O não você já tem, só lhe resta buscar o sim!

Avatar


21/01/2019 | 15:31 Atualizado há 1219 dias

“O que você pensa de si mesmo é muito mais importante do que o que os outros pensam de você.” – Sêneca, filósofo (4 a.C-65)

Na vida, quase tudo é resultado da escolha entre sim e não. Não existe um meio-termo de verdade. Ou algo está certo, ou está errado; ou é falso, ou é verdadeiro. Ou alguém é honesto, ou é desonesto; ou é bom, ou é mau. Ou estamos parados, ou estamos em movimento; ou somos aprovados em um concurso, ou somos reprovados. Enfim, tudo tem dois lados, tudo envolve decisões que podem ser resumidas em sim ou não. Para tudo há duas opções, e o não como uma delas nós já temos. Resta-nos, então, buscar o sim.

Você, caro leitor, pode decidir neste minuto entre começar a se preparar para concurso público ou não; entre enfrentar esse desafio ciente de que, pelo menos nas primeiras tentativas, a maior probabilidade é mesmo de se frustrar, ou continuar apenas sonhando com uma vida melhor. Só peço que, antes de tomar sua decisão, você pese bem: frustrações são mesmo prováveis até você pegar o jeito e começar a colher os frutos do seu esforço, mas você também pode se surpreender com bons resultados mais rápido do que esperava.

É bem simples: o não da reprovação você já tem, mas e se o sim da aprovação vier antes do que você pensa? Aí, será “correr pra galera”, comemorar e gastar por conta. Ou não. Viu como tudo está entre o sim e o não? E então, você vai ficar aí parado, com a boca escancarada cheia de dentes, esperando a morte chegar, ou vai encarar o que tiver de ser encarado de uma vez? Que tal começar a preparação adequada e, com paciência e dedicação profissional, trabalhar para conquistar estabilidade financeira e mais qualidade de vida?

Seria muito bom se, antes de seguirmos em uma direção, já soubéssemos o resultado da nossa escolha, não é mesmo? Talvez. Mas o fato é que não sabemos, e nunca saberemos se tomamos a decisão certa enquanto não dermos o tal primeiro passo. Pensando bem, nossa incapacidade de prever o futuro é o que dá sentido à vida. É o que nos leva a lutar por algo melhor e nos impulsiona a construir, nós mesmos, a nossa jornada, pavimentando o caminho como quisermos, a fim de desviar dos já previsíveis nãos impostos pelo Universo.

“…nossa incapacidade de prever o futuro é o que dá sentido à vida. É o que nos leva a lutar por algo melhor e nos impulsiona a construir, nós mesmos, a nossa jornada, pavimentando o caminho como quisermos, a fim de desviar dos já previsíveis nãos impostos pelo Universo”.

O chinês Jack Ma, fundador do grupo Alibaba, soube lidar muito bem com os nãos que recebeu ao longo da vida, e olhe que não foram poucos. Primeiro, ele foi rejeitado em todas as dez tentativas de estudar na Universidade de Harvard; depois, já formado, foi preterido em trinta entrevistas de emprego. E o que ele fez com tanta adversidade? Usou-a como motivação para se reinventar. Hoje bilionário, Ma é um dos homens mais ricos do continente asiático e o mais rico da China moderna.

Qualquer pessoa que recebesse tantos nãos como Jack Ma recebeu poderia desistir de vez de seus sonhos, não é verdade? Então por que eu trouxe o exemplo dele para nossa conversa, amigo leitor? Para demonstrar que, mesmo que as chances de você fracassar no próximo concurso fossem da ordem de 99% – e não são! –, ainda assim valeria a pena você se arriscar, tal como Ma se arriscou para ter um futuro diferente do que a vida parecia guardar para ele. É sempre bom se desafiar, entrar no ringue e lutar. Ora, se não arriscamos nunca, permanecemos com nossos nãos, e tudo vai ficar exatamente como está. Portanto, não há razão lógica para você deixar de se inscrever naquele concurso dos sonhos. Não há razão lógica para você impedir a si mesmo de tentar.

“É sempre bom se desafiar, entrar no ringue e lutar. Ora, se não arriscamos nunca, permanecemos com nossos nãos, e tudo vai ficar exatamente como está. Portanto, não há razão lógica para você deixar de se inscrever naquele concurso dos sonhos. Não há razão lógica para você impedir a si mesmo de tentar”.

Quando eu ainda estudava nos Estados Unidos e estava me preparando para empreender no Brasil, fui muito desencorajado por colegas de outros países e daqui mesmo. Mais de uma vez, os comentários e conselhos que eu ouvia me fizeram pensar em desistir e em aceitar o não empreender, o não tentar e o seguir rota mais segura. Afinal, não faltavam oportunidades de emprego para o meu perfil nos EUA, onde eu poderia ser muito bem remunerado para um jovem de 20 anos de idade. Todavia, sempre levei comigo algo que aprendi no berço: a certeza de que não devemos nunca desistir dos nossos sonhos. Não podemos cruzar os braços e simplesmente aceitar que a vida só tem nãos e caminhos que levam ao insucesso.

“Não podemos cruzar os braços e simplesmente aceitar que a vida só tem nãos e caminhos que levam ao insucesso”.

Em 1990, o empresário Donald Trump tinha, acredite, quase U$ 1 bilhão em dívidas. Certa vez, ele disse à filha, apontando para um homem sem-teto nas ruas de Nova York: “Vê aquele mendigo? Ele tem 1 bilhão de dólares a mais do que eu.” Hoje, gostemos ou não, Trump é o presidente dos EUA, o cargo mais poderoso do mundo, além de dono de um patrimônio líquido de U$ 4,5 bilhões. Percebe como o não ele já tinha, mas, em vez de terminar a vida quebrado, preferiu ir atrás de alguns sins?

Quer mais um exemplo de quem recebeu muitos nãos antes de alcançar sucesso absoluto? O Mestre do Horror, o escritor Stephen King. É difícil imaginar, mas um de seus best-sellers foi rejeitado nada menos que 30 vezes antes de finalmente ser publicado. Note bem: estamos falando de um dos maiores escritores da atualidade, que já vendeu, somados seus mais de 50 títulos, 350 milhões de cópias em todo o mundo.

Também há exemplos de brasileiros que encararam muitos nãos antes de receberem um sim que mudou tudo. Alexandre Costa, fundador da Cacau Show, é um deles. Hoje um dos maiores empreendedores do País, ele começou a arriscar bem jovem, mais ou menos com a mesma idade que eu tinha quando abri a GG Educacional. No início, Costa vendia cosméticos de porta em porta. Você faz ideia de quantos nãos ele recebeu nessa época? Milhares! Sem problema, pois hoje sua empresa vende bilhões de reais em chocolates. Quem diria, não é?

Entende agora como é errado pensar que a vida é feita apenas de nãos? É fato que todos nós teremos de lidar com várias negativas pelo caminho até que os sins comecem a brotar no jardim que semeamos com muito esforço e determinação. Mas não tenha dúvida: quando eles começarem a nascer, como resultado das boas escolhas que fizemos e reconhecimento pelas feridas que deixamos cicatrizar e pelos obstáculos que conseguimos transpor, começarão a nascer aos montes, em profusão.

Por isso, insistimos: é preciso agir, é preciso começar, é preciso tentar. A alternativa não é uma opção.

Sigo em frente, com o meu não garantido, mas em busca do meu sim. Se você também, registre nos comentários: “Vou atrás do SIM!

“Há três métodos para ganhar sabedoria: primeiro, por reflexão, que é o mais nobre; segundo, por imitação, que é o mais fácil; e terceiro, por experiência, que é o mais amargo.” Confúcio

PS: Siga-me (moderadamente, é claro) em minha página no Facebook e em meu perfil no Instagram. Lá, postarei pequenos textos de conteúdo motivacional. Serão dicas bem objetivas, mas, ainda assim, capazes de ajudá-lo em sua jornada rumo ao serviço público.

Mais artigos para ajudar em sua preparação:


Gabriel Granjeiro – Diretor-Presidente e Fundador do Gran Cursos Online. Vive e respira concursos há mais de 10 anos. Formado em Administração e Marketing pela New York University, Leonardo N. Stern School of Business. Fascinado pelo empreendedorismo e pelo ensino a distância.

 

Avatar

Presidente e sócio-fundador do Gran Cursos Online
0

90


Tudo que sabemos sobre:

artigo motivacional gabriel granjeiro


Comentários (90)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.