O papel da alimentação durante a rotina de estudos


02/12/2021 | 17:58 Atualizado há 52 dias

A rotina de estudos do concurseiro não é fácil. É necessário você ter atenção a cada detalhe contido no seu planejamento. Você deve programar a semana com exercícios, revisões e atividade física, mas se tem uma coisa que pode ajudar muito na preparação é a ALIMENTAÇÃO.

Normalmente o concurseiro deixa a alimentação em segundo plano. Não programa uma rotina alimentar saudável. Come apenas para sobreviver, e isso de fato é verdade. Usa sempre aquela desculpa: “como apenas o que dá pra comer”.

Isso reflete diretamente no tipo dos alimentos ingeridos.

A depender do que se come, a alimentação pode fazer bem ou mal. Com certeza isso vai depender da quantidade ingerida, do tempo de consumo e dos hábitos alimentares.

Heróis, um alerta a respeito dos alimentos vilões: alimentos ricos em açúcares, gordura e conservantes podem aumentar o cansaço do estudante e diminuir a concentração, além de causar o efeito rebote, aumentando a sonolência.

Estão entre os alimentos e bebidas não recomendados:

  • frituras;
  • refrigerantes;
  • produtos ricos em conservantes e em sódio (industrializados);
  • bebidas alcoólicas;
  • energéticos.

Fuja desse tipo de alimentação. Por mais que seja saboroso comer esse tipo de comida, e muitas vezes valorizamos demais essa questão, não devemos manter uma rotina alimentar baseada nesses alimentos. Use-os como recompensa, em dias específicos.

Em seu planejamento, o estudante precisa ter pausas para as refeições e lanches rápidos. Montar um cronograma das refeições ajudará também no estudo, fazendo com que não haja excesso ou falta de energia durante o dia.

Os alimentos naturais possuem diferentes tipos de vitaminas, substâncias e nutrientes. Alguns deles são fundamentais para o desempenho no estudo melhorar. Para aproveitar os benefícios de algumas frutas, por exemplo, é necessário consumi-las com frequência, já que comê-las apenas uma vez não fará nenhum milagre para a concentração ou a memória.

Quando começamos a estudar, temos que ter a consciência de que dependemos demais do nosso cérebro. É ele quem vai fazer você conquistar algo no mundo das provas mais concorridas. Negligenciar seus principais recursos é um tanto quanto contraditório.

Vamos analisar o que ele precisa para funcionar bem, e não só ele, mas o resto do corpo também.

Segundo estudos da universidade de Yale, nosso cérebro possui aproximadamente 1,3 kg. Consome de 20 a 25% das calorias ingeridas, e 1/3 do oxigênio absorvido pelos pulmões é destinado a ele diariamente.

Mesmo o nosso cérebro “pesando” somente 2% da nossa massa corporal, nós respiramos aproximadamente 20 mil vezes por dia para manter suas funções. Por minuto, ele precisa de pelo menos 750 ml de sangue circulando constantemente. Essa quantidade de sangue é tão seriamente controlada e necessária que, se a diminuirmos em 1%, já bastará para termos alguma espécie de mal-estar ou desmaio.

O cérebro, diferentemente dos músculos, não consegue armazenar carboidratos. Necessita, portanto, de um suprimento constante de glicose, que somente pode chegar a ele por meio da circulação sanguínea. Ele queima 120g de glicose diariamente. Quando seu nível cai, nós perdemos a capacidade de concentração.

Sendo assim, para você se manter em boas condições mentais e otimizar sua eficiência nos estudos, precisa tomar um bom café da manhã. Durante a jornada, faça pequenos lanchinhos ao longo de todo o dia, além das principais refeições, como almoço e jantar.

Dica de ouro: EVITE permanecer várias horas sem se alimentar.

Vamos classificar alguns alimentos que os nutricionistas e pesquisadores recomendam:

  • Fornecedores de energia: banana, abacate, mel, cereais e alguns carboidratos fornecem energia para que o estudante se sinta mais disposto.
  • Estimuladores da memória: o ômega 3 é o grande influenciador da memória. A substância pode ser encontrada em peixes, castanhas e na linhaça, por exemplo.
  • Aliados da concentração: energéticos naturais são uma melhor opção em relação aos industrializados. Chás (principalmente chá-verde e de canela) servem como estimulantes e deixam o estudante mais concentrado. O uso moderado de café (de preferência sem açúcar) também é um importante aliado.

Para os chocólatras: o chocolate 70% cacau, que é saboroso e saudável, contém cafeína em sua composição. Mas, claro, consuma-o sem exageros!

Você deve estar se perguntando: o que comer em dia de prova?

Se a alimentação já requer cuidado ao longo do ano, nos dias de prova, a atenção em relação a ela deve ser redobrada. Quem vai fazer prova precisa planejar sua alimentação para não sofrer nenhum imprevisto.

A ansiedade por si só já aumenta a atividade intestinal. Por isso, os estudantes devem tomar cuidado com a alimentação, a fim de que a comida não sirva como gatilho para um problema gastrointestinal. Alguns alimentos naturalmente aumentam a produção de gases, então é melhor evitá-los: repolho, feijão e couve. Há, ainda, frutas com efeito laxativo, como o mamão.

Outro aspecto a ser observado é o horário da prova. Se for de manhã, o estudante pode tomar um café reforçado com frutas, pães integrais e cereais, por exemplo. Caso seja à tarde, existe a possibilidade de ele ingerir um almoço leve, que contenha proteína, ferro e carboidrato, entre outros.

Se você é uma pessoa ansiosa e acha que não comer é melhor, repense. Ficar sem comer por um longo período pode resultar em queda de glicose, fazendo você passar mal. Então, leve para a prova alimentos como castanhas, chocolate 70% cacau, barras de cereais, frutas (banana, maçã, uva, morango) ou sanduíche natural que não exija refrigeração.

Por fim, uma dica que considero essencial: beba muita água. Ela é importantíssima para o seu bom desempenho mental, porque facilita a realização das sinapses, que são as ligações entre os seus neurônios. Isso refletirá diretamente na hora de responder às questões, pois, quanto mais rápido forem suas sinapses, mais rápido você acessará todo o conteúdo estudado. A água tem sua absorção imediata, ao contrário de sucos e refrigerantes, por exemplo. Logo, sempre dê preferência a ela, e não a outras bebidas. Acostume-se a estudar com um copo d’água do lado e beba um gole a cada 10 minutos. Não se esqueça de que seu cérebro precisa de bastante água, principalmente quando você está estudando. A bexiga vai encher e vai te influenciar a fazer um intervalo, o que também é importante para aprimorar a qualidade do seu estudo.

Ah, claro, no dia da prova, não esqueça sua garrafa de água!

Bom, espero que o conteúdo de hoje, preparado com muito conhecimento e carinho, te ajude a ter uma alimentação mais saudável, com o objetivo de otimizar o seu estudo. Se permanecerem algumas dúvidas, escreva aqui nos comentários e/ou me procure no meu perfil no Instagram, @prilaconcursos. Será uma satisfação te ajudar um pouco mais, meu herói, minha heroína.

Antes de encerrar, quero te convidar para conhecer o serviço de Mentoria e Coaching do Gran Cursos Online: somos uma equipe capacitada (da qual tenho orgulho de fazer parte) formada por profissionais altamente habilitados e preparados, os GranXperts. Nosso trabalho é te ajudar nessa jornada de estudos, te tornar um candidato de alto desempenho, te ajudar a ser o melhor estudante que você pode ser, para, assim, atingir sua tão sonhada aprovação. Nós orientamos e acompanhamos seus estudos para que atinja seu potencial máximo. Venha conhecer nossos serviços!

 

Obrigada pelo seu tempo e atenção. Até a próxima aventura.

Equipe do Gran Cursos Online
0

0

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *