Como vencer o que ainda não aconteceu?

Gabriel Granjeiro


10 de Agosto de 2020 5 min. de leitura

“O medo bateu à porta. A fé atendeu. Ninguém estava lá.” – Provérbio inglês

Talvez você tenha estranhado o título do artigo desta semana, mas ele está correto. A reflexão que proponho hoje é exatamente esta: como vencer o que ainda não aconteceu?

“Ora, se a situação ainda nem sequer ocorreu, por que tenho de vencê-la?”, você certamente perguntará. Será que estou falando de algo mítico, mágico? Não mesmo. Refiro-me a um tipo de batalha que todos nós travaremos em vários momentos da vida: a batalha contra o medo.

O desconhecido induz ao receio. É algo que todos temos em comum, a diferença está apenas na intensidade. Há o medo do ridículo, da rejeição, do fracasso. Há o medo de errar, de ser julgado, de perder tempo e dinheiro. E acredite: há o medo até mesmo do sucesso, do status, da vitória. O medo, ao mesmo tempo que é um mecanismo de autodefesa – pessoas sem nenhum tipo de receio seriam imprudentes a ponto de colocar a vida em risco à toa –, também deixa muitos de nós estagnados.

É previsível que um empreendedor tema investir numa ideia se o momento é de intranquilidade, como o que o Brasil vive há anos (alguns dizem que desde sempre). Da mesma forma, não é nada surpreendente alguém, começando agora a estudar algo completamente novo, ter medo de não absorver tanta novidade. Se o prazo para isso for curto, como costuma ser no caso dos concurseiros, a preocupação aumenta na mesma proporção.

Perceba que o medo não é do presente, mas do futuro. O empreendedor e o concurseiro não temem o que está acontecendo agora, mas as previsões para um futuro mais ou menos próximo. Todos os nossos medos se baseiam na possibilidade de algo ruim vir a acontecer. Contudo, por mais estranho que pareça, temos como usar essas inseguranças a nosso favor. É sobre isso nossa conversa de hoje.

Esse foi, aliás, o conselho dado pelo professor Rolando Valcir, em entrevista que publicamos no canal Imparável. O ex-borracheiro e atual Juiz Federal, protagonista de uma incrível história de vida, respondeu o seguinte, quando lhe pedimos uma dica amiga a quem estivesse pensando em desistir: “As pessoas veem o medo como um elemento negativo, e eu [o] vejo como um elemento positivo. Por quê? Porque, ao mesmo tempo que ele faz a gente ter os pés no chão, induz a pensar como é que eu vou conseguir chegar ao ponto de destino. As pessoas precisam compreender que o medo de fracassar, o medo de não dar certo, a frustração, tem que existir para que a gente consiga saber o que precisa ser feito para superar isso”.

Em resumo, o bem-sucedido ex-concurseiro nos ensina que o medo pode nos ajudar a encontrar nosso rumo. O que devemos questionar, então, é: “Se tenho medo de não aprender, o que preciso fazer para aprender?” “Se temo ficar sem dinheiro, o que preciso fazer para ter dinheiro?” “Se receio não conseguir algo, o que tenho de fazer para me superar e alcançar meu objetivo?” Respondendo a questões como essas, dominamos o medo e o usamos como impulso para seguirmos em direção ao nosso objetivo.

O problema é quando, ao contrário disso, o medo nos paralisa. O escritor castelhano Miguel de Cervantes é autor de uma bela frase sobre isso: “Um dos efeitos do medo é perturbar os sentidos e fazer que as coisas não pareçam o que são”. Podemos até não nos dar conta, mas com frequência sucumbimos aos nossos temores, que se tornam o principal obstáculo em nossa jornada. E é nesse contexto que retomo minha pergunta original: qual é a única arma com a qual podemos vencer o que ainda não ocorreu, ou seja, o medo do futuro?

Na minha opinião, é a fé, e esclareço que não me refiro a nenhuma religião em específico, nem mesmo à crença no divino. Embora eu seja cristão, estou me referindo à fé no sentido mais amplo da palavra; aos conceitos de acreditar, confiar, mesmo sem ver. Se você tiver fé de que as coisas darão certo, se acreditar em sua própria capacidade, seus medos perderão todo o poder de paralisá-lo.

Veja bem: longe de mim defender a ideia de que não devemos temer o perigo. Esse medo é normal e até salutar. Defendo, sim, que devemos avançar apesar do medo ou até mesmo usando-o a nosso favor. Devemos converter a influência negativa dele em positiva. E, sim, isso é possível.

A primeira atenção que precisamos ter é em relação ao escapismo e ao autoboicote. Se há algo capaz de nos afastar dos nossos sonhos e desejos, é a tal desculpa. É inventando desculpas que deixamos de agir, que nos recolhemos, amedrontados, temerosos de mais humilhação, fugindo do fantasma da rejeição e nos escondendo da sensação de inutilidade. É afundando em desculpas, enfim, que desistimos de tentar.

Entra em cena, então, o autodomínio. Quem não domina a si próprio jamais ultrapassará a linha do medo. A falta de controle sobre si mesmo é a forma mais cruel de indefinição. Você só encontrará o que procura se fizer uma pausa e sondar a própria alma, com paciência e determinação. E, por favor, amigo leitor, não busque a resposta muito longe, pois ela está próxima: “Nenhum lugar onde se possa ir é mais tranquilo, mais livre de interrupções do que sua própria alma”, diria o imperador romano Marco Aurélio.

Como o Dr. Rolando me ensinou com sua “Teoria da régua”, o ser humano tenta mensurar tudo: a quantidade de dinheiro, a altura, o tamanho da casa… Entretanto, não há como mensurar conhecimento. Até tentamos, por meio de uma prova de concurso, por exemplo, fazer a aferição mais justa possível do conhecimento que um candidato tem num dado momento. O método é perfeito? Não, mas é o mais próximo do ideal que existe. Diante disso, é normal, ao longo dos estudos, o candidato jamais se sentir pronto e conviver com o medo de não haver aprendido o suficiente.

Dr. Rolando conta que, mesmo hoje, já atuando como Juiz Federal, às vezes não se sente a pessoa mais apta para o cargo. Se é assim até depois da posse, não pode ser diferente nas etapas anteriores. Na véspera da prova, alerta, sempre aparecerá uma teoria do “Pirlilampo” – ou outro nome tão estranho quanto – que alguém menciona, e você, ou desconhece por completo, ou não estudou com a profundidade que gostaria.

Os dias de preparação são imperfeitos, concurseiro, mas funciona assim com todos os candidatos, e não só com você. É a constância, fortalecida pela fé, pela crença de que é, sim, possível, e recorrendo ao medo como instrumento de motivação, que vai levar você ao destino mesmo você se sentindo longe da perfeição. Ninguém sabe de tudo. Há etapas a serem vencidas, em um processo de maturação que se aplica a todo mundo. “Quando o processo chega ao final, vem a aprovação”, sintetiza Valcir. Não destrua sua autoconfiança enquanto o seu processo não termina.

O medo faz parte do percurso. Em qualquer estrada, haverá barreiras. Se você conseguir notá-las a tempo, provavelmente conseguirá desviar. Se, porém, for pego de surpresa, não esmoreça. Enfrente o desafio com fé, guardando o medo no bolso. Nelson Mandela dizia que a coragem não é a ausência do medo, mas o triunfo sobre ele. De fato, quando o medo é fator de paralisia, mostra-se extremamente prejudicial; quando é dominado, serve de estímulo para não nos acomodarmos, para querermos fazer mais e melhor, para sairmos da nossa zona de tranquilidade e previsibilidade. Afinal, qual seria a graça da vida sem um friozinho na barriga de vez em quando?

Saiba que tenho empatia com a sua luta, concurseiro. Não por outra razão, meu conselho é: identifique os seus medos e use-os como norte. Não os elimine de vez. Em vez disso, guarde-os como trunfo, como lembrança do que é preciso fazer a seguir. Tudo que o medo pretende é isto: que não avancemos. O papel dele é nos fazer parar, mas confio que você jamais cederá a isso.

Assuma a sua história e escreva um belo final para ela! O capítulo derradeiro ainda está em branco.

Sigamos, juntos, apesar do medo e usando-o como fortaleza!

Se você chegou até aqui, gostaria de lhe pedir um favor: comente abaixo dizendo o que achou do texto. Foi útil? Não foi? Ajudou? Não ajudou? Seu feedback é muito importante!

PS: Siga-me (moderadamente, é claro) em minha página no Facebook e em meu perfil no Instagram. Lá, postarei pequenos textos de conteúdo motivacional. Serão dicas bem objetivas, mas, ainda assim, capazes de ajudá-lo em sua jornada rumo ao serviço público.

Mais artigos para ajudar em sua preparação:

 

Gabriel Granjeiro – Diretor-Presidente e Fundador do Gran Cursos Online. Vive e respira concursos há mais de 10 anos. Formado em Administração e Marketing pela New York University, Leonardo N. Stern School of Business. Fascinado pelo empreendedorismo e pelo ensino a distância.

 

Quer conquistar a sua aprovação em concursos públicos?

Prepare-se com quem mais entende do assunto!

Comece a estudar no Gran Cursos

Depoimentos relacionados

Isabela Vitti
1º lugar - Auditor do TCDF

Isabela Vitti Vieira Borges nasceu e reside em Brasília/DF, cidade onde viu se concretizar o grande sonho de ser aprovada…

Eduardo Ghellere
5º lugar - Escrivão da Polícia Federal

Eduardo Ghellere Olivo estudou por oito meses e meio para o concurso PF. Seus estudos começaram após vender a participação…

Gilson José
Escrivão da Polícia Civil do Rio Grande do Sul

Em busca de estabilidade e de melhores salários para dar uma melhor condição de vida para a família, Gilson José…

Emili Rietta
Polícia Rodoviária Federal

O desejo de fazer a diferença, inspirou a nossa aluna Emili Barro Rietta a fazer concursos públicos. Além desse desejo…

Eduardo de Sousa Menezes
Papiloscopista da Polícia Federal

Eduardo Sousa de Menezes foi aprovado na primeira etapa do Concurso PF para o cargo de papiloscopista e agora está…

Pedro Higor Faustino
Agente da Polícia Federal

Pedro Higor Faustino é natural de Juazeiro/BA, mas reside desde pequeno em Brasília/DF, onde mais tarde começaria a sonhar com…

Gabriel Evangelista
Escrivão da Polícia Federal

Nosso aluno Gabriel, aprovado no concurso PF, disse não ter acreditado quando viu seu nome na lista de aprovados, a…

Daniele Laís
5º lugar - IBGE

Daniele Laís saiu de seu emprego no SENAC DF aproveitando um momento de mudança no seu cargo, hoje extinto, e…

Gabriel Granjeiro

Equipe de Comunicação do Gran Cursos Online
0

126


Comentários (126)

Avatar SIMONE DIAS DE SOUZA 10 de Agosto de 2020

Boa noite. Muito bom o texto, como sempre. Muito válido para o momento de preparação para concurso em meio a medos e medos. Muito obrigada.

 Responder

Avatar NATALIE BATISTA BARRETO 10 de Agosto de 2020

Eu amei essa reflexão, uma grande motivação. Amei mais ainda saber que o fundador é Cristão! Gran Cursos – Gratidão! ♥️

 Responder

Avatar Silvia Assunção 10 de Agosto de 2020

Muito bom, motivador.

 Responder

Avatar Hugo Freire 10 de Agosto de 2020

Muito obrigado por esse texto, maravilhoso.

 Responder

Avatar Valdinei Silva 10 de Agosto de 2020

Foi ótimo… Gratidão

 Responder

Avatar Juliana Lisboa 10 de Agosto de 2020

Nossa! Gabriel você é luz. Faz algumas semanas que tenho percebido que o medo está constante sobre mim. Estou tentando fazer 1.66 mínimo no salto horizontal, mas não consigo. Porque tenho medo de pular, de cair. Não sei. É tudo muito estranho. Já até chorei achando que não vou conseguir. E ultimamente tenho dormido preocupada com isso e tentando identificar o porquê disso. Pesquisando sobre o medo e técnicas para vencer. E justamente nesse momento de 21:00hs estava procurando, seu uma pausa e vi sua publicação. Completando minhas buscas e sanando minhas duvidas. Identifiquei que um dos medos está relacionado a minha infância, onde eu tive uma queda numa barra de ferro ao qual feriu meu joelho direito e provocando dificuldades para andar, tinha medo de seguir em frente e cair. O que lembro é que me ameaçaram a andar direito ou iria apanhar por causa disso. E ainda tem mais, eu tinha uma bicicleta, onde tambem não andava sozinha por nedo de cair, então, colcocaram as rodinhas. Para nadar, ate hoje tenho uma dificuldade de movimentar as pernas. Mas eu ando normalmente. O meu problema é mais psicológico mesmo mas que tem afetado minha vida. Portanto, eu não fui encorajada a vencer esses medos. É uma luta que tenho que vencer sozinha. Sou criticada por causa desse medo. SÓ DEUS PRA ME AJUDAR! Obrigada Gabriel por sempre estar ajudando pessoas com seus artigos.

 Responder

Avatar Rosangela Simões de Andrade 16 de Agosto de 2020

Amo seus textos, Deus continue lhe abençoando com sabedoria para inspirar muito mais gente.

 Responder

Avatar Jessica 10 de Agosto de 2020

Realmente o concurseiro tem que usar o medo como um incentivo para se aperfeiçoar a cada dia mais nas disciplinas as quais não domina tanto.

Obrigada pelo texto , Gabriel!

 Responder

Avatar Joane Sousa 11 de Agosto de 2020

Um texto sobre o medo, com doses cavalares de coragem. Hoje estava tão desanimada qnt a estudar pra concurso. Vinha dentro do ônibus, e em secreto pedi a Deus que me desse um sinal sobre meu futuro. Se continuava estudando ou não e me deparo com um texto desse, motivador.
Obrigada! Esse foi meu sinal. Grata!

 Responder

Avatar Valdete Maria dos Anjos 13 de Agosto de 2020

Adorei, excelentes textos

 Responder

Avatar Lucas 12 de Agosto de 2020

Excelente texto, de fato estas situações se concretizam no meu dia a dia. Foi confortante esta mensagem e uma força a mais para prosseguir com constância.

 Responder

Avatar Dâmara Cinzia 12 de Agosto de 2020

Que texto meus caros, retrata muito bem como me sinto, como me deixo levar pelo medo e pela descrença em mim mesma, medo esse que me leva a procrastinação e criar uma barreira mental entre meu sonho e a certeza de poder o conquistar. Obrigada pelas palavras, Gabriel. Que venha GRAN aprovações. 💪🏼😍🙏🏼

 Responder

Avatar Andre 11 de Agosto de 2020

Demais…estava precisando dessas palavras… obrigado amigos!

 Responder

Avatar MARCELO TOJAL 11 de Agosto de 2020

Excelente, bom dia!

 Responder

Avatar Eloina Fogaça do Prado 11 de Agosto de 2020

GABRIEL MUITO OBRIGADO POR TODOS OS TEXTOS QUE VOCÊ POSTA ME AJUDA MUITO TODOS OS DIAS

 Responder

Avatar DANIEL ARON DE DEUS 12 de Agosto de 2020

Excelente texto! Sempre revigorante ler um conteúdo de extrema qualidade.

 Responder

Avatar Gabriel Figueiredo Guedes 12 de Agosto de 2020

Excelente texto, muito obrigado Gabriel !

 Responder

Avatar Roseli 12 de Agosto de 2020

O que dizer desse artigo?! Como todos seus artigos, são maravilhosos, me ajudam muito a enfrentar os problemas cotidianos.

 Responder

Avatar Raimunda 13 de Agosto de 2020

Foi muito bom. Esses textos abre mais a mente.

 Responder

Avatar Vilmar Nunes Vieira 13 de Agosto de 2020

Caro amigo, boa noite!

Um texto tão incrível quanto oportuno ao meu momento de vida, em que me deparo questionando uma série de verdades absolutas até então, dentre elas a minha “inabalável” autoconfiança e certeza de que poderia vencer sempre usando os mesmos métodos!
Uma nova aventura se inicia neste momento!

Forte Abraço

 Responder

Avatar Lucas Rodrigues 14 de Agosto de 2020

Motivador, que o Deus vivo possa te guiar sempre e te encher de sabedoria. Forte abraço!

 Responder

Avatar Elias Lino Dos Santos 14 de Agosto de 2020

Sou muito grato por ter a oportunidade de ouvir tão sábias palavras.

 Responder

Avatar LUANA MARIA RODRIGUES DE ARAUJO 15 de Agosto de 2020

Ótimo texto,leitura estimulante para que eu possa seguir em frente e vencer meus medos.

 Responder

Avatar LEILA SAMPAIO 16 de Agosto de 2020

O texto foi maravilho, obrigada por nos inspirar e não deixarmos desistir. Tem sido dias bem difíceis, porém, acredito que isso irá passar. obrigada e Deus te abençoe!!!

 Responder

Avatar LEONY RIBEIRO 17 de Agosto de 2020

CARA, VEIO NO MOMENTO EXCELENTE ESTA MENSAGEM. MUITO OBRIGADO!

 Responder

Avatar Alex Araújo 3 de Setembro de 2020

Muito bom!!!

 Responder

Avatar Simone Macedo Barbosa 8 de Novembro de 2020

O texto é maravilhoso, confesso que ao terminar de ler até achei que não fosse seu Gabriel, parece que redigido por uma força positiva sobrenatural que alcança o âmago de nossas almas, parabéns Gabriel por ser essa pessoa de luz e pelas motivações que traz através desses textos, Amei!!!!

 Responder

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *