Concurso Sefaz AL: Resolução da Prova de Contabilidade

1.1       Contabilidade Geral

Determinada sociedade anônima contratou um seguro contra incêndio, com vigência de três anos, e pagou integralmente o prêmio do seguro à companhia seguradora no ato da contratação.

A partir dessa situação hipotética, julgue os itens seguintes.

  1. (CESPE/Auditor Fiscal – SEFAZ-AL/2020) para a empresa segurada, trata-se de um fato contábil permutativo, com efeitos patrimoniais imediatos em contas do ativo circulante e do ativo realizável a longo prazo.

Resolução:

O pagamento antecipado gera um direito para a empresa segurada em contrapartida a uma saída de recursos.

D – Seguros a vencer (aumenta o ativo circulante)

D – Seguros a vencer (aumenta o ativo realizável a longo prazo)

C – Caixa (diminui o ativo)

Assim, temos um fato permutativo com efeitos em contas do ativo circulante e do ativo realizável a longo prazo.

  1. (CESPE/Auditor Fiscal – SEFAZ-AL/2020) A empresa segurada estará sujeita ao reconhecimento futuro de despesas, as quais serão apropriadas pro rata temporis, de acordo com o regime de competência.

Resolução:

Exatamente.

As despesas serão apropriadas segundo o regime de competência, conforme lançamento abaixo:

D – Despesa de seguros

C – Seguros a vencer

Com relação à composição das demonstrações contábeis exigidas pela legislação societária, julgue os itens a seguir.

  1. (CESPE/Auditor Fiscal – SEFAZ-AL/2020) O produto obtido por uma sociedade anônima com a venda de partes beneficiárias e bônus de subscrição será apresentado como receita operacional na demonstração do resultado do exercício.

Resolução:

O produto obtido por uma sociedade anônima com a venda de partes beneficiárias e bônus de subscrição será apresentado como Reserva de Capital no PL.

Exemplo de lançamento contábil:

D – Caixa

C – Reserva de Capital – Partes Beneficiárias

  1. (CESPE/Auditor Fiscal – SEFAZ-AL/2020) A conta ajustes de avaliação patrimonial pertence ao patrimônio líquido e destina-se a registrar, no balanço patrimonial, os aumentos ou as diminuições de valor de elementos do ativo e do passivo sujeitos à avaliação a valor justo por determinação legal ou regulamentação específica, enquanto tais variações não puderem ser reconhecidas no resultado do exercício em obediência ao regime de competência.

Resolução:

Cobrou a literalidade da Lei nº 6.404/76, art. 182, § 3o, utilizando algumas palavras diferentes.

  • 3o Serão classificadas como ajustes de avaliação patrimonial, enquanto não computadas no resultado do exercício em obediência ao regime de competência, as contrapartidas de aumentos ou diminuições de valor atribuídos a elementos do ativo e do passivo, em decorrência da sua avaliação a valor justo, nos casos previstos nesta Lei ou, em normas expedidas pela Comissão de Valores Mobiliários, com base na competência conferida pelo § 3odo art. 177 desta Lei.

 

A conta de ajustes de avaliação patrimonial é classificada no PL.

 

Com base nas Normas Brasileiras de Contabilidade Geral (NBC TG), julgue os próximos itens.

  1. (CESPE/Auditor Fiscal – SEFAZ-AL/2020) Uma das características qualitativas fundamentais da informação financeira é a representação fidedigna, que preconiza que as informações financeiras sejam representações fiéis da forma legal dos fenômenos que elas se propõem a representar.

Resolução:

Utilizou a versão de 2019 da NBC TG 00.

O dispositivo acima fere a primazia da essência sobre a forma por causa da palavra legal.

Uma das características qualitativas fundamentais da informação financeira é a representação fidedigna, que preconiza que as informações financeiras sejam representações fiéis dos fenômenos que elas se propõem a representar, apresentando o que aconteceu na essência e não a sua forma legal.

  1. (CESPE/Auditor Fiscal – SEFAZ-AL/2020) O reconhecimento inicial de um ativo intangível que tenha sido adquirido em separado deve ser feito ao custo, o qual deve incluir, entre outros elementos, os impostos de importação e os impostos não recuperáveis incidentes sobre a compra.

Resolução:

Afirmação correta.

Ativo intangível adquirido separadamente

O custo de ativo intangível adquirido separadamente inclui:

(a) seu preço de compra, acrescido de impostos de importação e impostos não recuperáveis sobre a compra, depois de deduzidos os descontos comerciais e abatimentos; e

(b) qualquer custo diretamente atribuível à preparação do ativo para a finalidade proposta.

Com relação a operações envolvendo estoques de mercadorias, julgue os itens subsecutivos.

  1. (CESPE/Auditor Fiscal – SEFAZ-AL/2020) Em um cenário econômico de alta dos preços, a opção pela utilização do método PEPS (primeira que entra, primeiro que sai) provoca custos de mercadorias vendidas em valores maiores do que os que seriam obtidos com a utilização do método da média ponderada.

( ) CERTO ( ) ERRADO

Resolução:

No método PEPS as mercadorias mais antigas (adquiridas primeiro) são vendidas antes das mercadorias mais recentes (adquiridas depois). No método da média ponderada é feito uma média, a cada compra, das mercadorias em estoque com aquelas adquiridas

Num cenário de alta dos preços, as mercadorias mais antigas possuem um custo menor do que as mercadorias mais recentes. Portanto nesse caso o Custo das Mercadorias Vendidas é menor no PEPS do que no método da média ponderada.

  1. (CESPE/Auditor Fiscal – SEFAZ-AL/2020) Uma mercadoria cujo custo de aquisição não possa ser mais recuperável deve ser mensurada a valor justo até na sua venda definitiva.

( ) CERTO ( ) ERRADO

Resolução:

Os estoques são mensurados pelo custo ou pelo valor realizável líquido, dos dois o menor.

Contabilidade de Custos

O departamento de produção de determinada empresa necessita ratear os seus custos indiretos a dois produtos A e Z. O departamento de contabilidade de custos dessa empresa estuda o critério mais adequado para efetivar o referido rateio, entre os quatro seguintes critérios: matéria-prima aplicada; mão de obra direta aplicada; horas-máquina utilizadas; custo direto total.

Com base nas informações apresentadas, julgue os itens a seguir.

  1. (CESPE/Auditor Fiscal – SEFAZ-AL/2020) Caso as análises concluam que a matéria-prima e a mão de obra direta são aplicadas na mesma proporção aos produtos A e Z, poderá ser utilizado qualquer um desses dois critérios, assim como o custo direto total, sem que haja distorção na distribuição dos custos indiretos.

( ) CERTO ( ) ERRADO

Resolução:

Como a matéria-prima (MP) e a mão de obra direta (MOD) compõem os custos diretos (Custos Diretos = MP + MOD), e a empresa concluiu que tanto a MP quanto a MOD são usadas na mesma proporção aos produtos A e Z, é correto afirmar que ela pode usar o fator de rateio matéria-prima ou fator de rateio mão de obra direta, que, em qualquer caso, não fará nenhuma diferença na apropriação dos custos indiretos.

Ainda, pode-se adotar o custo direto como fator de rateio, pois a proporção também será a mesma.

Portanto, podemos concluir que entre qualquer um dos três critérios de rateio adotados, não haverá distorções na apropriação dos custos indiretos, uma vez que resultará na mesma quantia apropriada para A e Z.

Vamos exemplificar para você entender melhor (Custos Indiretos = R$ 100.000)

Produto A Produto Z Total
Matéria-prima (MP) R$ 400 R$ 600 R$ 1.000
Fator de rateio 4 / 10 6 / 10
Custos Indiretos (4/10) * 100.000 = 40.000 (6/10) * 100.000 = 60.000 100.000
Mão de Obra Direta (MOD) R$ 4.000 R$ 6.000 R$ 10.000
Fator de rateio 4 / 10 6 / 10
Custos Indiretos (4/10) * 100.000 = 40.000 (6/10) * 100.000 = 60.000 100.000
Custo Direto (MP + MOD) R$ 4.400 R$ 6.600 R$ 11.000
Fator de rateio 4 / 10 6 / 10
Custos Indiretos (4/10) * 100.000 = 40.000 (6/10) * 100.000 = 60.000 100.000

 

Veja que independente do critério usado, os custos indiretos apropriados a A e Z são os mesmos (40.000 e 60.000 respectivamente). Portanto não há distorção na distribuição dos custos indiretos.

  1. (CESPE/Auditor Fiscal – SEFAZ-AL/2020) Se das análises for concluído que 90% dos custos indiretos dizem respeito a depreciação, energia elétrica e manutenção, não poderá ser utilizado o critério da matéria-prima aplicada para rateio dos custos indiretos os produtos A e Z.

( ) CERTO ( ) ERRADO

Resolução:

Para a alocação dos custos indiretos de produção é necessário proceder a uma análise de seus componentes e verificar quais critérios melhor relacionam esses custos com os produtos.

Como o fator mais relevante (90%) dos custos indiretos é a existência e utilização de máquinas (depreciação, energia elétrica e manutenção), o principal critério a ser usado seria o das horas-máquinas utilizadas.

A matéria-prima consumida também pode ser considerada um critério a ser usado, ainda que cause maiores distorções que as horas-máquinas.

A explicação é que quanto a utilização das máquinas está relacionada ao consumo de matéria-prima. Ora, quanto mais se utilizam as máquinas de produção, e portanto maiores os custos indiretos, mais se consomem as matérias-primas. Assim, existe uma relação, ainda que indiretamente, da maior parte dos custos indiretos com a matéria-prima consumida.

  1. (CESPE/Auditor Fiscal – SEFAZ-AL/2020) Caso as análises concluam que o principal custo indireto refere-se a supervisão e controle do pessoal que trabalha diretamente na produção, não é apropriada utilização do critério da mão de obra direta aplicada para rateio dos custos indiretos aos produtos A e Z

( ) CERTO ( ) ERRADO

Resolução:

Justamente o contrário. O principal fator de rateio da mão de obra indireta (supervisão e controle) é o fator da mão de obra direta.

 

  1. (CESPE/Auditor Fiscal – SEFAZ-AL/2020) Se as análises indicarem que os custos indiretos são fortemente influenciados por fatores relacionados ao consumo de matéria-prima e à utilização de maquinas, será apropriada a eleição de um critério misto.

( ) CERTO ( ) ERRADO

Resolução:

Perfeito. Como não temos um custo indireto preponderante, mas sim influenciado pela matéria-prima consumida e utilização de máquinas, podemos ter como fatores de rateio o consumo de matéria prima e as horas-máquina utilizadas. Portanto seria um critério misto para apropriar os custos indiretos.

As questões 82, 83 e 84 referem-se ao texto e à tabela abaixo.

O departamento de produção de determinada empresa, que fabrica dois produtos (A e B), dispões da seguinte composição de custos.

Incorridos no departamento
Matéria-prima consumida (produto A) R$ 300.000
Matéria-prima consumida (produto B) R$ 200.000
Mão de obra direta (produto A) R$ 90.000
Mão de obra direta (produto B) R$ 60.000
Energia elétrica (produto A) R$ 30.000
Energia elétrica (produto B) R$ 20.000
Mão de obra indireta R$ 80.000

 

Custos indiretos dos produtos recebidos de outros departamentos
R$ 200.000
Custos já alocados aos produtos A e B no departamento anterior (produção recebida)
R$ 2.500.000

 

Com base nas informações precedentes, julgue os itens que se seguem, relativos a controle de custos.

  1. (CESPE/Auditor Fiscal – SEFAZ-AL/2020) Do ponto de vista do departamento de produção, os custos incorridos no departamento e alocados aos produtos A e B (R$ 700.000) são controláveis, enquanto os custos relativos à mão de obra indireta (R$ 80.000) são não controláveis, uma vez que não foram alocados aos produtos.

( ) CERTO ( ) ERRADO

Resolução:

Pessoal, até a última sentença o item está correto. Acontece que a mão de obra indireta, mesmo sendo custos não controlável, ela é sim apropriada ao produto.

Os custos controláveis são aqueles que estão sob responsabilidade e controle do departamento de produção (geralmente o gerente do departamento). Já os custos não controláveis são aqueles que estão sob responsabilidade de outros departamentos, não importando se são incorridos ou não no departamento de produção.

A matéria-prima consumida (300.000 + 200.00), o quanto se paga para a mão de obra direta (90.000 + 60.000) e o quanto se utiliza de energia elétrica na produção (30.000 + 20.000) é responsabilidade do departamento de produção, portanto são custos controláveis (soma dos itens = 700.000).

O salário pago para os gerentes do departamento, ou seja, a mão de obra indireta, não é responsabilidade do departamento de produção, mas sim do departamento administrativo. Portanto a mão de obra indireta, mesmo incorrida no departamento de produção, é um custo não controlável (80.000).  

  1. (CESPE/Auditor Fiscal – SEFAZ-AL/2020) Do ponto de vista dos departamento de produção, os custos indiretos dos produtos A e B recebidos de outros departamentos (R$ 200.000) são controláveis por natureza.

( ) CERTO ( ) ERRADO

Resolução:

Como os R$ 200.000 são recebidos de outro departamento, eles não são responsabilidade do departamento de produção. O gerente de produção não teve nenhum controle sobre eles, mesmo que sejam alocados aos produtos. Portanto são custos não controláveis.

  1. (CESPE/Auditor Fiscal – SEFAZ-AL/2020) Do ponto de vista do departamento de produção, os custos relativos aos produtos A e B incorridos no departamento anterior (R$ 2.500.000) são não controláveis.

( ) CERTO ( ) ERRADO

Resolução:

Como os R$ 2.500.000 são recebidos de outro departamento, eles não são responsabilidade do departamento de produção. O gerente de produção não teve nenhum controle sobre eles, mesmo que sejam alocados aos produtos. Portanto são custos não controláveis.
 

Boa sorte e Firmeza nos Estudos (FÉ)!

Siga o professor nas redes sociais e tenha acesso a dicas de Contabilidade e de concursos:

Conte conosco e Firmeza nos Estudo (FÉ)!

Abraço!

Feliphe Araújo

Quer conquistar a sua aprovação em concursos públicos?
Prepare-se com quem mais entende do assunto!
COMECE A ESTUDAR NO GRAN
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quer conquistar a sua aprovação em concursos públicos?
Prepare-se com quem mais entende do assunto!
COMECE A ESTUDAR NO GRAN
Para o Topo