu (eu aprendi) e como os macacos aprendem (olhando seus pais) – isso não é analogia, mas apenas comparação de igualdade. Veja-se: Comunicação em Prosa Moderna, Othon M. Garcia, FGV.
(C) O apelo ao bom-senso procura demonstrar uma tese com apoio no entendimento compartilhado e aceito pela maioria das pessoas. A frase dada apresentou ironia e humor.
(D) RESPOSTA. O argumento por redução ao absurdo procura invalidar uma tese ao mostrar como chegamos a um absurdo quando assumimos tal tese como verdade (Irving Copi, Introdução à Lógica, editora Mestre Jou). A tese geralmente aceita sobre a segurança das fechaduras é mostrada como absurda com a afirmação de que “as fechaduras atraem os ladrões”; e esse absurdo é reforçado pela afirmação de que “o arrombador não entra em casa aberta”.
(E) Uma opinião pessoal é mostrada em primeira pessoa singular (eu, meu, minha) e com base em vivência pessoal. A frase dada é impessoal, pois emprega a construção de voz passiva sintética (pode-se dizer). Trata-se de argumento por generalização (qualquer bobagem; sempre haverá público).

PEDIDO: alterar o gabarito preliminar de opção “B” para o gabarito definitivo como opção “D”.

QUESTÃO NÚMERO 15
NOSSO GABARITO PRELIMINAR: E (questão com risco de divergência com a banca: talvez a banca aponte
a opção “C” como resposta, mas abaixo já se encontra fundamentação para eventual recurso).
GABARITO PRELIMINAR DA BANCA: C (como previsto).
RECURSO:
(A) O advérbio “verdadeiramente” pressupõe oposição entre algo falso e aquilo que agora se toma como verdade. Então, não se trata de confirmar uma ideia anteriormente expressa, mas sim de substituir uma ideia anterior tomada como falsa por uma nova tomada como verdadeira.
(B) Os dois-pontos antecederam a enumeração das “duas coisas diferentes”.
(C) Imediatamente após os dois-pontos, aparecem as duas coisas diferentes citadas: saber e crer que se sabe. Somente depois é afirmado que a ciência consiste em saber, mas isso não é uma equivalência entre ciência e saber, e sim uma caracterização da ciência. Também é afirmado depois que a ignorância está em crer que se sabe, mas isso também não é uma equivalência entre ignorância e crer que se sabe, e sim uma caracterização da ignorância.
(D) São duas frases, e não somente uma. A primeira frase afirma a existência de duas coisas diferentes. A segunda frase mantém essa diferença e insere novos elementos (ciência e ignorância) caracterizados em paralelo pelas duas coisas diferentes citadas na primeira. Poder-se-ia dizer que existem duas diferenças (ciência difere de ignorância, assim como saber difere de crer que se sabe) e duas igualdades ou semelhanças (ciência está para saber, assim como ignorância está para crer que se sabe).
(E) RESPOSTA. Paralelismo significa construção com a mesma estrutura entre orações coordenadas. A presença do ponto-e-vírgula já indica coordenação. A estrutura é a mesma: na primeira oração, temos o sujeito (a ciência), o verbo que regeu preposição “em” (consiste) e seu complemento (em saber); na segunda oração, apesar da ordem invertida, também temos o sujeito (a ignorância), o verbo que regeu preposição “em” (está, no sentido de localização, e
não de verbo de ligação) e seu complemento (em crer que se sabe). Para mais evidenciar o paralelismo, podemos notar a presença de complemento oracional nas duas orações: “em saber”, na primeira; e “em crer que se sabe” na segunda. Veja-se: Comunicação em Prosa Moderna, Othon M. Garcia, FGV.

PEDIDO: alterar o gabarito preliminar como opção “C” para gabarito definitivo como opção “E”.

QUESTÃO NÚMERO 17
NOSSO GABARITO PRELIMINAR: E.
GABARITO PRELIMINAR DA BANCA: C.
RECURSO:
(A) Sem ambiguidade: a expressão “os primeiros” retoma com clareza “comprimidos”.
(B) Sem ambiguidade: a forma verbal “durem” assume o plural em referência clara a “mal nem bem”.
(C) Sem ambiguidade: o predicado “é comum” só se refere ao sujeito “mais invasões de terras”. Registre-se o erro na concordância verbal de “é comum” (singular) com o sujeito “mais invasões de terras” (plural). Aqui não é possível ambiguidade, apesar do evidente erro gramatical.
(D) Sem ambiguidade: a forma verbal “produzem” assume o plural em referência clara ao sujeito composto “as fazendas e os campos”.
(E) RESPOSTA. Possível ambiguidade: pode-se entender que o diretor e o secretário partiram juntos em viagem com o mesmo destino, ou que partiram ao mesmo tempo (viajaram juntos) e cada um com destino diferente. Lembremos que o enunciado pedia apenas a “possível ambiguidade”.

PEDIDO: alterar o gabarito preliminar como opção “C” para o gabarito definitivo como opção “E”.

QUESTÃO NÚMERO 20
NOSSO GABARITO PRELIMINAR: A
GABARITO PRELIMINAR DA BANCA: C.
RECURSO:
(A) RESPOSTA. O pensamento de caráter geral apareceu no início (justiça é consciência de toda a humanidade), e o apoio em analogia com o sentir de toda a humanidade apareceu na segunda frase (quem reconhece a voz da consciência também reconhece a voz da justiça, ou seja, assim como a justiça é consciência de toda a humanidade, assim também o ato de ouvir/sentir a consciência é ato de ouvir/sentir e reconhecer a justiça)
(B) Não foi indicada opinião pessoal, pois está ausente a primeira pessoa singular e não aparece juízo subjetivo nem experiência própria. Em vez de visão particular, aparece visão universal.
(C) A conjunção “mas” poderia indicar ressalva em outro contexto. Ressalva implica aceitação parcial, com exceção: Comunicação em Prosa Moderna, Othon M. Garcia, FGV. Neste contexto do pequeno texto dado, a conjunção “mas” mostrou substituição entre o negativo (não é uma consciência pessoal) e o afirmativo (é a consciência de toda a humanidade). Pode entrever contra-argumentação, com esclarecimento de uma tese apresentada na primeira frase, mas não se poder aceitação parcial (ressalva) com exceção.
(D) Não foi mostrado conhecimento alheio, mas sim foi afirmada uma tese universal na primeira frase e depois foi esclarecida na segunda frase.
(E) Não houve parecer (julgamento) nem uma destinação do texto ao cidadão comum em reflexão sobre a vida. Tratava-se de tese defendida sobre a natureza da justiça e sua relação com a consciência universal da humanidade.

PEDIDO: alterar o gabarito preliminar de opção “C” para o gabarito definitivo como opção “A”.


RECURSOS DE DIREITO CONSTITUCIONAL – TJRS – prova tipo 2 – oficial de justiça
PROF. WESLEY MACHADO

QUESTÃO NÚMERO 67
Recurso
A questão exige seja assinala a alternativa indicativa de um princípio fundamental. Com isso, qualquer assertiva relativa à fundamentos, objetivos fundamentais, princípios aplicáveis às relações internacionais das quais o Brasil faça parte deveriam ser consideradas corretas, pois integrantes do Título I, dos princípios fundamentais.

Na referida questão todas as assertivas elencam princípios fundamentais. Em algumas assertivas, tem-se a descrição de princípios aplicáveis às relações internacionais das quais o Brasil faça parte. Na alternativa C, tem-se um fundamento da República Federativa do Brasil.

Entretanto, sejam os fundamentos, sejam os princípios aplicáveis às relações internacionais das quais o Brasil faça parte, todos são princípios fundamentais, integrantes do Título I da Constituição Federal e todas as assertivas estão corretas, motivo pelo qual se apresenta o presente recurso para a anulação da presente questão.

QUESTÃO NÚMERO 72
Recurso

De acordo com o art. 1º, parágrafo segundo da Lei n 12.016/2009, não cabe mandado de segurança contra os atos de gestão comercial praticados pelos administradores de empresas públicas, de sociedade de economia mista e de concessionárias de serviço público.

Diante desse dispositivo, a alternativa E foi considerada como correta.

Não obstante, destaque-se que, nos termos do art. 7º, parágrafo segundo da Lei n. 12.016/2009, há a proibição para a concessão de medida liminar concessiva de compensação de créditos tributários. Apesar dessa proibição legal, o Supremo Tribunal Federal, no julgamento da ADI n. 4296, reconheceu a inconstitucionalidade da proibição para a concessão de medida liminar para a concessão de créditos tributários.

Por essas razões, pode-se afirmar que as alternativas corretas são as letras B e E e, por essa razão, pugna pelo provimento do presente recurso para a anulação da presente questão.

Resumo do concurso TJ RS

concurso TJ RS  Tribunal de Justiça do Estado do Rio Grande do Sul
Situação atual Edital publicado
Banca IBADE
Cargos Oficial de Justiça Estadual e Analista do Poder Judiciário na especialidade de Serviço Social
Escolaridade Nível superior
Carreiras Diversas
Lotação Rio Grande do Sul
Número de vagas 28 vagas
Remuneração  De R$ 6.361,94  a R$ 7.352,93
Inscrições Entre 31 de janeiro e 04 de março de 2022
Taxa de inscrição R$ 212,00
Data da prova 12/06/2022
VEJA AQUI o edital TJ RS 2022

Quer ficar por dentro dos concursos públicos abertos e previstos pelo Brasil?
Clique nos links abaixo:

CONCURSOS ABERTOS

CONCURSOS 2022

Receba gratuitamente no seu celular as principais notícias do mundo dos concursos!
Clique no link abaixo e inscreva-se gratuitamente:

TELEGRAM

Avatar

Equipe do Gran Cursos Online
1

0


Tudo que sabemos sobre:

edital publicado


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.