Direito das sucessões: saiba o que é e os pontos importantes

Avatar


31 de Dezembro de 2020 3 min. de leitura

Direito das Sucessões

Direito das sucessões: saiba o que é e os pontos importantes!

Quando ocorre falecimento de alguém que possuía bens, apesar do luto e da dor dos familiares e amigos próximos, é normal que surjam dúvidas relacionadas a quem tem direitos sobre esse patrimônio. O conjunto de leis e regras que determina quem tem esse direito e regulamenta as diretrizes de transferência dos bens é chamada de direito das sucessões.

Esse segmento do direito é repleto de particularidades e casos específicos, e por isso mesmo costuma aparecer muito em provas da área, incluindo a da OAB. Neste artigo veremos os pontos mais importantes sobre essas leis que determinam quem tem os direitos das sucessões.

Direito das sucessões: saiba mais

O direito das sucessões é o conjunto de leis que direcionam os bens e direitos ao herdeiro após o falecimento de determinado indivíduo. Nesse momento, será necessária a contratação de um advogado, que dará auxílio nos trâmites legais.

Esse conjunto de normas que indicam as ações para a transferência de patrimônio está regulamentado nos artigos 1.784 a 2.027 do Código Civil e na Constituição Federal. O direito das sucessões é um segmento que possui diversas particularidades, e às vezes pode não ser tão simples encontrar o beneficiário legal. Veremos abaixo os tipos mais comuns de formas de sucessão.

Legítima

A sucessão legítima se dá em casos de não existir nenhum testamento que disponha das vontades do falecido. Assim, a herança vai para os familiares próximos, mas, se não existirem, o patrimônio é direcionado ao Estado.

Quando se trata de familiares, o Código Civil determina a seguinte ordem:

I – aos descendentes, em concorrência com o cônjuge sobrevivente, salvo se casado este com o falecido no regime da comunhão universal, ou no da separação obrigatória de bens (art. 1.640, parágrafo único); ou se, no regime da comunhão parcial, o autor da herança não houver deixado bens particulares;

II – aos ascendentes, em concorrência com o cônjuge;

III – ao cônjuge sobrevivente;

IV – aos colaterais;

V – aos Municípios, ao Distrito Federal ou à União.

Contratual

Atualmente, a Justiça brasileira não permite que os direitos das sucessões sejam transferidos por meio de contrato. Porém um caso é exceção: a divisão dos bens dos ascendentes entre os seus descendentes. Por exemplo: um pai que recebe um patrimônio de herança e transfere, por meio de contrato, esse patrimônio para um filho. Dessa maneira, o Judiciário entende como uma doação, não configurando herança.

Testamentária

A sucessão testamentária ocorre quando o proprietário dos bens, enquanto vivo, deixa pela forma de testamento as diretrizes de como será feita a divisão e transferência da herança após a sua morte. Esse dispositivo é válido desde que não contrarie nenhuma disposição legal.

Porém existem regras na hora de realizar o testamento que asseguram os direitos dos cônjuges e dos ascendentes e descendentes – no mínimo, metade do patrimônio deve ser deixada para eles. O restante pode ser disposto de acordo com a vontade do proprietário, podendo deixar a herança para quem ele quiser.

Existe a possibilidade de ser excluído do direito das sucessões?

Existem situações que possam fazer com que um sucessor de direito tenha seu direito revogado. De acordo com o artigo 1.814 do Código Civil, são eles:

I – que houverem sido autores, coautores ou partícipes de homicídio doloso, ou tentativa deste, contra a pessoa de cuja sucessão se tratar, seu cônjuge, companheiro, ascendente ou descendente;

II – que houverem acusado caluniosamente em juízo o autor da herança ou incorrerem em crime contra a sua honra, ou de seu cônjuge ou companheiro;

III – que, por violência ou meios fraudulentos, inibirem ou obstarem o autor da herança de dispor livremente de seus bens por ato de última vontade.

Existem também os que não têm interesse na herança por motivos pessoais e querem ser excluídos do direito das sucessões por livre vontade. Para isso, é preciso que ele faça a renúncia dos direitos de herança de forma expressa, e, para que essa renúncia seja validada, deve seguir alguns requisitos, como: o renunciante precisa dispor de sua capacidade jurídica e a renúncia tem de seguir a forma prescrita em lei.

Sucessão por cabeça ou por estirpe

Em caso de sucessão legítima, a maneira da divisão dos bens também tem suas particularidades.

A sucessão por cabeça ocorre quando o falecido possuía, por exemplo, dois filhos. Nesse caso, a divisão é simples, feita igualmente entre os descendentes. Se cada um desses filhos tiver mais filhos – no caso, netos do indivíduo que deixou a herança –, não faz diferença, já que se conta até a primeira linhagem viva.

Porém, em uma situação em que o falecido já possua um filho que faleceu anteriormente, como fica a divisão da herança? Nesse caso ocorre a sucessão por estirpe, onde a herança será dividida entre o filho vivo e os filhos do irmão que faleceu anteriormente – netos do indivíduo que gerou a herança.

Direito das sucessões: comece a se preparar!

Como vimos, o segmento do direito que trata das regras para sucessão e herança é bem extenso, cheio de particularidades e casos específicos. Essa complexidade é um dos motivos que faz esse assunto aparecer frequentemente em provas que envolvem leis e direitos.

O direito das sucessões, além de determinar quem são os herdeiros legais, também faz todo o levantamento de inventário dos bens e patrimônios deixados pelo indivíduo falecido. Além disso, confere se todo o trâmite está em conformidade com as leis determinadas. Por isso, um advogado é essencial na hora de lidar com as questões de transferência e sucessões.

Agora que você já conhece um pouco dos aspectos e pontos importantes do segmento do direito que trata de heranças e sucessão, está na hora de se aprofundar ainda mais. Inicie hoje mesmo a sua preparação visando a carreira dos seus sonhos.

O Gran Cursos Online fornece materiais de estudo exclusivos e todo o suporte para que o aluno apresente seu melhor resultado na segunda fase da OAB. Se você quer sair na frente dos concorrentes, comece a sua preparação o quanto antes! Nossos resultados positivos são comprovados pelos ex-alunos. Então, não perca tempo e entre em contato agora mesmo.

0

Quer conquistar a sua aprovação em concursos públicos?

Prepare-se com quem mais entende do assunto!

Comece a estudar no Gran Cursos

Notícias Recomendadas

Prova OAB
Calendário OAB 2021: veja as datas oficiais ...

Tatiana Santos 17 de Maio

OAB: Saiba como conseguir sua aprovação no ...

Willian Chimiti 6 de Fevereiro de 2014

30 anos de Constituição: uma reflexão nece...

Hanri Nunes 4 de Outubro de 2018

Depoimentos relacionados

Nome do aluno aprovado
Concurso em que foi aprovado

Daniele Laís saiu de seu emprego no SENAC DF aproveitando um momento de mudança no seu cargo, hoje extinto, e…

Nome do aluno aprovado
Concurso em que foi aprovado

Ernesto Luiz Lima é de Limoeiro, interior de Pernambuco. Sua trajetória não foi nada fácil, mas hoje ele pode dizer…

Nome do aluno aprovado
Concurso em que foi aprovado

Natural da terra Caruru e da Maniçoba, o belenense Diego Barroso sempre sonhou em ingressar no serviço público por três…

Pedro Higor Faustino
Concurso Polícia Federal

Pedro Higor Faustino é natural de Juazeiro/BA, mas reside desde pequeno em Brasília/DF, onde mais tarde começaria a sonhar com…

Éder Gomes
Concurso Ministério da Economia

Éder Gomes é de Ceilândia-DF e foi aprovado no concurso de temporários do Ministério da Economia para o cargo de…

Wallace Batista
Concurso ALESE

Wallace Batista dos Santos é de Aracaju, capital do Estado de Sergipe. De família humilde, quando adolescente, ele chegou a…

Luiz Faustino
Concurso ALESE

Natural de Aracaju, cidade onde reside e exerce seu cargo, Luiz Faustino Correa Freire compartilhou conosco a sua história de…

Gabriel Evangelista
Concurso PF

Nosso aluno Gabriel, aprovado no concurso PF, disse não ter acreditado quando viu seu nome na lista de aprovados, a…

Avatar

Equipe de Comunicação do Gran Cursos Online
0

1


Comentários (1)

Avatar Jorgina Pereira da Silva silva 17 de Fevereiro

muito bom mesmo

0
 Responder

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *