Carreiras

Concurso Diplomata 2018: saiu o resultado provisório da segunda e terceira etapa!

Divulgado resultado provisório da segunda e terceira fase do concurso Diplomata 2018!

Concurso Diplomata

Concurso Diplomata é aberto a graduados em qualquer área! Saiba mais sobre a carreira que paga inicial de R$ 18 mil!

Atenção candidatos que estão participando do Concurso Diplomata 2018, o Instituto Rio Branco publicou, no Diário Oficial da União, os resultados preliminares da segunda e terceira etapa do concurso. 

Confira AQUI os resultados provisórios da segunda e terceira fase do concurso Diplomata 2018!

A segunda etapa do concurso foi a prova escrita de Língua Portuguesa que aconteceu no dai 29 de setembro, e a prova de Língua Inglesa que foi aplicada no dia 30 de setembro. 

Já a terceira etapa aconteceu durante três dias do mês de outubro.

No dia 12 foram aplicadas as provas de História do Brasil e Geografia; no dia 13 foi de Política Nacional e Noções de Economia; no dia 14 aconteceram as provas de Noções de Direito, Noções de Direito Internacional Público e Língua Estrangeira. 

Ministério das Relações Exteriores é o responsável pelo Concurso Diplomata

O Ministério das Relações Exteriores do Brasil (MRE), também conhecido como Itamaraty, é um órgão do Poder Executivo, responsável pelo assessoramento do Presidente da República na formulação, no desempenho e no acompanhamento das relações do Brasil com outros países e organismos internacionais (Diplomata).

A atuação do Itamaraty cobre as vertentes política, comercial, econômica, financeira, cultural e consular das relações externas, áreas nas quais exerce as tarefas clássicas da diplomacia: representar, informar e negociar.

Uma das carreiras de sua estrutura é a de Diplomata, considerada também uma função típica de estado. Aos servidores da carreira de Diplomata incumbem atividades de natureza diplomática e consular, em seus aspectos específicos de representação, negociação, informação e proteção de interesses brasileiros no campo internacional (art. 3º da Lei nº 11.440/2006).

Quanto à estrutura diplomática o MRE conta com um aparato que inclui, entre outras, a sede Palácio do Itamaraty em Brasília, e os Escritórios de Representação no Rio de Janeiro, Porto Alegre, Florianópolis, Curitiba, Belo Horizonte, Salvador, São Paulo, Recife e Manaus.

O Ministério conta também com o apoio de entidades vinculadas como a Fundação Alexandre de Gusmão (FUNAG), responsável pelas questões acadêmicas, e também o Instituto Rio Branco, que tem por função recrutar e treinar os diplomatas.

O ingresso na carreira de diplomata se dá mediante concurso público de âmbito nacional organizado pelo Instituto Rio Branco, em parceria com o Cebraspe.

Importante ressaltar que somente os brasileiros natos podem participar do concurso, cuja aprovação habilitará o ingresso na classe inicial da carreira de diplomata, bem como à matrícula no Curso de Formação do Instituto Rio Branco.

Etapas edital Diplomata 2018

O edital diplomata é composto por três fases: 

  • a) Primeira Fase: prova objetiva, constituída de questões do tipo CERTO ou ERRADO de Língua Portuguesa, Língua Inglesa, História do Brasil, História Mundial, Política Internacional, Geografia, Noções de Economia e Noções de Direito e Direito Internacional Público, de caráter eliminatório, que habilitará os candidatos a se submeterem às fases seguintes;
  • b) Segunda Fase: prova escrita de Língua Portuguesa e de Língua Inglesa, ambas de caráter eliminatório e classificatório;
  • c) Terceira Fase: provas escritas de História do Brasil, Política Internacional, Geografia, Noções de Economia, Noções de Direito e Direito Internacional Público, Língua Espanhola e Língua Francesa, de caráter eliminatório e classificatório.

Os selecionados nas etapas anteriores realizam ainda um curso de formação no Instituto Rio Branco (IRBr), em Brasília. O regime de contratação é o estatutário (estabilidade).

Atribuições dos aprovados no concurso Diplomata

  • Diplomata (terceiro secretário)

Requisito de Escolaridade

Diploma, devidamente registrado, de conclusão de curso de graduação de nível superior, emitido por instituição de ensino credenciada pelo Ministério da Educação (MEC).

No caso de candidatos cuja graduação tenha sido realizada em instituição estrangeira, caberá exclusivamente ao candidato a responsabilidade de apresentar, até a data da posse, a revalidação do diploma exigida pelo MEC, nos termos do artigo 48 da Lei de Diretrizes e Bases da Educação (Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996).

Demais requisitos:

  1. a) Ser brasileiro nato;
  2. b) Estar no gozo dos direitos políticos;
  3. c) Estar em dia com as obrigações eleitorais
  4. d) Estar em dia com as obrigações do Serviço Militar no caso dos candidatos do sexo masculino;
  5. e) Apresentar diploma de conclusão de curso de graduação de nível superior;
  6. f) Apresentar aptidão física e mental para o exercício das atribuições do cargo, verificada por meio de exames pré-admissionais.

Atribuições

Aos servidores da carreira de Diplomata incumbem atividades de natureza diplomática e consular, em seus aspectos específicos de representação, negociação, informação e proteção de interesses brasileiros no campo internacional e os ocupantes do cargo estarão sujeitos à observância estrita dos dispositivos que regem o Regime Jurídico dos Servidores da carreira de Diplomata do serviço exterior brasileiro (Lei nº 11.440, de 29 de dezembro de 2006, e demais Leis, Decretos e portarias sobre a matéria).

Progressão

A carreira de diplomata do Serviço Exterior Brasileiro divide-se em diversas classes. A primeira delas é a de Ministro de Primeira Classe, seguida pelo Ministro de Segunda Classe, Conselheiro, Primeiro Secretário, Segundo Secretário e Terceiro Secretário, em ordem hierárquica funcional decrescente.

Dentre os ministros de primeira classe ou, eventualmente, também os de segunda classe, será escolhido o Chefe de Missão Diplomática Permanente, mais alta autoridade brasileira no país em que estiver sediado.

Excepcionalmente, poderá ser designado para exercer esta função, brasileiro nato, não pertencente aos quadros do MRE, maior de 35 (trinta e cinco anos), de reconhecido mérito e com relevantes serviços prestados ao País.

Para preenchimento do Quadro Especial do Serviço Exterior Brasileiro devem ser seguidas algumas regras. Os ministros de primeira e segunda classe, bem como os conselheiros deverão ocupar os cargos com esta mesma denominação.

Na eventualidade de ausência de pessoal, o primeiro-secretário ocupará o cargo de conselheiro, e o segundo-secretário o de primeiro-secretário.

O candidato aprovado no próximo concurso para o CACD ingressará em cargo da classe inicial da Carreira de Diplomata (Terceiro Secretário), de acordo com a ordem de classificação obtida e com o número de vagas oferecidas no edital de 2016.

As atribuições acima mencionadas referem-se a classe de  terceiro secretário. Com o passar dos anos e de acordo com desempenho das atribuições, os diplomata  progredirão conforme abaixo:

Estrutura hierárquica do Itamaraty, responsável pelo concurso diplomata.

Estrutura hierárquica do Itamaraty, responsável pelo concurso diplomata.

Entendendo…

Anualmente, ou de acordo com a lei, os candidatos que ingressarem serão avaliados e caso isso ocorra de forma positiva, acontecerá a progressão para a classe posterior.

Ao final de alguns anos, os aprovados passarão de uma classe para outra. Isso acontecerá até que se chegue última classe, cerca de 15 anos, quando o servidor fará parte da Classe de Ministro de Primeira Classe.

Evolução remuneratória: consequentemente, os valores da remuneração aumentarão. Ganhando inicialmente R$ 16,9 mil, o servidor chega a classe especial com até de R$ 27,3, conforme abaixo:

Quadro de salários para a carreira oferecida no concurso diplomata.

Quadro de salários para a carreira oferecida no concurso diplomata.

Os servidores contam ainda auxílio alimentação de R$ 458. Quem tem filho tem direito ainda a auxílio-creche de R$ 321. Há também benefícios como adicional de qualificação e adicional de cursos de capacitação.

Jornada de Trabalho: 40h semanais.

Lotação: os recém-concursados são lotados na sede do Itamaraty, Palácio dos Arcos, localizado em Brasília, mais conhecido como “Palácio Itamaraty”, um edifício modernista projetado por Oscar Niemeyer.

O nome Itamaraty vem de sua antiga sede, na ex-capital da república (Rio de Janeiro), um refinado casarão neoclássico originalmente pertencente a Francisco José da Rocha Leão, Conde de Itamarati.

Organizadora e etapas: as provas dos concursos para o CACD são tradicionalmente organizados pelo Cespe/UnB. As seleções compreendem provas objetiva e discursiva, exigindo dos candidatos um altíssimo nível de preparação e um estudo pré-edital de muita dedicação, pois o tempo delimitado da publicação do edital até as provas é extremamente curto. Veja abaixo os detalhes dos exames.

  1. a) Prova objetiva em formato de teste, versando sobre Língua Portuguesa, História do Brasil, História Mundial, Política Internacional, Geografia, Língua Inglesa, Noções de Economia e Noções de Direito e Direito Internacional Público;
  2. b) Prova escrita de Língua Portuguesa, constante de uma redação e dois exercícios de interpretação, de análise ou de comentário de textos;
  3. c) Provas escritas de História do Brasil, Língua Inglesa, Geografia, Política Internacional, Noções de Direito e Direito Internacional Público, e Noções de Economia, Língua Espanhola e Língua Francesa.

As provas objetiva e escritas de Língua Portuguesa, História do Brasil, Língua Inglesa, Geografia, Política Internacional, Noções de Direito e Direito Internacional Público, Noções de Economia, Língua Espanhola e Língua Francesa têm caráter eliminatório e classificatório.

Desde a edição de 2011, o CACD prevê a reserva de 10% das vagas da Primeira Fase a candidatos que se declarem afrodescendentes.

O Instituto tradicionalmente põe à disposição do candidato, no período que antecede a realização das provas, o Guia de Estudos, com o registro das questões propostas no exame anterior acompanhadas de respostas que mereceram avaliação positiva por parte das respectivas bancas examinadoras.

O objetivo é orientar e auxiliar o candidato em sua preparação para o concurso, o qual exige, em todas as fases, leitura e análise críticas, capacidade de síntese e de organização de ideias e, sobretudo, maturidade intelectual, atributos inerentes ao fazer diplomático e que deverão estar presentes durante toda a trajetória profissional do diplomata.

Aplicação das provas: a primeira fase é  realizada nas capitais dos 26 estados da Federação e no Distrito Federal. A segunda e terceira fases serão realizadas nas capitais em que haja candidatos aprovados na fase anterior.

Demanda por servidores é alta: o excesso de aposentadorias foi o principal responsável pelo desmanche do efetivo do MRE nos últimos anos, fazendo com que diversas atividades deixem de ser desenvolvidas, em função da falta de pessoal.

O temor dos sindicatos dos servidores é que a defasagem possa se agravar a ponto de atingir atribuições prioritárias. Por isso o concurso torna-se imprescindível neste momento.

Concorrência

Sempre muito disputados, os concursos sempre atraem muitos candidatos. Veja abaixo a relação de inscritos nos últimos concursos:

2017 (Cespe/UnB): o Instituto Rio Branco, ligado ao Ministério das Relações Exteriores, registrou um total de 5.939 candidatos inscritos no concurso para 30 vagas de diplomata em 2017. A concorrência média chega a 197,97 candidatos por vaga. O inicial no ano passado também era de R$ 16.935,40 (valor bruto).

2016 (Cespe/UnB): o Instituto Rio Branco, ligado ao Ministério das Relações Exteriores, registrou um total de 4.925 candidatos inscritos no concurso para 30 vagas de diplomata em 2016. A concorrência média chega a 164,17 candidatos por vaga. O inicial no ano passado também era de R$ 15.005,26.

2015 (Cespe/UnB): o Instituto Rio Branco, ligado ao Ministério das Relações Exteriores, registrou um total de 6.003 candidatos inscritos no concurso para 30 vagas de diplomata em 2015. A concorrência média chega a 200,1 candidatos por vaga. O inicial é de R$ 15.005,26.

2014 (Cespe/UnB): cerca de 4 mil inscritos disputaram apenas 18 vagas, com inicial de R$ 14.290,72.

2013 (Cespe/UnB): o Instituto Rio Branco registrou 6.423 candidatos para a prova objetiva do concurso que ofereceu 30 vagas de diplomata – 2 vagas reservadas para portadores de deficiência. Os candidatos afrodescendentes tiveram reservadas, até a primeira etapa, 10% da vagas, conforme Portaria nº 2, de 2 de janeiro de 2012. O incial era de R$ 12.962,12. Foram 214,10 candidatos por vaga.

Histórico de nomeações

Os concursos sempre nomeiam um grande quantitativo de candidatos aprovados. Trazemos como base os dos últimos editais.

2017: todos os candidatos aprovados em fase de nomeação.

2016: todos os candidatos aprovados foram nomeados.

2015: todos os candidatos aprovados foram nomeados.

2014: todos os candidatos aprovados foram nomeados.

2013: todos os candidatos aprovados foram nomeados.

Detalhes do Concurso Diplomata 2018:

  • Concurso: Concurso Diplomata do MRE 2018 (Concurso Diplomata 2018)
  • Banca organizadora: Cespe/UnB
  • Cargos: Diplomata
  • Escolaridade: Nível superior
  • Número de vagas: 26
  • Remuneração: R$ 18 mil
  • Inscrições: de 2 de julho a 26 de julho de 2018
  • Taxa de inscrição: R$230
  • Prova objetiva: 26 de agosto de 2018
  • Provas escritas: 12, 13 e 14 de outubro de 2018

Gostou dessa oportunidade? Prepare-se com quem tem tradição de aprovação e anos de experiência em concursos públicos. Cursos online com início imediato, visualizações ilimitadas e parcelamento em até 12x sem juros!

Cheguei Lá

45 Comentários

45 Comentários

  1. Roger

    09/04/2018 11:15 em 11:15

    As provas são realizadas nas capitais do Brasil ou só em Brasilia?

  2. Master

    07/05/2018 04:15 em 04:15

    O salário não parece alto, comparado ao nível de cobrança e a outros concursos menos exigentes e que pagam mais como fiscais e da área de direito.
    Mas …
    QUANTO É O ADICIONAL DE CAPACITAÇÃO E O ADICIONAL DE QUALIFICAÇÃO ???
    (Essa informação é bastante relevante e difícil de achar).

  3. Felipe Yang

    06/10/2018 10:53 em 10:53

    Olá,gostaria de saber se é obrigatório de aprender a língua francesa? É segunda pergunta, se por exemplo eu falo a língua chinesa fluente, então minha língua chinesa vai conseguir alguma coisa ?

  4. Margarida Lima

    20/11/2018 15:55 em 15:55

    gostaria de saber se há limite de idade para prestar o exame, apesar de não está explicito no edital, o perfil dos aprovados abrange jovens entre 29 e 30 anos. Pessoas acima de 50 anos, teriam chance?

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Para o Topo