A arte de viver

Avatar


28/09/2020 | 11:24 Atualizado há 525 dias

Primeiro, diga a si mesmo o que você deveria ser; depois, faça o que tem de fazer.” – Epiteto (50 d.C. – 135 d.C.), filósofo grego estoico

A palavra “arte” vem do latim ars, que significa habilidade. Por definição, é algo que pode ser desenvolvido, com conhecimento e muito treino. Isso inclui, amigo, a habilidade de viver. Nossos antepassados refletiram muito sobre esse tema, e um grupo deles chegou a uma conclusão simples: da forma como levamos a vida depende nossa paz interior. Hoje vamos aprender com um representante desse grupo: o grande filósofo grego Epiteto. Fique tranquilo, pois não vou me perder em conceitos da escola de pensamento conhecida como estoicismo. Vou apenas compartilhar um pouco da leitura inteligente que a escritora Sharon Lebell faz de algumas das ideias do filósofo no livro “A arte de viver”, publicado pela editora Sextante.

Epiteto nos legou um admirável manual sobre como viver melhor, mais contentes, tranquilos, com sabedoria e dignidade. Ele falava, em síntese, da necessidade de nutrirmos boas qualidades morais a fim de enfrentarmos com competência os inevitáveis desafios cotidianos. Seria esse agir pautado na ética que nos permitiria alcançar serenidade e, por extensão, felicidade. É tudo o que queremos, concorda?

Entre os ensinamentos abordados por Sharon Lebell, optei por trazer, para nossa conversa de hoje, sete. Pronto para passar a ver a vida com outros olhos?

Saiba distinguir o que você pode do que não pode controlar.

Nenhum de nós tem ingerência sobre, por exemplo, sua genética e o que ela determina na aparência, personalidade, saúde. Podemos até adotar um estilo de vida saudável, à base de boa alimentação e atividade física, a fim de minimizar ou adiar os danos que um gene ligado à obesidade ou ao câncer um dia produzirá em nosso corpo, mas, no fim, é aceitar nossa falta de controle sobre fatores naturais como esse. E há outros, igualmente incômodos e alheios a nossa vontade, como a imagem que as pessoas fazem de nós.

Você sabe aonde quero chegar, não sabe? Meu ponto, aqui, é: tentar controlar o incontrolável só vai lhe trazer angústia. Concentre seus esforços naquilo que depende apenas de você mesmo. A tranquilidade de saber até onde se pode ir traz paz de espírito. Pode ser difícil, no início, agir de acordo com esses princípios? Sem dúvida. Mas acredite: é fundamental para alcançar a felicidade.

As circunstâncias não ocorrem para atender nossas expectativas.

Os fatos acontecem como têm de acontecer, e as pessoas são o que são. Qual é o conselho que Epiteto nos dá a esse respeito? Sugere que harmonizemos nossas ações com a vida real. Isso significa não tentar impor nossas regras, mas respeitar as do mundo concreto. É sábio viver, ensina, sem almejar a admiração dos outros. Devemos criar nossa própria escala de valor e nos darmos por satisfeitos com nossos méritos medidos por essa régua, não pela de terceiros.

Fraquejamos quando dependemos de validação externa, concurseiro. Mesmo quem nos ama de verdade quase nunca compreende nosso entusiasmo, que dirá compartilhar dele… Então trate de valorizar o que é seu, o que você admira, o que lhe pertence, sem olhar para o lado. Como Sharon ilustra, você possui livros? Então leia-os, aprenda algo com eles. Você tem alguma habilidade? Então faça uso dela. Tem em casa algumas ferramentas? Então construa ou conserte algo com elas. A lição é usufruirmos daquilo que possuímos, daquilo que é genuinamente nosso.

Aproveite o que acontece como oportunidade de autoconhecimento.

Todos temos uma força que provavelmente ignoramos, e, para Epiteto, precisamos encontrá-la o quanto antes. É curioso, mas as provações impostas pela vida podem ser fundamentais para iniciar, em nós, um processo de autodescoberta. A cada revés suportado, notamos uma habilidade nova que nos conduz a mais uma superação. É nossa força sendo revelada. Em vez de se deixar dominar ou oprimir pelos fatos, aja a partir deles, encarando-os como oportunidades de engrandecimento pessoal. Se a situação requer paciência, busque paciência. Se requer força mental, concentre-se nisso. É tudo uma questão de perceber o que se espera de você num dado momento.

Cuidado com problemas de terceiros.

Somos todos destinados a desempenhar um papel que é só nosso. Se cometermos o erro de nos envolver em excesso com os problemas de outra pessoa, nos arriscamos a absorver toda a carga de negatividade que vem junto. Mantenha distância segura, sendo cauteloso em relação a quando e com quem você se relaciona. Vivencie o papel que a vida lhe reservou e permita que o outro vivencie o dele. Reforce em si mesmo os ideais que preza e defende, mantendo-se fiel a suas verdadeiras aspirações, sem se distrair com os anseios de quem está a sua volta. Lembre-se: todo mundo um dia teve ou terá de fazer isso. Autopreservação é essencial para sermos mais felizes.

Toda recompensa tem um preço.

É isto mesmo, meu amigo, minha amiga: toda jornada envolve custos, todo projeto requer investimento de tempo e energia. Você e eu precisamos decidir se estamos dispostos a arcar com eles, tal como fizeram os que chegaram lá antes de nós. Negligência, preguiça e distração não ajudam em nada no progresso pessoal e espiritual, portanto devem ser extirpados da rotina. E jamais renuncie a sua integridade. Não tem jeito, na vida só há duas opções: ou nos empenhamos em sermos fiéis à verdade, ou vivemos à base de aparência e superficialidade. A escolha é toda sua, claro, mas quem há de negar que caráter vale mais que reputação? Pague o preço de suas conquistas!

Entenda quem você quer ser.

Esse é provavelmente o maior conselho de Epiteto. Trate de descobrir quem, exatamente, você quer ser. Todos nós precisamos de modelos em quem nos inspirar. Que tipo de pessoa você admira? Quem são seus heróis e ídolos? Repare bem nas qualidades deles e avalie quais delas você gostaria de ter. Feita essa análise, sugiro que anote, numa agenda ou diário, cada ponto que precisa desenvolver em si mesmo e consulte regularmente o que falta para atingir a próxima meta. Acredite: ninguém nasce perfeito, e todos temos de trabalhar duro para chegar ao menos perto do que idealizamos. O ser humano está sempre em construção.

Defina o que é importante e o que não é.

Na correria do dia a dia, somos levados pela marcha da vida, ficando sem muito tempo para avaliar o que consideramos mesmo importante. Erro grave! Encontre nem que seja um minutinho, de vez em quando, para refletir sobre o que é mais relevante para você. Defina os riscos que considera aceitáveis e os que lhe parecem absurdos. Qualquer sofrimento, problema ou aborrecimento se torna mais suportável quando o vemos como parte do caminho rumo ao que entendemos ser verdadeiramente valoroso.

Como você deve ter notado, a filosofia de Epiteto se concentrava em três temas: domínio dos desejos, gestão das obrigações e clareza de pensamento a respeito de si mesmo e do relacionamento com a humanidade. Os ensinamentos do pensador não eram dirigidos a uma classe intelectual ou econômica, em particular, mas a todos que tivessem interesse em refinar o caráter, em se tornar melhores e mais felizes como indivíduos. É o seu caso? Que tal, então, desenvolver a sua arte de viver?

Se você chegou até aqui, gostaria de lhe pedir um favor: comente abaixo dizendo o que achou do texto. Foi útil? Não foi? Ajudou? Não ajudou? Seu feedback é muito importante!

PS: Siga-me (moderadamente, é claro) em meu perfil no Instagram. Lá, postarei pequenos textos de conteúdo motivacional. Serão dicas bem objetivas, mas, ainda assim, capazes de ajudá-lo em sua jornada rumo ao serviço público.

Mais artigos para ajudar em sua preparação:

 

Gabriel Granjeiro – Diretor-Presidente e Fundador do Gran Cursos Online. Vive e respira concursos há mais de 10 anos. Formado em Administração e Marketing pela New York University, Leonardo N. Stern School of Business. Fascinado pelo empreendedorismo e pelo ensino a distância.

Avatar

Presidente e sócio-fundador do Gran Cursos Online
0

52

Comentários (52)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.