Concurso Anvisa 2016: Confira os fundamentos de recursos! Prazo termina hoje!

Concurso Anvisa 2016Com gabarito preliminar já publicado, os participantes do certame da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) poderão interpor recurso no endereço eletrônico do Cespe.

Atenção! O prazo para interpor recurso termina às 18 horas desta quinta-feira, 8 de dezembro de 2016.

Atenção! Essa pauta será atualizada ao longo dia, conforme o recebimento dos recursos elaborados por nossos professores.

Confira abaixo os recursos elaborados por nossos professores:

Língua Portuguesa – Professor Elias Santana

Noções de Direito Constitucional – Professor Wellington Antunes 

Legislação Específica – Professora Fernanda Barboza

Dos recursos

O candidato que desejar interpor recursos contra os  gabaritos  oficiais  preliminares  das  provas objetivas disporá das 9 horas do primeiro dia às 18 horas do segundo dia  (horário oficial de Brasília/DF) para fazê‐lo, a contar do dia subsequente ao da divulgação desses gabaritos.

Para  recorrer  contra  os  gabaritos  oficiais  preliminares  das  provas  objetivas,  o  candidato  deverá  utilizar  o  Sistema  Eletrônico  de  Interposição  de  Recurso,  disponível  no  endereço  eletrônico http://www.cespe.unb.br/concursos/anvisa_16, e seguir as instruções  ali contidas.

Todos  os  recursos  serão  analisados,  e  as  justificativas  das  alterações/anulações  de  gabarito  serão  divulgadas  no  endereço  eletrônico  http://www.cespe.unb.br/concursos/anvisa_16.  Não  serão  encaminhadas respostas individuais aos candidatos.

O recurso não poderá conter, em outro local que não o apropriado, qualquer palavra ou marca que identifique seu autor,sob pena de ser  preliminarmente indeferido.

Se  do  exame  de  recursos  resultar  anulação  de  item  integrante  de  prova, a pontuação correspondente a esse item será atribuída a todos os candidatos, independentemente de terem  recorrido.

Se houver alteração, por força de impugnações, de gabarito oficial preliminar de item integrante de prova, essa alteração valerá para todos  os candidatos, independentemente de terem recorrido.

Não será  aceito  recurso  via  postal, via fax,  via  requerimento  administrativo, via correio eletrônico ou,  ainda, fora do prazo.

Para mais informações, consulte o edital.

Sobre o concurso

O concurso da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Concurso Anvisa 2016) visa o preenchimento de 78 vagas no cargo de Técnico Administrativo. Do total, 4 vagas são reservadas para candidatos com deficiência e 16 vagas reservadas para candidatos autodeclarados negros.

O cargo de Técnico Administrativo exige apenas diploma de nível médio e conta com remuneração inicial de inicial de R$ 7 mil, incluindo os R$ 458 de auxílio-alimentação e R$ 205 de auxílio-saúde.

Todos os candidatos foram avaliados por prova objetiva e prova discursiva. A prova constará de 120 questões, sendo 50 de conhecimentos básicos e 70 de conhecimentos específicos. Fazem parte do conteúdo programático Língua Portuguesa, Raciocínio Lógico, Ética no Serviço Público, Noções de Administração, Noções de Direito Constitucional, Noções de Direito Administrativo, Legislação Específica. Haverá também exame discursivo, que versará sobre um tema de Atualidades.

O prazo de validade do concurso esgotar-se-á após dois anos, contados a partir da data de publicação da homologação do resultado final, podendo ser prorrogado, uma única vez, por igual período.

Detalhes:

  • Concurso: Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Concurso Anvisa 2016)
  • Banca organizadora: Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos (Cebraspe)
  • Cargos: Técnico Administrativo
  • Escolaridade: nível médio
  • Número de vagas: 78
  • Remuneração: R$ 7.680,06
  • Inscrições: de 9 setembro a 29 de setembro de 2016
  • Valor da taxa de inscrição: R$ 70,00
  • Data da prova: 4 de dezembro de 2016

edital

Estudando para concursos públicos? Prepare-se com quem tem tradição de aprovação e 26 anos de experiência em concursos públicos. Cursos online com início imediato, visualizações ilimitadas e parcelamento em até 12x sem juros!

matricule-se 3

assinatura-ilimitada-

garantia-de-satisfacao-30

Depoimentos de alunos aprovados AQUI. Casos de sucesso:

CHEGUEI-LÁ2 CHEGUEI-LÁ CHEGUEI-LÁ2 CHEGUEI-LÁ-Natálial CHEGUEI-LÁ (7)

Notícias Relacionadas

Avatar
Anna Rodrigues
Equipe Gran Cursos Online
39 Comentários

39 Comentários

  1. Avatar

    Sorte Grande

    06/12/2016 23:32em23:32

    Para quem for recorrer contra a questão que fala:

    ” A edição de resolução específica, a exemplo da que proibiu o comércio da água sanitária da empresa AquaCloro Ltda., é atribuição do diretor da ANVISA, conforme previsto no decreto que aprova o regulamento dessa agência”

    A Anvisa manifesta suas decisões por meio das Resoluções da Diretoria Colegiada (RDCs), incluídas na competência “editar normas sobre matérias de competência da Agência”, prevista no art. 11, IV do decreto 3.029/99. Portanto, essa não é uma competência “do diretor”, mas da diretoria.

    “DECRETO No 3.029, DE 16 DE ABRIL DE 1999.

    Seção III – Da Diretoria Colegiada

    Art. 11. Compete à Diretoria Colegiada, a responsabilidade de analisar, discutir e decidir, em última instância administrativa, sobre matérias de competência da autarquia, bem como sobre:

    IV – editar normas sobre matérias de competência da Agência;”

    E ainda:
    “STJ – AGRAVO REGIMENTAL NO HABEAS CORPUS AgRg no HC 254574 PE 2012/0196842-1 (STJ) Data de publicação: 17/03/2015
    Ementa: AGRAVO REGIMENTAL EM HABEAS CORPUS. TRÁFICO ILÍCITO DE DROGAS. RESOLUÇÃO DA ANVISA. INVÁLIDA. ABOLITIO CRIMINIS. NÃO OCORRÊNCIA.
    1. É pacífico nesta Corte Superior o entendimento de que a Resolução n. 104, de 6/12/2000, do Diretor-Presidente da ANVISA, que excluiu o cloreto de etila da lista de substâncias psicotrópicas proibidas, porquanto não referendada pela Diretoria colegiada, é inválida, não surtindo, pois, efeitos no mundo jurídico, de modo que não há que se falar em abolitio criminis. 2. Agravo regimental improvido. ”

    Por isso, a questão deve ter seu gabarito alterado de certo para errada.

    • Avatar

      Quezia

      07/12/2016 12:35em12:35

      Creio que esta questão deveria ser anulada. Porque ficou vago.

      • Avatar

        Sorte Grande

        07/12/2016 14:56em14:56

        O que ficou vago? A questão cita claramente a palavra “Decreto”. E o decreto nada fala sobre isso. Se não fala nada, está errada a afirmativa. Se está errada, o gabarito deve ser modificado. Todo mundo que quer a anulação é pq “acertou” a referida…

  2. Avatar

    Lucas Fernandes

    07/12/2016 10:44em10:44

    Não caberia recurso na questão da próclise??

    • Avatar

      Cida Costa

      07/12/2016 10:50em10:50

      Qual é a questão, Lucas, o número?

      • Avatar

        Lucas Fernandes

        07/12/2016 11:01em11:01

        Na minha prova era a questão 9. “Na linha 3, o termo “se” é um pronome apassivador…”

  3. Avatar

    Cida Costa

    07/12/2016 10:48em10:48

    A questão 98, de acordo com a EC 19/98, está Certa qto à estabilidade depois de 3 anos de serviço e foi dada como errada.
    A 84 menciona 2 anos e tá certa uma ve que ela menciona a CF;mas a 98 só menciona estágio probatório.

    • Avatar

      Gabriel Ortega

      07/12/2016 11:56em11:56

      A 98 está errada pq é uma entidade pública de direito privado, CLT
      A 84 está errada também porque é ATÉ 2 anos e não 2 anos como diz a questão.

      • Avatar

        Anna Rodrigues

        07/12/2016 12:40em12:40

        Olá Gabriel e Cida, boa tarde!

        A questão 98 não cabe recurso pois João foi contratado conforme regime CLT, portanto a questão realmente está errada.

        A questão 84 terá recurso fundamentado por nosso professor especialista, Wellington Antunes.

        Estamos à disposição.

        Atenciosamente,
        – Comunicação Gran Cursos Online

        • Avatar

          Gabriel Ortega

          07/12/2016 12:43em12:43

          Foi justamente o que eu respondi a Cida.

          Estou esperando o recurso fundamentado justamente pq a 84 não tem cabimento estar correta!
          Muito obrigado Anna.

          • Avatar

            Anna Rodrigues

            07/12/2016 14:44em14:44

            Prezado Gabriel,

            Disponibilizaremos em breve o fundamento do recurso da questão 84.

            Estamos à disposição.

            Atenciosamente,
            – Comunicação Gran Cursos Online

  4. Avatar

    graziela

    07/12/2016 12:43em12:43

    E tbm nao esta claro na lei e e nem do decreto que essa competencia é do diretor.
    Consta somente no regimento interno da Anvisa, portanto extrapola o edital.

  5. Avatar

    Maurício

    07/12/2016 14:10em14:10

    Boa tarde pessoal,

    Referente às questões de português, vocês concordam com o gabarito? Na minha humilde opinião cabe recurso pelo menos nas questões 02 “Existe uma discordância entre….”, 03 “Na argumentação desenvolvida no texto…”, 05 “Caso se altere a ordem dos termos…”, 09 “Na linha 3, o termo se….”. Alguém pode ajudar?

    • Avatar

      Deividi

      07/12/2016 15:19em15:19

      Maurício, também não entendi porque a 05 está Errada. “Caso se alterasse a ordem dos termos”.

      • Avatar

        Joelma

        08/12/2016 16:15em16:15

        Questão 2 – Português
        Afirma a questão:
        Existe uma discordância entre a crença popular e o que a literatura médica – personificada na OMS – define como “estar sadio”.

        Com efeito, o texto afirma que, para muitas pessoas, estar sadio significa não estar doente.
        Esse não é, entretanto, o pensamento da OMS, pois esta instituição pensa o contrário.

        Vejamos o que diz o texto: “Para MUITAS PESSOAS, estar sadio é simplesmente, e AO CONTRÁRIO DO QUE PRETENDE A OMS, não estar doente”.

        Observa-se que o texto afirma exatamente o que prescreve a questão, que há discordância entre a crença popular e a literatura médica que, no texto em tela, é personificada pelo pensamento da OMS sobre o assunto.

        Solicita-se, portanto, a alteração do gabarito de errado para CERTO.

    • Avatar

      Joelma

      08/12/2016 16:17em16:17

      Questão 9 – Português
      A questão afirma:
      Na linha 3, o termo “se” é um pronome apassivador e, caso sua colocação fosse alterada de proclítica – como está no texto – para enclítica – que a doença transmitia-se -, essa alteração incorreria em erro gramatical.

      Em primeiro lugar, cabe esclarecer que o termo “se”, no caso, não é um pronome apassivador, mas sim um pronome reflexivo.

      Há diferenças, como se verá a seguir.
      Pronome Apassivador. Pode também ser chamado de partícula apassivadora/apassivante, e serve para indicar que a frase está na voz passiva, ou seja, o sujeito sofre a ação praticada por outro agente. Chamamos de sujeito “paciente”.
      O pronome apassivador segue um VTD (verbo transitivo direto) que esteja na 3ª (terceira) pessoa.
      Exemplos: Vendem-se casas; Os livros que se extraviaram, foram restaurados.
      No caso em tela, temos um Pronome Pessoal Reflexivo. Neste caso, o SE vai servir para indicar uma ação que é praticada pelo sujeito e ele mesmo receberá suas conseqüências. Dizemos que o sujeito pratica e sofre a ação.
      Exemplos: Maria cortou-se com uma tesoura; Deitou-se mais cedo para descansar.
      Fonte: Infoescola, Funções do “Se”, por Ana Paula Araújo.
      http://www.infoescola.com/portugues/funcoes-do-se/

      Além disso, verifica-se também que, mesmo que se desconsidere a diferença existente entre pronome apassivador e pronome reflexivo, há ainda outro equívoco no quesito, posto que não ocorreria erro gramatical com a alteração proposta, conforme veremos pela transposição a seguir.
      De: Grande parte dos médicos e da população acreditava que a doença se transmitia pelo contato com roupas, suor, sangue e secreções de doentes.
      Para: Grande parte dos médicos e da população acreditava que a doença transmitia-se pelo contato com roupas, suor, sangue e secreções de doentes.

      Em ambos os casos, o texto afirma que Grande parte dos médicos e da população acreditava que a doença ERA TRANSMITIDA pelo contato com roupas, suor, sangue e secreções de doentes.

      Não ocorre erro porque o verbo TRANSMITIR é transitivo direto e indireto (quem transmite, transmite algo a alguém).

      Mantém, dessa forma, sua condição de pronome reflexivo na forma enclítica por meio da conjugação no pretérito imperfeito do indicativo: ela transmitia-se, significando que a doença transmitia a si mesma.

      Dessa forma, pelas razões expostas, solicita-se a alteração do gabarito para ERRADO, pelas razões a seguir:
      1) O termo “se”, no caso, não é um pronome apassivador (quando o sujeito sofre a ação de outrem), mas sim um pronome reflexivo (quando o sujeito sofre as consequências das próprias ações).
      2) A alteração proposta, da forma proclítica para a forma enclítica NÃO acarretaria erro gramatical, conforme demonstrado.

  6. Avatar

    Daniel Schoenell

    07/12/2016 14:38em14:38

    Alguém pode dizer se cabe recurso com relação a questão de informática que diz: Ao contratar e utilizar um serviço de computação em nuvem para armazenar seus dados, o usuário perde a governança sobre esses dados, por não visualizar como eles são submetidos aos processos de becape, armazenamento e controle de segurança.

    • Avatar

      Sorte Grande

      07/12/2016 19:56em19:56

      Até cabe, pois “governança” não se restringe aos processos de becape, armazenamento e segurança, sendo também o acesso e edição dos dados. Para que fosse considerada inequivocamente ERRADO, o item deveria afirmar que o usuário perde PARTE da governança sobre eles.

      No entanto, “governança” é termo de conceito bem vago, mesmo na área de TI.

      • Avatar

        Júnior

        07/12/2016 23:05em23:05

        Eu concordo. Mesmo governança sendo um termo vago, deu a entender que você perde todo o controle. Uma das propostas da cloud computing é que o usuário tenha acesso/edição aos dados através de vários meios.

  7. Avatar

    Renato

    07/12/2016 15:43em15:43

    A nota mínima expressa no edital para ser aprovado e não necessariamente classificado é: CB= 10 e CE= 21 e, no total, são necessários, no mínimo, 36 pontos, a partir soma dos conhecimentos básicos e específicos. Qual será a nota mínima exigida para a correção da prova discursiva?

  8. Avatar

    Renato Faria

    07/12/2016 15:46em15:46

    A nota mínima expressa no edital para ser aprovado e não necessariamente classificado é: CB= 10 e CE= 21 e, no total, são necessários, no mínimo, 36 pontos, a partir soma dos conhecimentos básicos e específicos. Qual será a nota mínima exigida para a correção da prova discursiva?

    • Avatar

      Daniel Schoenell

      07/12/2016 16:29em16:29

      Vai depender da nota de corte, que acredito que será bem alta!

  9. Avatar

    Sorte Grande

    07/12/2016 18:22em18:22

    Cadê os fundamentos de recursos? Até agora só vi português!

  10. Avatar

    Sorte Grande

    07/12/2016 21:03em21:03

    Ao contratar e utilizar um serviço de computação em nuvem para armazenar seus dados, o usuário perde a governança sobre esses dados, por não visualizar como eles são submetidos aos processos de becape, armazenamento e controle de segurança.
    Segundo o guia DAMA-DMBOOK®:
    “Governança de Dados é o exercício de autoridade e controle (planejamento, monitoramento e execução) sobre o gerenciamento de ativos de dados. A função de governança de dados guia como todas as outras funções da gestão de dados são realizadas. Governança de dados é de alto nível, ou seja, é gestão estratégica de dados na esfera executiva. “
    Ou seja, segundo a DAMA a Governança de Dados são todas as políticas que devemos adotar na Gestão do Dado, ela define e acompanha o funcionamento de todas as funções da Gestão de Dados.
    Assim, a Gestão de Dados está distribuída por dez (9) funções:
    • Gestão da Arquitetura de Dados – função responsável por definir as necessidades de dados e alinhar os mesmos com a estratégia de negócio da empresa.
    • Gestão do Desenvolvimento dos Dados – função responsável pelas atividades de modelagem e implementação das estruturas dos dados dentro do ciclo de vida do desenvolvimento dos sistemas de informação.
    • Gestão de Operações de Dados – função responsável por manter armazenados os dados ao longo do seu ciclo de vida.
    • Gestão da Segurança dos Dados – função responsável por definir e manter as políticas de segurança da informação da empresa.
    • Gestão de Dados Mestres e Dados de Referência – função responsável por definir e controlar atividades para garantir a consistência e disponibilização de visões únicas dos principais dados reutilizados na empresa.
    • Gestão de Data Warehousing e Business Intelligence: função responsável por definir e controlar processos para prover dados de suporte à decisão, geralmente disponibilizados em aplicações analíticas.
    • Gestão da Documentação e Conteúdo: função dedicada a planejar, implementar e controlar atividades para armazenar, proteger e acessar os dados não estruturados das empresas.
    • Gestão de Metadados: Os metadados representam o significado dos dados. Estes significados correspondem tanto ao conteúdo técnico do dado, obtido através das informações sobre estrutura, formato, tamanho e restrições como a informações sobre definições e conceitos.
    • Gestão da Qualidade dos Dados: função responsável por promover, medir, avaliar, melhorar e garantir a qualidade dos dados da empresa.

    Conforme o guia DAMA-BOOK®, o becape, armazenamento de dados e segurança, será realizado pelas funções Gerência de operações de dados (Realizar Backup e Recovery de Bancos de Dados) e Gerência de Conteúdo e Documento (Backup e Recuperação de Documentos e Registros e Implementar Sistemas de gerência para Aquisição, Armazenamento, Acesso e controle de Documentos e Registros) e Gerência de Segurança de dados (planejar, desenvolver e executar as políticas de segurança e procedimentos a fim de prover a adequada autenticação, acesso e auditoria de dados e informações).

    Conclui-se que, ao contratar e utilizar um serviço de computação em nuvem para armazenar seus dados, o usuário perde PARTE DA governança sobre esses dados, por não visualizar como eles são submetidos aos processos de becape, armazenamento e controle de segurança. Dessa forma sugere-se a alteração do gabarito preliminar da questão de CERTO para ERRADO.

    • Avatar

      Daniel Schoenell

      07/12/2016 23:23em23:23

      Obrigado!

  11. Avatar

    Daniel Schoenell

    07/12/2016 23:29em23:29

    Segundo a CF, o concurso público é válido por dois anos e prorrogável uma vez por igual período, e a estabilidade do servidor nomeado em cargo de provimento efetivo somente se verificará após este exercer três anos de atividade no cargo.

    Recurso:

    A Carta Magna prevê, em seu artigo 37, inciso III, que o prazo de validade do concurso público será de até dois anos, prorrogável uma vez, por igual período. Note que o dispositivo prevê um período máximo de validade, permitindo que os concursos tenham validade menor. Por isso, a questão deve ser considerada errada.

  12. Avatar

    Léo Diniz

    08/12/2016 10:03em10:03

    não tem nenhum professor pra comentar as questões de ética? gostaria de saber sobre a questao que fala da nota fiscal… se aquele gabarito realmente não cabe recurso

    • Avatar

      Bob

      08/12/2016 10:53em10:53

      Também errei essa questão.. Achei que estava extrapolando demais.. Devia ter deixado em branco!
      Vou acompanhar aqui se tiver algum fundamento eu entro com recurso também.

  13. Avatar

    Hellen

    08/12/2016 10:14em10:14

    E essa questão cabe recurso? E necessário que o agente esteja em exercício das funções?

    105 – Para a caracterização da responsabilidade civil do Estado, basta a comprovação da qualidade de agente público, não se exigindo para isso que o agente esteja agindo no exercício de suas funções.

    • Avatar

      Daniel Schoenell

      08/12/2016 12:26em12:26

      Não achei nada de recurso sobre essa questão.

    • Avatar

      Marcelo

      08/12/2016 12:35em12:35

      Para fins de responsabilidade extracontratual do Estado, considera-se que a atuação ocorreu na qualidade de agente estatal não somente no exercício das funções – da competência funcional do agente –, mas também fora do exercício das funções, desde que a atuação decorra da qualidade de agente público. Nesse sentido, diz-se que o Estado possui culpa in eligendo (culpa em escolher o agente) e culpa in vigilando (culpa em não vigiar o agente).

      Exemplo disso ocorre quando um policial, de férias, intervém num assalto, realizando disparos com a arma de fogo da instituição, atingindo terceiros que não tinham qualquer relação com o assalto. Nesse caso, o policial não estava no exercício de suas funções, pois estava de férias. Mas presenciou o assalto e, por ser policial, resolveu intervir, ou seja, agiu na qualidade de agente público.

      Eventual recurso desta questão poderá ser elaborado citando-se a seguinte decisão do STF, decorrente do RE 160.401/SP:
      EMENTA: CONSTITUCIONAL. ADMINISTRATIVO. RESPONSABILIDADE CIVIL DO ESTADO. C.F., art. 37, § 6º. I. – Agressão praticada por soldado, com a utilização de arma da corporação militar: incidência da responsabilidade objetiva do Estado, mesmo porque, não obstante fora do serviço, foi na condição de policial-militar que o soldado foi corrigir as pessoas. O que deve ficar assentado é que o preceito inscrito no art. 37, § 6º, da C.F., não exige que o agente público tenha agido no exercício de suas funções, mas na qualidade de agente público. II. – R.E. não conhecido.
      Note que a questão segue praticamente o texto do RE 160.401/SP, motivo pelo qual não poderia ser dada como incorreta.

      • Avatar

        Hellen

        08/12/2016 12:58em12:58

        Obrigada!

      • Avatar

        TIAGO ALVES CORDEIRO

        13/12/2016 16:40em16:40

        Mas a palavra basta invalida a questão. não basta. imagine só se a culpa é concorrente ou exclusiva inviabiliza a responsabilidade do estado.

  14. Avatar

    monica guimaraes

    08/12/2016 10:54em10:54

    Recurso questão de Raciocínio Lógico: “7 A sentença A fiscalização federal é imprescindível para manter a qualidade tanto dos alimentos quanto dos medicamentos que a população consome pode ser representada simbolicamente por PvQ.”

    A Lógica Matemática e a Semântica estão relacionadas, na medida em que a Lógica é a ciência que coloca ordem nas operações da razão, a fim de se atingir a verdade. E a tarefa da Semântica é estabelecer em que circunstâncias no mundo uma determinada sentença é verdadeira.
    A sentença “A fiscalização federal é imprescindível para manter a qualidade tanto dos alimentos quanto dos medicamentos que a população consome” traz duas proposições, que podem ser representadas simbolicamente por P e Q, sendo P = “A fiscalização federal é imprescindível para manter a qualidade dos alimentos” e Q = “A fiscalização federal é imprescindível para manter a qualidade dos medicamentos”. Este é o significado que a língua portuguesa dá para a sentença composta apresentada na questão.

  15. Avatar

    Joelma

    08/12/2016 15:14em15:14

    Pessoal, estou propondo recurso na questão de português que fala do uso do termo “se” na forma enclítica, como pronome apassivador, nos termos a seguir.

    Abraços,

    Questão X (ver o número da questão na sua prova) – Português
    A questão afirma:
    Na linha 3, o termo “se” é um pronome apassivador e, caso sua colocação fosse alterada de proclítica – como está no texto – para enclítica – que a doença transmitia-se -, essa alteração incorreria em erro gramatical.

    Em primeiro lugar, cabe esclarecer que o termo “se”, no caso, não é um pronome apassivador, mas sim um pronome reflexivo.

    Há diferenças, como se verá a seguir.
    Pronome Apassivador. Pode também ser chamado de partícula apassivadora/apassivante, e serve para indicar que a frase está na voz passiva, ou seja, o sujeito sofre a ação praticada por outro agente. Chamamos de sujeito “paciente”.
    O pronome apassivador segue um VTD (verbo transitivo direto) que esteja na 3ª (terceira) pessoa.
    Exemplos: Vendem-se casas; Os livros que se extraviaram, foram restaurados.
    No caso em tela, temos um Pronome Pessoal Reflexivo. Neste caso, o SE vai servir para indicar uma ação que é praticada pelo sujeito e ele mesmo receberá suas conseqüências. Dizemos que o sujeito pratica e sofre a ação.
    Exemplos: Maria cortou-se com uma tesoura; Deitou-se mais cedo para descansar.
    Fonte: Infoescola, Funções do “Se”, por Ana Paula Araújo.
    http://www.infoescola.com/portugues/funcoes-do-se/

    Além disso, verifica-se também que, mesmo que se desconsidere a diferença existente entre pronome apassivador e pronome reflexivo, há ainda outro equívoco no quesito, posto que não ocorreria erro gramatical com a alteração proposta, conforme veremos pela transposição a seguir.
    De: Grande parte dos médicos e da população acreditava que a doença se transmitia pelo contato com roupas, suor, sangue e secreções de doentes.
    Para: Grande parte dos médicos e da população acreditava que a doença transmitia-se pelo contato com roupas, suor, sangue e secreções de doentes.

    Em ambos os casos, o texto afirma que Grande parte dos médicos e da população acreditava que a doença ERA TRANSMITIDA pelo contato com roupas, suor, sangue e secreções de doentes.

    Não ocorre erro porque o verbo TRANSMITIR é transitivo direto e indireto (quem transmite, transmite algo a alguém).

    Mantém, dessa forma, sua condição de pronome reflexivo na forma enclítica por meio da conjugação no pretérito imperfeito do indicativo: ela transmitia-se, significando que a doença transmitia a si mesma.

    Dessa forma, pelas razões expostas, solicita-se a alteração do gabarito para ERRADO, pelas razões a seguir:
    1) O termo “se”, no caso, não é um pronome apassivador (quando o sujeito sofre a ação de outrem), mas sim um pronome reflexivo (quando o sujeito sofre as consequências das próprias ações).
    2) A alteração proposta, da forma proclítica para a forma enclítica NÃO acarretaria erro gramatical, conforme demonstrado.

  16. Avatar

    Joelma

    08/12/2016 16:02em16:02

    Recurso proposto para a questão de português sobre a concordância do sujeito coma palavra “parte”.

    Abçs,

    A questão afirma:
    A forma verbal “acreditava” (l.3) está flexionada no singular para concordar com a palavra “parte” (l.2), mas poderia ser substituída sem prejuízo da correção gramatical pela forma verbal acreditavam, que estabeleceria concordância com o termo composto “dos médicos e da população” (l.2).

    Verifica-se que a forma verbal “acreditava” (l.3) não está concordando com a palavra “parte”, como afirma o quesito, mas sim com a expressão “GRANDE PARTE”.

    Para compreendermos melhor, vejamos a frase completa:
    “GRANDE PARTE dos médicos e da população acreditava que a doença se transmitia pelo contato com roupas, suor, sangue e secreção dos doentes”.

    Como visto, o sujeito da oração é “grande parte dos médicos e da população”, e não apenas “parte dos médicos e da população”, como afirma o quesito.

    Dessa forma, ao afirmar que o verbo concorda apenas com a palavra “parte” e não com a expressão “grande parte”, a questão exclui um pedaço do sujeito, o que não está correto.

    O verbo concorda com o sujeito em sua integralidade, podendo ser utilizado no singular (acreditava) para concordar com o termo (expressão) “grande parte” OU no plural (acreditavam) para concordar com o termo composto “dos médicos e da população”.

    No entanto, ele não é utilizado no singular para concordar apenas com a palavra “parte”, mas sim com a expressão “grande parte”, razão pela qual sugere-se a ALTERAÇÃO do gabarito da questão para ERRADO ou, alternativamente, sua anulação do item, uma vez que o alijamento da palavra “grande”, que também integra o sujeito, induziu o candidato ao erro.

  17. Avatar

    Lua

    08/12/2016 20:42em20:42

    55 pontos de lucro não dá nem “pro cheiro” neh?! Kkk

    • Avatar

      Maurício

      08/12/2016 21:56em21:56

      Prova tensa né colega? muitas pegadinhas.

  18. Avatar

    Bob

    09/12/2016 13:49em13:49

    O gabarito definitivo só sai junto com o resultado no dia 30/12?

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Para o Topo