Concurso Funai 2016 oferece 220 vagas e até R$ 6,7 mil! Baixe o edital verticalizado e fique por dentro!

Deixe seu like:

Avatar


22/04/2016 | 11:02Atualizado há 2246 dias

blog-funai-min

Veja mais detalhes do concurso FUNAI 2016 e baixe grátis o edital verticalizado! Mais orientação para seus estudos!

A Fundação Nacional do Índio (Concurso Funai 2016) divulgou nesta sexta-feira, dia 22 de abril, o aguardado edital de abertura de seu concurso público destinado ao preenchimento de 220 vagas de nível superior. As oportunidades são para indigenista especializado (202), engenheiro (7), engenheiro agrônomo (5) e contador (6). Há chances reservadas para pessoas com deficiência e negros.

Os futuros servidores terão remunerações que variam de R$ 6,3 mil (contadores e indigenistas) a R$ 6.788,31 (engenheiros). Nos valores, já estão incluídos os R$ 458 referentes ao auxílio-alimentação. As lotações serão, preferencialmente, nos estados do Acre, Amapá, Amazonas, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pará, Rondônia e Roraima. Os contratados terão a estabilidade garantida, já que o regime é o estatutário. O concurso terá validade de um ano, podendo ser prorrogada por igual período.

As inscrições serão abertas no dia 2 de maio, as 10 horas e se encerrarão no dia 16 de maio. Para se candidatar, é necessário acessar o site da Esaf, organizadora, e preencher o formulário. As taxas são de R$ 120 para as funções de engenheiro e de R$ 100 para as demais e deverão ser pagas por meio de Guia de Recolhimento da União (GRU) gerado no momento da inscrição. O pagamento poderá ser feito até o dia 6 de junho. 

Os concurseiros/as que inciaram os estudos neste momento e os que já se programavam previamente ao edital precisam encontrar diferentes métodos e maneiras de maximizarem os estudos rumo à aprovação no certame. O certame terá provas aplicadas somente em agosto. A concorrência promete ser acirrada por uma das vagas, como é tradição.

Para se ter uma noção, em 2010, quando houve o concurso para indigenista, posto que oferece mais oportunidades, foram mais de 100 mil inscritos. As excelentes remunerações em início de carreira e os benefícios que o órgão oferece prometem ascender o ânimo dos candidatos. Neste momento,  orientação e foco são fundamentais para você que deseja alcançar uma das vagas.

Pensado em concurseiros/as focados como você e como forma de personalizar sua preparação, elaboramos e disponibilizamos gratuitamente o “Edital Verticalizado” da seleção. Com ele, você vai poder maximizar seus estudos, pondo fim à falta de organização, ganhando orientação do que estudar dia a dia. Há, ainda, no material disponível abaixo, um segundo quadro dentro da planilha para que você possa controlar os seus horários de estudos. Para ter acesso, basta clicar no link abaixo.

Funai-Indigenista

Funai é o órgão indigenista oficial do Estado brasileiro. Foi criado pela Lei 5 371, de 5 de dezembro de 1967. É vinculado ao Ministério da Justiça. Sua missão é coordenar e executar as políticas indigenistas do Governo Federal, protegendo e promovendo os direitos dos povos indígenas. São, também, atribuições da Funai: identificar, delimitar, demarcar, regularizar e registrar as terras ocupadas pelos povos indígenas, promovendo políticas voltadas ao desenvolvimento sustentável das populações indígenas e reduzindo possíveis impactos ambientais promovidos por agentes externos nessas terras; bem como prover, aos indígenas, o acesso diferenciado aos direitos sociais e de cidadania, como o direito à seguridade social e à educação escolar indígena.

Em 2010, foi realizado o último concurso para o posto com maior oferta de vagas, o de Indigenista Especializado. Dando a largada aos estudos, os candidatos devem ter em mente o quão fascinante é a carreira de Indigenista e trabalhar na Funai ainda mais. Vamos apresentar a seguir os detalhes do cargo. Este passo inicial é essencial para uma preparação eficiente.

  • A carreira de Indigenista

As ações indigenistas do Estado Brasileiro foram instituídas com a criação do Serviço de Proteção ao Índio – SPI, em 1910, pelo Marechal Rondon. A Fundação Nacional do Índio – FUNAI é sucedânea do SPI. Na época reivindicava-se a institucionalização de um quadro profissional qualificado para a execução das atribuições específicas da política indigenista brasileira. Portanto, a idéia da carreira indigenista já existe há mais de cem anos e seu reconhecimento e regulamentação é condição fundamental para estabelecer uma nova relação do Estado, com a sociedade e os povos indígenas.

A carreira indigenista está alicerçada no Artigo 231 Constituição Federal de 1988 que “reconhece aos índios sua organização social, costumes, línguas, crenças e tradições, e os direitos originários sobre as terras que tradicionalmente ocupam, competindo à União demarcá-las, proteger e fazer respeitar todos os seus bens.” Esse fundamento norteia a missão do indigenista que é a proteção e promoção dos direitos dos povos indígenas, de suas terras indígenas, seu acervo cultural e seu patrimônio intelectual. São atribuições do indigenista atuar para garantir a regularização fundiária, a proteção aos índios isolados, a proteção e o monitoramento das terras indígenas, promover o desenvolvimento e a gestão institucional.

O Plano de Carreira Indigenista da Fundação Nacional do Índio – Funai será composto por todos os cargos de provimento efetivos, regidos pela Lei n°8.112, de 11 de dezembro de 1990, que não estejam organizados em carreiras, pertencentes ao Quadro de Pessoal da FUNAI, e que passam a ser adequados nos cargos de Indigenista Especializado, Agente em Indigenismo e Auxiliar em Indigenismo.

Para fazer frente às atribuições da Funai serão criados no quadro de pessoal da Fundação Nacional do Índio – FUNAI, 3.300 (três  mil e cem) cargos efetivos, sendo 600 (seiscentos) cargos efetivos de Indigenista Especializado, 1800 (Mil e oitocentos) cargos efetivos de Agente em Indigenismo e 700 (setecentos) cargos efetivos de Auxiliar em Indigenismo.

O quadro atual de pessoal da Funai é composto de 2.587 servidores ativos. São contabilizados 880 servidores aposentados.

Requisitos p/ ingresso no posto: Curso de Graduação de Nível Superior, em qualquer área, reconhecido pelo MEC

  • Quem é o Indigenista

O indigenista é o profissional que tem a capacidade e a qualificação de intermediar as relações culturais, sociais e políticas entre o Estado Brasileiro e a Sociedade em relação aos Povos Indígenas. Esta intermediação é uma via de mão dupla quanto ao aprendizado e ensinamentos mútuos. Toda atividade indigenista se pauta pelo diálogo, pela compreensão das diferenças e pela busca da harmonização dessas diferenças. A atividade do indigenista tem características próprias de Estado que a torna intransferível ou indelegável a terceiros, conforme a Constituição Federal no seu Artigo 231. Tal qualificação é de responsabilidade da Fundação Nacional do Índio – Funai.

  • Atribuições específicas

O Indigenista Especializado atua na formulação das políticas nacionais de indigenismo afetas à promoção e proteção dos direitos dos povos indígenas à luz dos dispositivos constitucionais; a melhoria da qualidade de vida das populações indígenas; a regulação, gestão e ordenamento do acesso e do uso sustentável dos recursos naturais das terras indígenas. Realizará estudos e proposições de instrumentos estratégicos para implementação da política indigenista, bem como para seu apoio, acompanhamento e avaliação. Desenvolverá estratégias e proposições de soluções de integração entre a política indigenista e setoriais, com base nos princípios e diretrizes do desenvolvimento em bases sustentáveis. Atuará na realização de atividades administrativas e logísticas relativas ao exercício das competências constitucionais e legais a cargo da Fundação Nacional do Índio – FUNAI, fazendo uso de todos os equipamentos e recursos disponíveis para a consecução dessas atividades.

Progressão: O candidato aprovado no próximo concurso para a carreira de inteligência terá as atribuições da terceira classe. Mas além das classes, os candidatos são postulados a um outro título dentro de uma classe, ou seja, ingressarão na terceira classe padrão I, conforme abaixo:

FUNAI-002

Entendendo…

Explicando melhor, cada ano equivale a um padrão. Anualmente os candidatos que ingressarem no posto de indigenista da Funai serão avaliados e caso isso ocorra de forma positiva, acontecerá a progressão para o padrão posterior. Cada classe é composta por padrões e, ao final de alguns anos, os aprovados passarão de uma classe para outra. Isso acontecerá até que se chegue última classe e padrão, cerca de 20 anos, quando o servidor fará parte da Classe Especial – Padrão III.

Evolução remuneratória: Consequentemente, os valores da remuneração aumentarão. Ganhando inicialmente até R$ 6 mil, o servidor chega a classe especial com mais de R$ 9, conforme abaixo:

FUNAI-001

Jornada de Trabalho: Os novos servidores da carreira exercem suas atribuições em jornada de 40h semanais.

Lotação: As lotações serão, preferencialmente, nos estados do Acre, Amapá, Amazonas, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pará, Rondônia e Roraima.

Organizadora e etapas: O concurso Funai 2016 será organizado pela Escola de Administração Fazendária (Esaf). Os participantes serão testados em provas objetivas, marcadas para o dia 7 de agosto.  Os exames terão questões de Conhecimentos Gerais (Língua Portuguesa, Raciocínio Lógico e Quantitativo, Direito Constitucional e Administrativo, Legislação Indigenista, Informática Básica e  Administração Pública) e Conhecimentos Específicos ao cargo. Os aprovados ainda passarão por avaliação discursiva.

Aplicação das provas: A etapa será realizada em dois turnos, em todas as capitais e alguns municípios como Tabatinga (AM), Dourados (MS), Sinop (MT), Ji-Paraná (RO) e Altamira (PA).

Necessidade de pessoal: De acordo com o órgão, a nova seleção irá permitir a recomposição dos quadros da Funai, que sofre defasagem crescente, em razão de elevado número de aposentadorias. Ainda de acordo com a Funai, o novo concurso irá fortalecer as atribuições e combate a crimes contra índios.

Inicie seus estudos: Diante de todas as explanações, você conheceu um pouco da carreira. E agora, mais do que nunca, deve iniciar seus estudos, pois os concursos da Funai sempre atraem um quantitativo alto de inscritos.

2010: No concurso aberto em 2010, foram mais de 110 mil candidatos.

O que pode te ajudar neste momento são os estudos pré-edital. Assim, todo conteúdo estará consolidado até a publicação do edital, sobrando tempo para revisar e aprofundar possíveis inclusões.

Histórico de nomeações

Com oferta de 425 vagas, com lotação nos estados de Roraima, Amazonas, Acre, Rondônia, Mato Grosso do Sul, Amapá, Pará, Goiás, Maranhão, Tocantins, Minas Gerais, Bahia e Espírito Santo, além de Brasília, foram nomeados mais de 600 candidatos aprovados, número superior as vagas iniciais, sendo usado boa parte do cadastro de reserva.

Detalhes:

  • bullet1.gif (844 bytes)Concurso: Fundação Nacional do Índio (Concurso FUNAI 2016)
  • bullet1.gif (844 bytes)Banca organizadora: Escola de Administração Fazendária (Esaf)
  • bullet1.gif (844 bytes)Cargos: Indigenista especializado; Engenheiro; Engenheiro agrônomo; Contador
  • bullet1.gif (844 bytes)Número de vagas: 220
  • bullet1.gif (844 bytes)Remuneração: Acima de 6 mil
  • bullet1.gif (844 bytes)Escolaridade: Nível superior
  • bullet1.gif (844 bytes)Inscrições: Entre 2 a 16 de maio de 2016
  • bullet1.gif (844 bytes)Taxa: R$ 100 ou R$ 120
  • bullet1.gif (844 bytes)Prova objetiva: 7 de agosto de 2016
  • edital

Gostou desta oportunidade? Prepare-se com quem tem tradição de aprovação e mais de 25 anos de experiência em concursos públicos. Cursos online conforme o novo edital (matricule-se e ganhe a atualização), com início imediato, visualizações ilimitadas e parcelamento em até 12x sem juros

matricule-se 3

Apostila Digital p/ o concurso da Funai por apenas R$ 24,90!

apostila FUNAI

BLOG

garantia GCO
Depoimentos de alunos aprovados AQUI. Casos de sucesso:
CHEGUEI-LÁ2 CHEGUEI-LÁ CHEGUEI-LÁ2 CHEGUEI-LÁ-Natálial CHEGUEI-LÁ (7)

Deixe seu like:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.