Ranço: Estou cansada das pessoas

Avatar


10/12/2021 | 16:45 Atualizado há 166 dias

Sabe aquela pessoa que só de ouvir a voz, você sente um enjôo? Aquela pessoa que se passar uma foto pelo feed no Instagram, você sente tonturas? Aquela pessoa que ao aparecer na sua frente, você só não sai correndo, devido ao fato de ser muito educada?

“Depois que o ranço se instala, meu amor, não tem cura”. Essa frase é muito conhecida pelas redes sociais. Mas…. o que é ter RANÇO? É UM SENTIMENTO de repúdio, aversão, raiva e até mesmo um certo desprezo. Como um sentimento, não podemos controlar, mas podemos resolver aquilo que fazer com aquilo que sentimos.

O importante nesses casos, é não deixar o ranço crescer por muito tempo. Se a relação significa algo para você, devemos ter ferramentas para essa sensação não ficar sedimentada.

É possível reverter esse processo? A ciência responde que sim. Porém, devemos colocar em prática questões associadas à empatia, como a simpatia e antipatia. Verificarmos em quais situações tendemos a pegar tal sentimento e características das pessoas que possuem mais facilidade em termos essa conexão, digamos… PESADA.

No nosso divã de terça, iremos falar sobre várias questões associadas ao  ranço, o porquê dele se instalar, o perigo das rotulações, e como fazer para lidarmos com alguém que temos ranço e devemos conviver.

Isso não significa incorporar valores ou assumir posturas incompatíveis com as nossas, mas se esforçar em compreender como as outras pessoas pensam e agem. Assim, podemos ter novas ideias e modificar a nossa sensação negativa. E assim a mudança começar em nós.

Lembre-se que muitas vezes, quando a relação é muito íntima, deve-se passar pelo perdão e acolhimento das nossas emoções. Isso significa ter uma comunicação não-violenta com tais pessoas que despertam tais sensações.

No nosso divã, às 18.30, iremos abordar tal tema com a devida precaução e com a devida fundamentação científica! Aguardo todos vocês!

Avatar

Psicóloga clínica e neuropsicóloga com mais de 20 anos de experiência em psicoterapia
0

0

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.