Concurseiro Saudável

TAF e dor no joelho. O que fazer?

Com a prática regular de atividade física, o corpo passa por adaptações de ordem neuromuscular e fisiológica. Essas adaptações precisam ocorrer de maneira gradual e progressiva, respeitando a individualidade biológica e o planejamento de treino de cada pessoa.

Iniciar o treinamento das modalidades do Teste de Aptidão Física após a aprovação na primeira etapa ou realizar a preparação para os respectivos testes sem o devido acompanhamento pode trazer sérios problemas que ao final podem comprometer a aprovação do candidato.

Imprevistos podem acontecer a qualquer momento e todos nós estamos submetidos a isso, porém a falta de observância dos cuidados necessários para a elaboração de uma periodização caracteriza-se como uma negligência. Dessa forma, realizar um treinamento sem a supervisão de profissional habilitado e capacitado pode trazer resultados inesperados.

Constantemente, candidatos se queixam de dores articulares ou musculares e relatam que esses acontecimentos surgiram durante o período de treinamento. Em uma prévia avaliação, percebe-se que, na maioria das vezes, há falta de uma periodização adequada, seja pela falta de planejamento do próprio programa de treinamento, seja pela alta intensidade empregada na realização de cada modalidade, principalmente devido ao curto período de tempo que o concurseiro tem entre a aprovação da primeira fase e a data para a realização do TAF.

Em razão disso, não é muito difícil surgirem dores no joelho de quem está treinando para o Teste de Aptidão Física, principalmente nos joelhos daqueles que nunca treinaram e estão iniciando a atividade a poucas semanas da data do TAF. Considerando, ainda, a grande probabilidade de o candidato ter um desequilíbrio entre as musculaturas anterior e posterior da coxa, há também a execução inadequada dos exercícios, bem como a descompensação entre as valências de volume e a intensidade do treinamento.

De forma geral, é muito importante avaliar qual o local da dor do joelho, a mobilidade do membro, a intensidade da dor, a característica dela, se o joelho está ou não inflamado e outras informações, as quais deverão ser analisadas por um especialista. Todavia, dependendo da dor – não estou falando de lesão – e tratando-se de incômodo ocasionado pela condromalácia patelar, há a possibilidade de manter o fortalecimento muscular, o que deve ser feito por um profissional.

Em publicação no American Journal of Sports Exercise, pesquisadores belgas avaliaram o uso de diferentes exercícios de musculação nos sintomas de dor no joelho, mais especificamente na patela. O estudo comparou os exercícios de cadeia cinética fechada – CCF, que são aqueles em que as mãos ou os pés (extremidade distal) estão fixos e não se podem mexer, isto é, permanecem em contato constante com a superfície (por exemplo: agachamento, levantamento terra, stiff, barra fixa, paralelas, flexão de braços) com exercícios de cadeia cinética aberta – CCA, ou seja, o segmento distal está livre para se mover no espaço e não sustentar o peso corporal (por exemplo: supinos, puxada, remada em exercício multiarticular, bíceps barra, tríceps na polia, abdução e elevação frontal de ombros, cadeira extensora, cadeira ou mesa flexora, crucifixo com halteres).

A pesquisa englobou 60 pacientes com dor na patela, que foram submetidos a 12 semanas de treinamento realizado três vezes por semana somente com exercícios de CCF ou CCA.

Os resultados mostraram que os dois tipos de exercícios foram eficientes para melhorar a capacidade funcional e diminuir a dor, porém os exercícios de CCF foram superiores, diminuindo mais a dor dos pacientes e sendo mais eficazes na melhoria da capacidade funcional.

Entende-se que, durante um processo de reabilitação, nos casos do candidato que esteja com dor cujo diagnóstico seja a patela, pode-se usar tanto exercícios de CCF quanto exercícios de CCA, porém a base dos exercícios de CCF deve ser priorizada em virtude da maior estabilização da articulação do joelho, além de a mecânica ser mais próxima dos movimentos utilizados nas atividades diárias, como sentar e levantar.

Assim, aqueles que estão sentindo dores no joelho na execução dos testes de corrida, salto ou impulsão e natação devem verificar com seu treinador qual a melhor orientação a ser tomada para, se possível, não pararem o treinamento. Ademais, devem, em segundo momento, fortalecer a musculatura do joelho priorizando agachamento, leg press (além de fortalecer os músculos anteriores e posteriores da coxa, fortalece a musculatura do quadril – complexo póstero-lateral, o qual também é importantíssimo) e outros exercícios de CCF.

Dessa forma, os concurseiros que estão sentido dores no joelho devem pedir a um especialista que faça o diagnóstico dessa dor e, na elaboração de um plano de treino, se atentar aos exercícios de CCF, à execução do exercício e à carga. Ter esses cuidados é essencial para não interromper o treinamento e ter um bom desempenho ao longo da preparação.

Procure sempre um profissional capacitado para orientá-lo. Realize um planejamento de estudo aliado à prática de atividade física e, principalmente, não inicie o treinamento para o TAF somente quando for aprovado na primeira fase do concurso, pois, caso ocorra algum problema de ordem física no seu corpo, não haverá uma segunda chance para fazer os testes.


Rafael Costa – Educador físico. Coach em saúde, bem-estar e emagrecimento. Treinador de atletas campeões mundiais e brasileiros. Graduado em Direito, militante em Direito Penal, Processo Penal e Criminologia. Servidor público federal. Gestor público na área de Política Criminal, Execução Penal e Segurança Pública. Concursando de carreira jurídica. Aluno do Gran Cursos Online.

 

 


 

Estudando para concursos públicos? Prepare-se com quem tem tradição de aprovação e 27 anos de experiência em concursos públicos. Cursos online com início imediato, visualizações ilimitadas e parcelamento em até 12x sem juros

Matricule-se!

garantia-de-satisfacao-30

Para o Topo